Dan Andersson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dan Andersson
Dan Andersson
Nascimento 6 de abril de 1888
Skattlösberg, Dalecárlia  Suécia
Morte 16 de setembro de 1920
Estocolmo  Suécia
Nacionalidade Suécia sueca
Ocupação Poeta e novelista
Principais trabalhos Kolvaktarens visor
(As cantigas do carvoeiro)

Dan Andersson (Skattlösberg, 1888 - Estocolmo, 1920), foi um poeta sueco.[1]

De origem humilde, nas terras desbravads por imigrantes finlandeses (finnbygder) da província sueca da Dalecárlia, Dan Andersson trabalhou na extração do carvão e na agricultura, tendo vindo a ser um dos iniciadores da literatura proletária sueca.[2]

Obra[editar | editar código-fonte]

Entre outras obras, escreveu os livros de poesia As cantigas do carvoeiro (1915) e Baladas Pretas (1917).
As suas poesias e canções continuam a ser lidas e cantadas na Suécia dos nossos dias, com destaque para Helgdagskväll i timmerkojan, En spelmans jordafärd, Jungman Jansson e Vårkänning.[3][4]

Referências

  1. Magnusson, Thomas; et al. (2004). «Dan Andersson». Vad varje svensk bör veta (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 326. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  2. Lena Marklund. «Dan Andersson» (em sueco). Projekt Runeberg. Consultado em 15 de fevereiro de 2016 
  3. Linnell, Björn (1999). «Dan Andersson». Litteraturhandboken (em sueco). Estocolmo: Forum. p. 355. 848 páginas. ISBN 91-37-11226-0 
  4. Magnusson, Thomas; et al. (2004). «Dan Andersson». Vad varje svensk bör veta (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 326. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Dan Andersson

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.