Danevirke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Complexo arqueológico de Hedeby e Danevirke *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Map danavirki.JPG
Danevirke na "Carta marina"
País  Alemanha
Tipo Cultural
Critérios iii, iv
Referência 1553
Região** Europa e América do Norte
Coordenadas 54° 27′ 43″ N, 9° 27′ 14,8″ L
Histórico de inscrição
Inscrição 2018  (42ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.
As várias fases de construção de Danevirke
Um trecho de Danevirke

Danevirke ou Danavirki, também conhecida como Dannevirke ou Danewerk, é uma muralha defensiva dinamarquesa (hoje em Eslésvico-Holsácia, território da Alemanha) que foi construída entre o limite ocidental da Jutlândia e Eslésvico, em Schlei, no Mar Báltico, perto do centro viquingue de comércio de Hedeby.

Segundo fontes escritas, a construção de Danevirke foi iniciada com o rei dinamarquês Godofredo em 808. Temendo uma invasão dos francos, de tal modo que separasse o seu reino na península da Jutlândia dos limites setentrionais do Império Carolíngio.

Entre 1969 e 1975 foram descobertas em escavações três fases da estrutura de Danevirke fazendo uso da técnica de fecho dendrocronológico. As fases em questão decorreram entre 737 e 968 (esta última por Haroldo Dente Azul por causa de conflito com povos a sul[1]). A estrutura tinha 30 km de comprimento total e media entre 3,6 e 6 metros de altura. Durante a Idade Média, a estrutura foi reforçada com paliçadas e paredes e foi usada pelos sucessivos reis dinamarqueses como ponto de partida de incursões militares nas Cruzadas Bálticas, particularmente as incursões dinamarquesas contra os eslavos. Valdemar I por volta de 1160 reforçou a estrutura com um muro de tijolo[2].

Danevirke foi usada pela última vez como estrutura defensiva em combate durante a guerra Dinamarquesa-Prussiana de 1864, mas sem grande êxito. Durante a Segunda Guerra Mundial, os exércitos da Alemanha Nazi integraram Danevirke como meio de defesa contra a temida invasão aliada a partir do Mar do Norte.

Como símbolo dinamarquês da autonomia frente à Alemanha, o nome "Danevirke" foi usado para título de vários jornais da dinamarca durante o século XIX.

UNESCO[editar | editar código-fonte]

Foi inscrito como Patrimônio Mundial da UNESCO em 2018 : "graças a seu material rico e bem preservado, o que o torna um local chave para a interpretação dos desenvolvimentos históricos econômicos e sociais na Europa durante a Era Viking."[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • H. Hellmuth Andersen: "Til hele rigets værn, Danevirkes arkæologi," ed. Moesgård und Wormianum, 2004 (em dinamarquês)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Viking Empires, par Angelo Forte, Richard D. Oram, Frederik Pedersen
  2. Os vikings - história de uma fascinante civilização Hemus ISBN 8528902285, 9788528902280[ligação inativa]
  3. Hedeby e Danevirke. UNESCO World Heritage Centre - World Heritage List (whc.unesco.org). Em inglês ; em francês ; em espanhol. Páginas visitadas em 03/08/2018.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Danevirke