Daniel Alves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Daniel Alves
Daniel Alves
Daniel Alves recebendo o troféu
de Melhor Jogador da Copa América de 2019
Informações pessoais
Nome completo Daniel Alves da Silva
Data de nasc. 6 de maio de 1983 (39 anos)
Local de nasc. Juazeiro, Bahia, Brasil
Nacionalidade brasileiro
espanhol
Altura 1,72 m
destro
Apelido Dani
Vampiro Baiano[1]
Good Crazy[2]
Informações profissionais
Clube atual Pumas
Número 33
Posição lateral-direito ou meio-campista
Clubes de juventude
1996–1998
1998–2001
Juazeiro
Bahia
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2001–2003
2003–2008
2008–2016
2016–2017
2017–2019
2019–2021
2021–2022
2022–
Bahia
Sevilla
Barcelona
Juventus
Paris Saint-Germain
São Paulo
Barcelona
Pumas
00037 0000(5)
00250 000(16)
00391 000(21)
00033 0000(6)
00073 0000(8)
00095 000(10)
00017 0000(1)
00000 0000(0)
Seleção nacional
2003
2021
2006–
Brasil Sub-20
Brasil Sub-23
Brasil
00007 0000(0)
00007 0000(0)
00124 0000(8)


2 Partidas e gols totais pelos
clubes, atualizadas até 21 de julho de 2022.

Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Tóquio 2020 Futebol

Daniel Alves da Silva (Juazeiro, 6 de maio de 1983) é um futebolista brasileiro que atua como lateral-direito ou meio-campista. Atualmente joga no Pumas, do México.

Com 43 títulos conquistados, Daniel Alves é o jogador com mais títulos oficiais na história do futebol.[3] Pela Seleção Brasileira, o lateral sagrou-se campeão duas vezes da Copa América e duas vezes da Copa das Confederações FIFA, além de um ouro olímpico conquistado pela Seleção Brasileira Sub-23 nos jogos de Tóquio 2020. Mais da metade dos títulos foram conquistados pelo Barcelona, e o primeiro de sua carreira foi a Copa do Nordeste de 2002 pelo Bahia.[4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Juazeiro[editar | editar código-fonte]

O treinador José Carlos Queiroz, o qual à convite do amigo Cláudio Carneiro, que assumiu o Juazeiro Social Clube de 1998 até 2000, foi quem levou Daniel Alves para o Bahia, ainda com 15 anos de idade. Cláudio, que havia se tornado supervisor do clube, falou que tinha um jogador acima da média no juvenil do Juazeiro:

No primeiro treino que vi, gostei e trouxe ele do juvenil para o profissional.
 
Cláudio Carneiro, supervisor do Juazeiro, sobre Daniel.

Chegou a disputar uma partida junto com os profissionais do Juazeiro, um amistoso de inauguração do estádio da Seleção da cidade de Conceição do Coité, que disputa torneios amadores.[carece de fontes?]

Bahia[editar | editar código-fonte]

Após alguns anos nas categorias de base do Bahia, na reta final do Campeonato Brasileiro de 2001, com as contusões do titular Denílson e de seu reserva imediato Mantena, Daniel teve sua primeira chance de jogar como titular, no dia 10 de novembro, no triunfo do Bahia sobre o Paraná por 3–0, na Fonte Nova. O jovem lateral não decepcionou. Daniel jogou com ousadia, garra, mostrou excelente preparo físico, marcou com eficiência, apoiou bastante o ataque e foi o grande destaque deste jogo, sofrendo um pênalti e dando passe para um dos gols. Durante a partida, a boa atuação fez com que os torcedores exigissem, em coro: "Ah! Ah! Ah! Daniel é titular". O treinador Evaristo de Macedo atendeu aos pedidos e, nas partidas seguintes, Daniel não saiu mais da equipe titular.[5]

No ano seguinte, 2002, mesmo com Bobô assumindo o cargo de treinador, Daniel continuou sendo titular absoluto do Bahia.

Acho que, por seu talento, e pela falta de bons valores no país para a posição dele, o Daniel é forte candidato a integrar a Seleção Brasileira num futuro próximo.
 
Marcelo Chamusca, treinador dos juniores do Bahia.

Jogando pelo Bahia, Daniel Alves foi campeão da Copa do Nordeste em 2002.

Em um evento realizado em Salvador, em junho de 2009, pelo Bahia, Daniel Alves declarou ter muito respeito e carinho pelo Bahia, e disse também que deseja encerrar a carreira no clube.[6]

Mesmo com o pouco tempo que passou no Bahia (e, por extensão, no futebol nacional), Daniel Alves foi eleito por visitantes do UOL como o maior lateral-direito da história do clube, à frente de nomes como Antônio Leone e Zanata.[7]

Sevilla[editar | editar código-fonte]

Daniel Alves atuando pelo Sevilla

No início do segundo semestre de 2002, Daniel foi contratado pelo Sevilla, da Espanha, inicialmente por empréstimo de uma temporada.

Ao final da temporada 2002–03, Daniel havia atuado em dez partidas na La Liga e agradado os torcedores e dirigentes do Sevilla com suas excelentes atuações durante o empréstimo.

Em dezembro de 2003, durante sua segunda temporada pelo clube da cidade de Sevilha, conquistou o Mundial Sub-20 pela Seleção Brasileira. Daniel foi um dos grandes destaques da equipe, terminando como o terceiro melhor jogador do torneio.

Em dezembro de 2006, Dani Alves assinou um novo contrato com o Sevilla. Finalizou a temporada 2006–07 com êxito, com 47 partidas e cinco gols marcados, atuando em todas as partidas da Copa da UEFA, torneio conquistado pelo clube.

Após alguns anos jogando na Espanha, adquiriu a nacionalidade espanhola, o que lhe excluiria da necessidade de uma autorização de trabalho para jogar em qualquer país da União Europeia.

No dia 1 de agosto de 2007, em entrevista ao SporTV, Daniel disse que tinha vontade de sair do Sevilla e ir para um grande clube europeu, reiterando, em maio de 2008, o seu desejo de deixar o clube.[8] Afirmou que ele estava lisonjeado com o interesse do Chelsea e que ele nunca recusaria tal proposta. Daniel confirmou ainda que seu empresário havia ido à Inglaterra há algum tempo para negociar com o clube londrino.

O Sevilla acabou rejeitando todas as propostas, sendo duas delas vindas do Chelsea e uma do Barcelona, considerando-as como "muito abaixo do esperado". O presidente do Sevilla, José María del Nido, aproveitou para desdenhar do valor da proposta do time catalão:

Por 25 milhões de euros eu envio as chuteiras de Daniel para que coloquem em um lateral deles. Ele é um grande jogador, talvez o melhor lateral-direito do mundo.[9]
 
José María del Nido, sobre a proposta do Barcelona por Daniel Alves.

Algum tempo depois, Daniel Alves revelou estar decepcionado com o presidente do Sevilla por ter recusado as propostas, principalmente a do Chelsea, que optou então por contratar seu compatriota Belletti, que atua na mesma posição.

Ao final da temporada 2007–08, foi mais uma de destaque no Sevilla. Durante sua coletiva de despedida, Daniel disse que "gostaria retornar ao clube no futuro" e que "chegou ao Sevilla como um menino e saiu como um homem", chegando a chorar diversas vezes durante a coletiva.[7] Ele também aprecia a confiança depositada nele Joaquín Caparrós, que disse que aprendeu muito com ele.[10]

Barcelona[editar | editar código-fonte]

Em 2 de julho de 2008, Daniel Alves foi contratado pelo Barcelona por quatro temporadas. O valor anunciado oficialmente foi de 34 milhões de euros, com mais 6 milhões de euros dependendo do seu desempenho durante as temporadas seguintes.[11]

Na temporada 2008–09, na sua primeira partida pelo clube catalão, logo assumiu o posto de titular, anteriormente pertencente a Gianluca Zambrotta, que havia retornado ao futebol italiano, se transferindo para o Milan. Fez a sua estreia oficial pelo Barcelona em 13 de agosto de 2008, contra o Wisła Kraków, no jogo de ida das eliminatórias da Liga dos Campeões da UEFA, torneio que terminou com o título do Barcelona. Sua estreia na La Liga ocorreu no primeiro jogo do Barça no campeonato, contra o Numancia, no dia 31 de agosto de 2008. Devido a uma suspensão por cartão amarelo, não atuou na final da Champions contra o Manchester United. O Barça contou com uma grande atuação de Xavi, Lionel Messi e Samuel Eto'o e derrotou o clube inglês por 2–0, conquistando assim a tríplice coroa da temporada 2008–09: Liga dos Campeões, La Liga (Campeonato Espanhol) e Copa do Rei. Conquistou ainda a Supercopa da Espanha e a Supercopa da UEFA, vencendo o Shakhtar Donetsk por 1–0 na final, com gol de Pedro na prorrogação.[12] Sendo assim, em sua primeira temporada pelo clube catalão, Daniel Alves conquistou todas as competições que disputou.

No início da temporada 2013–14, alterou o número de seu uniforme de 2 para 22 para homenagear o ex-companheiro de equipe Éric Abidal que a utilizara e deixara o clube.[13][14]

Daniel Alves com a Supercopa da UEFA de 2015, quando se igualou a Paolo Maldini como o maior vencedor da Supercopa da UEFA, ambos com quatro conquistas

Na temporada 2014–15, no dia 17 de setembro, contra o APOEL, pela Liga dos Campeões da UEFA, Daniel Alves completou 300 jogos pela equipe do Barcelona.[15]

Ao se aproximar do final do seu contrato com o clube, em junho de 2015, as partes ainda não haviam chegado a um acordo. O próprio Daniel declarou em entrevista que se sentia menosprezado pelos dirigentes.[16] Porém, no dia 9 de junho de 2015, renovou seu vínculo com o clube catalão por mais duas temporadas.[17] Na temporada 2015–16, Daniel deixou de utilizar a camisa 22 e passou a utilizar a camisa 6, utilizada durante mais de uma década por Xavi Hernández.

Em junho de 2016, foi confirmada a sua saída do clube.[18]

Juventus[editar | editar código-fonte]

Foi oficialmente anunciado pela Juventus no dia 27 de junho de 2016, assinando contrato válido até junho de 2018.[19] Marcou seu primeiro gol pelo clube no dia 21 de setembro, na goleada por 4–0 sobre o Cagliari, em jogo válido pela 5ª rodada da Serie A.[20]

No dia 19 de junho de 2017, dias após amargar uma derrota para o Real Madrid na final da Liga dos Campeões e dar declarações polêmicas, foi anunciado que Daniel Alves não faria parte do elenco da Velha Senhora. No dia 29 de junho, a Juventus anunciou oficialmente a rescisão de contrato do lateral brasileiro.[21]

Paris Saint-Germain[editar | editar código-fonte]

Daniel Alves em atuação pelo PSG

No dia 12 de julho de 2017, Daniel Alves assinou por duas temporadas com o Paris Saint-Germain.[22][23]

Em sua primeira partida oficial na temporada, fez um dos gols da vitória do Paris Saint-Germain sobre o Monaco por 2–1, conquistando o título da Supercopa da França.[24] Daniel Alves também marcou o primeiro da vitória sobre o Bayern de Munique por 3–0 na segunda rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões da UEFA. No dia 22 de novembro marcou um golaço na goleada sobre o Celtic por 7–1, ainda pela fase de grupos da principal competição europeia de clubes.[25]

No clássico contra o Lyon, no dia 21 de janeiro de 2018, causou polêmica ao ser expulso da partida por ter ofendido ao árbitro. Logo após esse jogo, o brasileiro foi punido por três jogos sem poder atuar pelo PSG.[26]

Após uma partida pela Copa América de 2019, anunciou sua saída do time no dia 23 de junho, através de uma rede social.[27]

São Paulo[editar | editar código-fonte]

No dia 1 de agosto de 2019, acertou seu retorno ao Brasil e assinou com o São Paulo até 2022.[28][29] Sua apresentação foi feita no estádio do Morumbi, diante de 44 mil torcedores. Ídolos da história recente do clube, como Hernanes, Kaká e Luís Fabiano foram os responsáveis por recebê-lo.

Não deixem de acreditar em vossos sonhos porque eles são possíveis. Agora, depois de ter rodado o mundo, é o primeiro clube que visto a camisa e sou torcedor. É uma emoção receber esse manto, e o momento chegou.[30]
 
Daniel Alves em sua apresentação no São Paulo.

Estreou com a camisa do tricolor paulista no dia 18 de agosto de 2019, contra o Ceará, pelo Brasileirão. Ainda no primeiro tempo, recebeu assistência do atacante Raniel e marcou o gol que definiu a vitória de 1–0.[31]

Apesar de ter atuado como lateral durante toda sua carreira, desde sua chegada assumiu posição no meio-campo. Foi um dos principais articuladores da equipe, além de ser capitão do time por duas temporadas, quando na temporada 2021 passou a braçadeira para o ídolo Miranda, que retornou ao tricolor após 10 anos.[32] Com a chegada do técnico Hernán Crespo, voltar a atuar como lateral-direito no esquema 3-5-2.

Conquistou seu único título pelo clube em maio de 2021, o Campeonato Paulista.[33] O primeiro jogo da final foi disputado no dia 20 de maio, no Allianz Parque, e as equipes empataram em 0–0.[34] Já no segundo jogo, realizado no dia 23, no estádio do Morumbi, Daniel Alves não atuou por conta de uma lesão. O lateral foi substituído por Igor Vinícius e o São Paulo venceu o Palmeiras por 2–0.[35]

Em 10 de setembro, o São Paulo anunciou em um comunicado oficial nas redes sociais que Daniel Alves se recusou a voltar ao clube após estar na Seleção Brasileira devido a dívida de 11 milhões de reais que o clube possuía com ele e que por isso o atleta não fazia mais parte do elenco do clube.[36][37] O clube paulista fez uma proposta ao lateral e seu estafe para o pagamento parcelado da quantia antes da partida de ida pelas quartas de final da Copa do Brasil contra o Fortaleza, porém a proposta foi recusada.[38] Ao todo, o jogador vestiu a camisa do clube em 95 jogos, fazendo 10 gols e concedendo 14 assistências.[39] Sua rescisão foi oficialmente anunciada pelo clube no dia 16 de setembro.[40]

Retorno ao Barcelona[editar | editar código-fonte]

Acertou seu retorno ao Barcelona, clube onde é ídolo, no dia 12 de novembro de 2021, assinando até junho de 2022. O brasileiro foi o primeiro reforço do treinador Xavi, seu ex-companheiro de equipe.[41] Daniel Alves reestreou pela equipe no dia 14 de dezembro, contra o Boca Juniors, em jogo válido pela Copa Maradona, um título amistoso criado para homenagear o recém falecido Diego Armando Maradona. Após o empate de 1–1 no tempo normal, o Boca venceu por 4–2 nos pênaltis.[42] Já sua reestreia em jogos oficiais foi no dia 5 de janeiro de 2022, na vitória de virada por 2–1 contra o Linares, em jogo válido pela Copa do Rei, tendo o clube catalão se classificado para oitavas de final.[43]

Seu primeiro gol pós retorno ao clube foi 23 de fevereiro, na vitória por 4–2 sobre o Atlético de Madrid na 23ª rodada da La Liga.[44] Além de fazer último gol do Barça na partida, Dani também concedeu uma assistência para Jordi Alba abrir o placar na partida e foi expulso aos 68 minutos de jogo após um pisão em Yannick Carrasco, sendo esse seu primeiro jogo no Camp Nou em sua volta.[45]

Pumas[editar | editar código-fonte]

Sem clube desde junho, quando não renovou com o Barcelona, Daniel Alves foi anunciado como novo reforço do Pumas no dia 21 de julho de 2022.[46]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Em 2003, foi convocado pela Seleção Brasileira Sub-20 para a disputa do Mundial da categoria. Os brasileiros conquistaram o título vencendo a Espanha por 1–0 na final, em 19 de dezembro de 2003. Daniel Alves foi um dos destaques da Seleção Brasileira no torneio, e terminou sendo eleito o terceiro melhor jogador da competição.

Fez sua estreia pela Seleção Brasileira principal no dia 7 de outubro de 2006, num amistoso não-oficial contra o Kuwait SC, clube do Kuwait.

Copas América e Copa das Confederações[editar | editar código-fonte]

Daniel Alves conquistou seu primeiro título pela Seleção em 2007, a Copa América realizada na Venezuela.[47] Convocado pelo técnico Dunga, o lateral atuou em quatro partidas e se destacou ao dar uma assistência e marcar um gol na final, na vitória por 3–0 sobre a Argentina.[48]

No dia 15 de junho de 2009, na primeira partida do Brasil na Copa das Confederações FIFA de 2009, contra o Egito, Daniel Alves deu uma assistência para Kaká na vitória por 4–3.[49] Ainda neste torneio, na semifinal, marcou o único gol da partida contra a África do Sul, após uma cobrança de falta aos 88 minutos de jogo.[50] A grande final aconteceu em 28 de junho de 2009, e o Brasil conquistou o título após uma difícil vitória por 3–2, de virada, sobre os Estados Unidos.[51]

Copa do Mundo de 2010[editar | editar código-fonte]

No dia 6 de junho de 2009, marcou seu segundo gol pela Seleção Brasileira, em jogo contra o Uruguai, válido pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo FIFA de 2010, partida em que Daniel chamou muita atenção pela sua ótima apresentação em campo, pois, além do gol marcado, conseguiu evitar dois gols da equipe adversária, o que causou, segundo jornalistas esportivos, uma acirrada e saudável disputa pela vaga de titular da posição, entre Alves e Maicon. Entretanto, Maicon disputou a Copa do Mundo como titular.

Era Mano Menezes[editar | editar código-fonte]

Com o treinador Mano Menezes, foi um dos remanescentes da Copa do Mundo de 2010. Mano deixou de lado Maicon, de quem Daniel era reserva. Nos amistosos pós-Copa, contra o Irã e a Ucrânia, Daniel Alves marcou dois gols, um em cada jogo. Em 2011, foi convocado por Mano para a disputa da Copa América.[52]

Dani Alves beijando o troféu da Copa das Confederações de 2013, ao lado de Fred

Era Felipão[editar | editar código-fonte]

Sob o comando de Luiz Felipe Scolari, Daniel Alves conquistou a Copa das Confederações FIFA de 2013, depois de uma eletrizante final contra os espanhóis, vencida pelo por 3–0. No dia 14 de agosto de 2013, no primeiro amistoso da Seleção após o título, diante da Suíça, o lateral marcou contra, o gol que daria a vitória aos europeus por 1–0.[53] No dia 7 de maio de 2014, foi convocado para a Copa do Mundo FIFA daquele ano.[54]

Era Dunga[editar | editar código-fonte]

Após o retorno de Dunga à Seleção, em 2014, Daniel Alves não vinha sendo chamado pelo treinador. Já no dia 11 de junho de 2015, foi convocado para a disputa da Copa América para substituir Danilo, que havia se lesionado em um jogo amistoso.[55]

Integrou o elenco para a disputa da Copa América Centenário em 2016.[56]

Era Tite[editar | editar código-fonte]

Após a saída de Dunga e a chegada de Tite, continuou sendo convocado com frequência, além de ter sido capitão em quatro partidas sob seu comando.[57]

No dia 9 de maio de 2018, durante a decisão da Copa da França, sofreu uma lesão no joelho. Dias depois, após ser examinado pelo médico da Seleção Brasileira, foi confirmado que Daniel Alves estava fora da Copa do Mundo FIFA de 2018.[58]

Atuando como capitão do time, disputou a Copa América de 2019 pela Seleção Brasileira, edição em que o Brasil conquistou o nono título. Ao final do torneio, foi agraciado como o troféu de Melhor Jogador da Competição. Chegou ao 40º título na carreira, o primeiro como capitão do Brasil.[59]

Daniel Alves na final contra a Espanha, nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Olimpíadas de Tóquio[editar | editar código-fonte]

Em 17 de junho de 2021, Daniel foi um dos 18 convocados e um dos três jogadores acima dos 24 anos convocados pelo técnico André Jardine para representar a Seleção Brasileira Sub-23 nos Jogos Olímpicos de Tokyo, tendo o São Paulo liberado o atleta para a disputa do torneio.[60] Após se sagrar campeão das Olimpíadas de Tokyo com o Brasil em 2021, Daniel Alves conquistou o seu 42° título na carreira.[61] Daniel se tornou o jogador brasileiro mais velho a disputar uma Olimpíada e também o terceiro jogador mais velho da história a disputar uma Olimpíada, com 38 anos e 77 dias em 2021, atrás apenas do galês Ryan Giggs, com 38 anos e 256 dias em 2012, e do guatemalteco Ricardo Piccinini, com 39 anos e 24 dias em 1988.[62]

Atitude contra o racismo[editar | editar código-fonte]

No dia 27 de abril de 2014, em um jogo contra o Villarreal, Daniel foi vítima de uma ofensa racista: um torcedor do time local jogou uma banana na direção do lateral-direito. Daniel comeu a fruta em pleno jogo e continuou a partida normalmente.[63] Após o jogo, comentou o incidente com um tom bem-humorado, o Villarreal foi punido e cassou o passaporte vitalício do tal torcedor. Nas redes sociais, o companheiro de Daniel, Neymar e David Luiz lançaram uma campanha com o seguinte título: #SomosTodosMacacos, em repúdio ao episódio do jogo.[64] Em questão de horas, a campanha ganhou vários adeptos - além do próprio Neymar - como o atacante Fred, os cantores Michel Teló e Ivete Sangalo e até a ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Nascido em Juazeiro, Bahia, Daniel teve uma infância pobre, na qual, ao lado do pai Domingos Alves da Silva, trabalhava na roça, plantando tomate, cebola, melão e alho, armava arapucas para caçar aves e reforçar a alimentação da família. Desde cedo amante do futebol, o então jovem garoto improvisava bolas com sacos plásticos ou meias velhas.[65]

Daniel Alves, figurante no filme sobre Canudos

Daniel chegou, inclusive, a fazer ponta no filme de Sérgio Rezende Guerra dos Canudos, de 1997. Segundo o lateral, em troca de "alimentação e cinco ou dez reais por dia", ele aceitou ser figurante. O lateral considerou a experiência "muito legal."[66]

Daniel foi casado com Dinorah, com quem teve dois filhos. Ela é sua agente.[67] Em dezembro de 2009, o jogador revelou que é torcedor do São Paulo e gostaria de atuar pela equipe paulista, para depois encerrar a carreira no Bahia.[68]

Fora das quatro linhas, gosta de manter o estilo e costuma atrair olhares por onde passa. Em algumas ocasiões apresenta-se com roupas e visual incomuns.[69]

Daniel possui um irmão chamado Ney Alves, que é cantor de forró.[70]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 22 de maio de 2022[71]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Equipe Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c]
Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Bahia 2001 6 0 0 0 0 0 6 0 0
2002 19 2 0 6 2 0 6 1 0 31 5 0
Total 25 2 0 6 2 0 0 0 0 6 1 0 37 5 0
Sevilla 2002–03 10 0 0 1 0 0 11 0 0
2003–04 29 1 3 7 1 2 36 2 5
2004–05 33 2 1 5 0 0 9 0 0 47 2 1
2005–06 36 3 9 2 0 0 14 0 6 52 3 15
2006–07 34 3 10 8 0 2 14 2 4 1 0 0 57 5 16
2007–08 33 2 18 3 0 2 8 2 5 3 0 0 47 4 25
Total 175 11 41 26 1 6 45 4 15 4 0 0 250 16 62
Barcelona 2008–09 34 5 10 8 0 2 12 0 2 54 5 14
2009–10 29 3 11 3 0 0 11 0 1 5 0 2 48 3 14
2010–11 35 2 15 5 0 3 12 2 2 2 0 1 54 4 21
2011–12 33 2 12 5 1 0 10 0 4 4 0 2 52 3 18
2012–13 30 0 6 6 0 3 10 1 1 1 0 0 47 1 10
2013–14 27 2 5 5 0 1 8 2 0 2 0 0 42 4 6
2014–15 30 0 6 5 0 2 11 0 4 46 0 12
2015–16 29 0 4 6 1 1 8 0 3 5 0 0 48 1 8
Total 247 14 69 43 2 12 82 5 17 19 0 5 391 21 103
Juventus 2016–17 19 2 3 2 1 0 12 3 4 0 0 0 33 6 7
Total 19 2 3 2 1 0 12 3 4 0 0 0 33 6 7
Paris Saint-Germain 2017–18 25 1 7 7 1 3 8 2 0 1 1 0 41 5 10
2018–19 23 1 7 6 2 1 3 0 0 0 0 0 32 3 8
Total 48 2 14 13 3 4 11 2 0 1 1 0 73 8 18
São Paulo 2019 20 2 3 20 2 3
2020 30 1 3 6 0 1 6 2 2 11 4 1 53 7 7
2021 6 0 0 1 0 0 6 0 1 9 1 3 22 1 4
Total 56 3 6 7 0 1 12 2 3 20 5 4 95 10 14
Barcelona 2021–22 14 1 3 2 0 1 1 0 0 17 1 4
Total 14 1 3 2 0 1 1 0 0 17 1 4
Total na carreira 584 35 136 100 10 24 162 15 39 51 7 9 897 67 208

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 6 de junho de 2022

Expanda a caixa de informações para conferir todos os jogos deste jogador, pela sua seleção nacional.

Sub-20

Ano
Jogos Gols Assist. Média
2003 7 0 0 0
Total 7 0 0 0

Sub-23 (Olímpico)

Ano
Jogos Gols Assist. Média
2021 7 0 1 0
Total 7 0 1 0

Seleção Principal

Ano
Jogos Gols Assist. Média
2006 1 0 0 0
2007 12 1 1 0,08
2008 5 0 0 0
2009 14 2 5 0
2010 12 2 1 0,16
2011 10 0 2 0
2012 5 0 1 0
2013 14 0 1 0
2014 6 1 0 0,16
2015 8 0 2 0
2016 12 1 2 0,08
2017 6 0 1 0
2018 2 0 0 0
2019 11 1 3 0,09
2020 0 0 0 0
2021 1 0 0 0
2022 5 0 0 0
Total 124 8 19 0,06
Gols marcados
# Data Local Adversário Gol Resultado Competição
1. 15 de julho de 2007 Pachencho, Maracaibo, Venezuela Argentina 3–0 3–0 Copa América de 2007
2. 6 de junho de 2009 Centenário, Montevidéu, Uruguai Uruguai 0–1 0–4 Elim. Copa do Mundo de 2010
3. 25 de junho de 2009 Ellis Park, Joanesburgo, África do Sul África do Sul 0–1 0–1 Copa das Confederações de 2009
4. 7 de outubro de 2010 Zayed Sports City, Abu Dabi, Emirados Árabes Irã 1–0 3–0 Amistoso
5. 11 de outubro de 2010 Pride Park Stadium, Derby, Inglaterra Ucrânia 1–0 2–0
6. 3 de junho de 2014 Serra Dourada, Goiânia, Brasil Panamá 2–0 4–0
7. 29 de março de 2016 Defensores del Chaco, Assunção, Paraguai Paraguai 2–2 2–2 Elim. Copa do Mundo de 2018
8. 22 de junho de 2019 Arena Corinthians, São Paulo, Brasil Peru 0–4 0–5 Copa América de 2019

Títulos[editar | editar código-fonte]

Bahia
Sevilla
Barcelona
Juventus
Paris Saint-Germain
São Paulo
Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Dani Alves, um vampiro baiano a serviço da seleção brasileira». Jornal Nacional. 17 de maio de 2010. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  2. Lucas Mello (7 de julho de 2018). «Daniel Alves: 'Sou persistente e quero jogar a Copa de 2022'». Placar. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  3. Ken Salmon (22 de fevereiro de 2021). «Ángel Romano, the most decorated player» (em inglês). 90soccer.com 
  4. «Daniel Alves conquista quinto título pela seleção brasileira e chega a 42 na carreira: veja a lista». GloboEsporte.com. 7 de agosto de 2021. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  5. «Incentivo para atacar, paciência e a paixão por óculos escuros: como Daniel Alves, agora no São Paulo, despontou no Bahia». ESPN Brasil. 1 de agosto de 2019. Consultado em 11 de maio de 2021 
  6. «Daniel Alves fala sobre desejo de encerrar carreira no Bahia». GloboEsporte.com. 1 de julho de 2009. Consultado em 17 de maio de 2022 
  7. a b «Time dos sonhos do Bahia». UOL. 12 de junho de 2017. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  8. «Dani Alves quer deixar o Sevilla». GloboEsporte.com. 19 de maio de 2008. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  9. «Sevilla descarta negociar Dani Alves». GloboEsporte.com. 9 de abril de 2008. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  10. ««Aprendí mucho de Caparrós», elogia Dani Alves en su despedida del Sevilla"» (em espanhol). El Correo. 2 de julho de 2008. Consultado em 22 de julho de 2022 
  11. «Por causa de Daniel Alves, Sevilla lucra em cima de conquistas do Barça». GloboEsporte.com. 28 de maio de 2009. Consultado em 22 de julho de 2022 
  12. «Barcelona conquista Supercopa da Europa». Goal.com. 28 de agosto de 2009. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  13. «Daniel Alves trocará camisa 2 pela 22 no Barcelona para homenagear o amigo Abidal». ESPN Brasil. 25 de julho de 2013. Consultado em 11 de maio de 2021 
  14. «Éric Abidal agradece el homenaje de Dani Alves con su dorsal» (em espanhol). Sport. 26 de julho de 2013. Consultado em 17 de maio de 2022 
  15. «Descartado há um mês, Daniel Alves ressurge e completa 300 jogos pelo Barça». UOL. 17 de setembro de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  16. Marcella César de Albuquerque Falcão (25 de maio de 2015). «Daniel Alves se diz "menosprezado" pela direção do Barça». NE10. Consultado em 22 de julho de 2022 
  17. «Daniel Alves renova com o Barcelona por mais dois anos». Goal.com. 9 de junho de 2015. Consultado em 22 de julho de 2022 
  18. «Dirigente do Barcelona confirma a saída do lateral brasileiro Daniel Alves». GloboEsporte.com. 2 de junho de 2016. Consultado em 22 de julho de 2022 
  19. «Juventus anuncia a contratação do brasileiro Daniel Alves». Terra. 27 de junho de 2016. Consultado em 22 de julho de 2022 
  20. «Daniel Alves marca pela 1ª vez, Juventus atropela Cagliari e retoma liderança». ESPN Brasil. 21 de setembro de 2016. Consultado em 17 de maio de 2022 
  21. «Juventus anuncia rompimento de contrato com Daniel Alves». Terra. 29 de junho de 2017. Consultado em 22 de julho de 2022 
  22. «Daniel Alves assina contrato de duas temporadas com o PSG». GloboEsporte.com. 12 de julho de 2017. Consultado em 17 de maio de 2022 
  23. Felipe Lobo (12 de julho de 2017). «PSG seduziu Daniel Alves com salário maior, contrato mais longo e vontade de amigos e da mulher». Trivela. Consultado em 22 de julho de 2022 
  24. «Em dia de Daniel Alves, PSG vence o Monaco e conquista a Supercopa da França». GloboEsporte.com. 29 de julho de 2017. Consultado em 22 de julho de 2022 
  25. «Virou (mais um) passeio! PSG faz sete no Celtic e quebra recorde de gols na Champions». GloboEsporte.com. 22 de novembro de 2017. Consultado em 22 de julho de 2022 
  26. «Daniel Alves pega três jogos de suspensão, mas punição ainda pode aumentar». GloboEsporte.com. 25 de janeiro de 2018. Consultado em 22 de julho de 2022 
  27. «Daniel Alves anuncia saída do PSG: "Alguém que tentou fazê-los entender o significado da palavra equipe"». GZH. 23 de junho de 2019. Consultado em 22 de julho de 2022 
  28. Eduardo Rodrigues e Marcelo Hazan (1 de agosto de 2019). «São Paulo contrata Daniel Alves». GloboEsporte.com. Consultado em 17 de maio de 2022 
  29. «Dani Alves: Sao Paulo sign former PSG, Juventus and Barcelona defender» (em inglês). BBC. 2 de agosto de 2019 
  30. «Daniel Alves é recebido pelo São Paulo com camisa de Kaká, recado de Messi e 44 mil no Morumbi». GloboEsporte.com. 6 de agosto de 2019. Consultado em 17 de maio de 2022 
  31. «Daniel Alves marca na estreia, e São Paulo vence o Ceará no Morumbi». GloboEsporte.com. 18 de agosto de 2019. Consultado em 22 de julho de 2022 
  32. Natália Milreu (10 de maio de 2021). «Daniel Alves explica faixa de capitão para Miranda». SPFC Notícias. Consultado em 17 de maio de 2022 
  33. Rodolfo Rodrigues (23 de maio de 2021). «Jogador com mais títulos no mundo, Daniel Alves fatura o 1º pelo São Paulo». UOL. Consultado em 17 de maio de 2022 
  34. «Palmeiras e São Paulo empatam sem gols no primeiro capítulo da final do Paulistão». GloboEsporte.com. 20 de maio de 2021. Consultado em 17 de maio de 2022 
  35. «O campeão voltou! São Paulo encerra fila, vence Palmeiras e conquista Paulistão». GloboEsporte.com. 23 de maio de 2021. Consultado em 17 de maio de 2022 
  36. «São Paulo diz que Daniel Alves não joga mais pelo clube». GloboEsporte.com. 10 de setembro de 2021. Consultado em 17 de maio de 2022 
  37. «Daniel Alves está fora do São Paulo, anuncia diretoria da equipe». Folha de S.Paulo. 10 de setembro de 2021. Consultado em 17 de maio de 2022 
  38. «Daniel Alves rejeita acordo, não se reapresenta, e São Paulo anuncia que jogador não atua mais pelo clube». ESPN Brasil. 10 de setembro de 2021. Consultado em 10 de setembro de 2021 
  39. «Daniel Alves não joga mais pelo São Paulo, diz diretoria do clube». Placar. 10 de setembro de 2021. Consultado em 17 de maio de 2022 
  40. «Daniel Alves assina rescisão de contrato com o São Paulo». GloboEsporte.com. 16 de setembro de 2021. Consultado em 17 de maio de 2022 
  41. «Barcelona anuncia retorno de Daniel Alves: "Good Crazy"». GloboEsporte.com. 12 de novembro de 2021. Consultado em 17 de maio de 2022 
  42. «Na 'estreia' de Daniel Alves, Barcelona empata com o Boca Juniors e perde título simbólico nos pênaltis». ESPN Brasil. 14 de dezembro de 2021. Consultado em 17 de maio de 2022 
  43. «Na estreia de Daniel Alves, Barcelona vence time da terceira divisão de virada e avança na Copa do Rei». LANCE!. 5 de janeiro de 2022. Consultado em 17 de maio de 2022 
  44. «Em jogo de seis gols, Barcelona vence o Atlético de Madrid de virada pelo Campeonato Espanhol». LANCE!. 6 de fevereiro de 2022. Consultado em 17 de maio de 2022 
  45. «Gol, assistência e expulsão: Daniel Alves reestreia pelo Barcelona no Camp Nou». GQ. 6 de fevereiro de 2022. Consultado em 17 de maio de 2022 
  46. «Dani Alves é anunciado como reforço do Pumas, do México». TNT Sports. 21 de julho de 2022 
  47. «Com Dunga e poucas estrelas no elenco, Brasil foi campeão da Copa América em 2007». Futebol Interior. 12 de junho de 2019. Consultado em 17 de maio de 2022 
  48. «Brasil rouba o 'jogo bonito' da favorita Argentina para levar o bi». UOL. 15 de julho de 2007. Consultado em 17 de maio de 2022 
  49. Thiago Dias e Thiago Lavinas (15 de junho de 2009). «Gol de pênalti de Kaká salva o Brasil em dia de estreia sofrida na África do Sul». GloboEsporte.com. Consultado em 17 de maio de 2022 
  50. Thiago Dias e Thiago Lavinas (25 de junho de 2009). «Seleção passa sufoco, mas derrota a África do Sul de Joel Santana e vai à final». GloboEsporte.com. Consultado em 17 de maio de 2022 
  51. «Brasil vira para 3x2 contra EUA e vence a Copa das Confederações». Estadão. 28 de junho de 2009. Consultado em 17 de maio de 2022 
  52. «Mano inclui Ganso e Pato na lista dos convocados para a Copa América». GloboEsporte.com. 8 de junho de 2011. Consultado em 17 de maio de 2022 
  53. «Daniel Alves faz gol contra e Brasil perde da Suíça em amistoso». O Globo. 14 de agosto de 2013. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  54. «Felipão anuncia convocados da Seleção para a Copa do Mundo». GloboEsporte.com. 7 de maio de 2014. Consultado em 17 de maio de 2022 
  55. Marcus Alves (11 de junho de 2015). «Danilo é cortado da seleção brasileira por lesão; Daniel Alves será o substituto». ESPN Brasil. Consultado em 17 de maio de 2022 
  56. «Dunga convoca Seleção para a Copa América com 7 jogadores olímpicos». GloboEsporte.com. 5 de maio de 2016. Consultado em 17 de maio de 2022 
  57. Alexandre Lozetti (26 de março de 2018). «Capitão dos grandes jogos: Daniel Alves vai usar a braçadeira contra a Alemanha». GloboEsporte.com. Consultado em 11 de maio de 2021 
  58. «Informações sobre o atleta Daniel Alves». Confederação Brasileira de Futebol. 11 de maio de 2018. Consultado em 22 de julho de 2022 
  59. «Maior campeão da história, Daniel Alves chega ao 40º título e é campeão pela 1ª vez como capitão do Brasil». GloboEsporte.com. 7 de julho de 2019. Consultado em 22 de julho de 2022 
  60. Danilo Lavieri e Gabriel Carneiro (17 de junho de 2021). «São Paulo vai liberar Daniel Alves para representar Brasil nas Olimpíadas». UOL. Consultado em 13 de novembro de 2021 
  61. «Daniel Alves conquista quinto título pela seleção brasileira e chega a 42 na carreira: veja a lista». GloboEsporte.com. 7 de agosto de 2021. Consultado em 22 de julho de 2022 
  62. «Dani Alves acecha histórica marca de Ricardo Piccinini en Juegos Olímpicos» (em espanhol). ESPN. 22 de julho de 2021. Consultado em 22 de julho de 2022 
  63. «Alvo de racismo na Espanha, Daniel Alves come banana jogada por torcedor». Placar. 27 de abril de 2014. Consultado em 22 de julho de 2022 
  64. «Neymar manifesta apoio a Daniel Alves e inicia 'campanha' contra racismo: 'Somos todos macacos'». ESPN Brasil. 27 de abril de 2014. Consultado em 22 de julho de 2022 
  65. Leandro Canônico (27 de maio de 2013). «Brasilidades: Daniel Alves caçava com o pai na luta por sobrevivência». GloboEsporte.com. Consultado em 22 de julho de 2022 
  66. «Daniel Alves deixa de ser figurante no cinema para virar protagonista da bola». GloboEsporte.com. 17 de maio de 2010. Consultado em 22 de julho de 2022 
  67. Karla Torralba e Vanderlei Lima (21 de janeiro de 2015). «Um divórcio "que deu certo": a ex-mulher cuida da carreira de Dani Alves». UOL. Consultado em 22 de julho de 2022 
  68. «Daniel Alves declara amor ao São Paulo e fala em passagem futura pelo time». GloboEsporte.com. 19 de dezembro de 2009. Consultado em 11 de maio de 2021 
  69. «Veja os cinco looks mais excêntricos do lateral Daniel Alves, do Barcelona». GloboEsporte.com. 11 de maio de 2013. Consultado em 17 de maio de 2022 
  70. Flávia Almeida (20 de agosto de 2016). «Irmão do jogador Daniel Alves é a nova aposta do forró». OFuxico. Consultado em 17 de maio de 2022 
  71. «Perfil de Daniel Alves». Soccerway. Consultado em 17 de setembro de 2021 
  72. «The 100 best footballers in the world - interactive» (em inglês). The Guardian 
  73. «The 100 best footballers in the world 2016 – interactive» (em inglês). The Guardian 
  74. «Conmebol monta equipe ideal da Copa América com cinco brasileiros». UOL. 9 de julho de 2019. Consultado em 13 de novembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Daniel Alves
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Daniel Alves