Daniel Azulay

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Daniel Azulay
Nascimento 30 de maio de 1947
Rio de Janeiro, RJ
Morte 27 de março de 2020 (72 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Ocupação artista de história em quadrinhos, educador de arte, cartunista, pintor e apresentador de televisão
Empregador TV Educativa do Rio de Janeiro, Rede Bandeirantes, Canal Futura, TV Rá-Tim-Bum
Causa da morte Leucemia agravada por COVID-19
Página oficial
http://www.danielazulay.com.br/

Daniel Azulay (Rio de Janeiro, 30 de maio de 1947Rio de Janeiro, 27 de março de 2020)[1] foi um artista plástico, escritor, educador com vasta e diversificada atuação na Imprensa e na TV como desenhista, compositor e autor de livros infantojuvenis e videogames interativos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do jurista e advogado Fortunato Azulay e de Clara Israel, Daniel nasceu numa família judaica sefardita, sendo o filho mais jovem. Seu irmão mais velho, Jom Tob Azulay, é cineasta e diplomata.[2]

Aos 15 anos, publicou um desenho na sessão de palavras cruzadas do jornal O Globo, aos 18, estreou profissionalmente no Jornal dos Sports.[3]

Em 1967, criou a tira Capitão Sol para o jornal O Sol.[4] [5]Em 1968, criou a tira Capitão Cipó, publicada no jornal Correio da Manhã[6] e em 1975, lançou a Turma do Lambe-Lambe.[7] Na Rio Gráfica Editora, colaborou com as revistas Querida e Garotas, com a personagem A Dona Filó, logo em seguida colaborou com as revista O Cruzeiro, Jóia e Manchete. Publicou o livro "Viagem à Jerusalem", contendo 40 ilustrações, viajou aos Estados Unidos, onde conheceu os estúdios da Disney na Flórida e na Califórnia, lá tentou trabalhar como cartunista, conheceu o quadrinhista Bob Kane, cocriador do Batman, que o apresentou à revista Crazy em Nova York,[3] de volta ao Brasil, foi precursor em 1976 apresentando durante dez anos seguidos, programas de TV educativos e inteligentes para o público infantil. Azulay influenciou de forma construtiva a geração dos anos 1980 que aprendeu com ele a desenhar, construir brinquedos com a sucata doméstica,[8] e a importância da reciclagem e sustentabilidade em defesa do meio ambiente, antecedendo programas da TV por assinatura como Art Attack, Mister Maker e Click.[9][10]

Viajava pelo mundo expondo, fazendo palestras e conduzindo workshops de arte, educação e responsabilidade social. Premiado no Brasil e no exterior, suas obras de arte contemporânea fazem parte do acervo de coleções particulares e de grandes empresas. Na década de 1990, desenvolveu CD-Roms educativos, esses CD-ROMs chamaram a atenção de Johnny Saad do Grupo Bandeirantes, em 1996, Azulay passou a apresentar o programa Oficina de Desenho Daniel Azulay na Band Rio, em 2000, o programa passou a ser exibido em rede nacional.[11]

Em 2009, ensinou desenho em vídeos para o site UOL,[12] fez especiais pro Canal Futura ('Azuela do Azulay') e chegou a participar da TV Rá-Tim-Bum[8][13]

Em 2013, lançou o site Diboo (www.diboo.com.br), um curso de desenho online para crianças.[14]

Em 2018, foi homenageado como Grande-mestre pelo Troféu HQ Mix.[15]

Daniel morreu em 27 de março de 2020 após ficar internado por duas semanas na Clínica São Vicente (no Rio de Janeiro) em tratamento contra a leucemia. Teria contraído o novo coronavírus em ambiente hospitalar e desenvolveu quadro de COVID-19 cujas complicações foram fatais.[1]

Exposições e eventos internacionais[editar | editar código-fonte]

  • Montreal Exhibition, Canadá (1968)
  • 33.º Salon International d’Humoristes, Bruxelas, Bélgica (1969)
  • Recebeu menção honrosa em exposição no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro com seus primeiros trabalhos gráficos em caleidoscópios de acrílico no Salão da Bússola. (1970)
  • Participou de exibição no Salone Internazionale dei Comics, Lucca, Itália. (1970)
  • Produziu o Álbum Jerusalém/Desenhos de Humor, resultado de sua viagem a Israel (1973)
  • Expôs desenhos de Jerusalém na Galeria Ipanema, no RJ e no Gabinete de Artes Gráficas em São Paulo. (1974)
  • Agraciado com o 1.º lugar na International Cartoon Exhibition Athens, Atenas, Grécia e teve seu desenho publicado na capa do catálogo da exposição (1975)
  • Produziu cartões, aerogramas e selos comemorativos para os Correios (1977)
  • Ilustrou cartazes do Congresso da ASTA realizados pela Embratur (1977)
  • Representou o Brasil, a convite dos EUA no International Symposium of Books and Broadcasting for Children (1979)
  • Exposição organizada pelo Consulado Britânico no Hotel Rio Palace, (RJ) faz uma retrospectiva de seus desenhos. A exposição contou com a presença da Princesa Anne. (1989)
  • Lança seu livro de Arte A Porta/The Door reunindo desenhos e pinturas de suas exposições realizadas no Brasil, Europa e Estados Unidos (2012)

Referências

  1. a b «Morre o desenhista Daniel Azulay, vítima de coronavírus». G1. 27 de março de 2020. Consultado em 27 de março de 2020 
  2. Daniel Azulay (2011). «A Porta». Consultado em 28 de março de 2020 
  3. a b Correia Lima, Marcelo (maio de 2016). Guimarães, Edgard, ed. «Daniel Azulay e a Turma do Lambe-Lambe» (PDF). QI (139) 
  4. O Sol - Um jornal de resistência política ao golpe militar de 1964
  5. «Algodão doce pra você também, tio Azulay». Universo HQ. 28 de março de 2020 
  6. Ota; Ucha, Francisco (janeiro de 2011). «Cronologia dos Qua drinhos - Parte 2». Associação Brasileira de Imprensa. Jornal da ABI (362) 
  7. «'Turma do Lambe-Lambe' está de volta para a criançada». Jornal de Jundiaí. 18 de junho de 2015. Arquivado do original em 19 de novembro de 2015 
  8. a b «Bate-Papo com Daniel Azulay». UOL. 24 de junho de 2009 
  9. «Apresentador do 'Turma do Lambe-lambe' Azulay acorda com o 'Bom Dia Brasil' e é fã de Manoel Carlos». 26 de outubro de 2013 
  10. «Ídolo de uma geração: desenhista Daniel Azulay morre, aos 72 anos, vítima de leucemia e coronavírus» 
  11. «Making of: Daniel Azulay quer fazer TV à moda antiga em rede nacional». Folha de São Paulo. 26 de dezembro de 1999 
  12. Paulo Ramos (21 de julho de 2009). «Daniel Azulay volta a ensinar desenho. Agora na internet». UOL 
  13. «Daniel Azulay ficou conhecido como desenhista e criador da 'Turma do lambe-lambe'». G1 Pop e Arte. 27 de março de 2020. Consultado em 28 de março de 2020 
  14. «Daniel Azulay ressurge em curso de desenho online para crianças». Folha de S.Paulo. 15 de outubro de 2013 
  15. Gomes, Fábio de Souza (29 de agosto de 2018). «Troféu HQMIX | CCXP vence como Evento do Ano; confira os ganhadores» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre autor ou ilustrador de banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.