Danny Kirwan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Danny Kirwan
Kirwan no Fleetwood Mac - 1970
Nome completo Daniel David Kirwan
Nascimento 13 de Maio de 1950
Londres, Reino Unido
Nacionalidade Reino Unido britânico
Ocupação músico, guitarrista, cantor
Principais trabalhos Fleetwood Mac
Prémios Rock and Roll Hall of Fame

Daniel David "Danny" Kirwan (Londres, 13 de maio de 1950) é um músico britânico, guitarrista, cantor e compositor, integrante da banda de blues-rock anglo-americana Fleetwood Mac entre 1968 e 1972.

Fleetwood Mac[editar | editar código-fonte]

Kirwan estreou num show da banda em 14 de agosto de 1968 em Londres, aos 18 anos, e foi o guitarrista do primeiro grande sucesso comercial do Mac, a música instrumental Albatross. O lado B da single, Jigsaw Puzzle Blues, é uma obra instrumental toda tocada e elaborada por Kirwan, adaptada de um clarinete para a guitarra. Anos depois, Peter Green, o então líder e compositor do Mac, declarou que "nunca teria feito Albatross se não fosse por Danny. Eu nunca teria tido um hit # 1 sem ele".[1]

Kirwan continuou a tocar com o Mac após a partida de Green em 1970 e a entrada na banda da tecladista Christine McVie, esposa do baixista John McVie. Nos primeiros anos da década, o Mac sofreu com a falta de sucessos e a baixa vendagem de seus discos. Ele ficou com a maior parte da responsabilidade de escrever a canções da banda neste período turbulento e incerto, que envolveu tanto uma troca constante de integrantes como mudança no estilo musical. A pressão lhe causou problemas de saúde que convergiram para o alcoolismo; histórias apareceram dele não se alimentar por dias, mantendo-se à base de cerveja. Ele gradualmente afastou-se dos outros membros da banda e a situação chegou ao limite no outono de 1972.[2] Antes de um concerto da excursão norte-americana daquele ano, ele e Bob Welch, o outro guitarrista, tiveram uma discussão sobre a afinação das guitarras e Kirwan teve um acesso de raiva, quebrando sua guitarra e se recusando a subir ao palco. Ao invés disso, ele ficou dos bastidores observando a banda lutando para fazer o show sem ele, e depois ainda fez críticas quanto ao desempenho dela.[3]

Ele teve que ser demitido por Mick Fleetwood, que, até então, era o único dos outros integrantes do Mac que ainda falava com ele.[2]

Pós-Mac[editar | editar código-fonte]

Sem conseguir sucesso em bandas que formou após ser demitido do Mac, nem com a gravação de discos solo, no fim da década de 70 ele teve uma deterioração de sua saúde mental, que passaram a dificultar sua comunicação pessoal, e desde então não mais participou da indústria musical. Casou-se em 1971 e teve um filho, mas divorciou-se pouco tempo depois.[4] Em períodos dos anos 80 e 90, chegou a viver como sem-teto nas ruas de Londres.

Em 1998, ele foi induzido ao Rock and Roll Hall of Fame por seu trabalho como parte do Fleetwood Mac mas não compareceu à cerimônia.

Referências

  1. Notas no CD Booklet The Vaudeville Years, Receiver Records, 1998.
  2. a b "Interview with Mick Fleetwood, John McVie, and Christine McVie". Insight. BBC. novembro, 1976.
  3. Brunning, Bob. Fleetwood Mac: Behind the Masks. London: New English Library, 1990. OCLC 22242160 ISBN 0-450-53116-3
  4. Hogan, Richard. (1979). "Press release for Hello There Big Boy!". DJM Records.