Danton Coelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Danton Coelho (Porto Alegre, 3 de novembro de 1906Rio de Janeiro, 19 de abril de 1961) foi um político brasileiro.

Foi ministro do Trabalho, Indústria e Comércio no governo Getúlio Vargas, de 31 de janeiro a 5 de setembro de 1951.

Apesar de ter sido presidente do PTB até 1951, nas eleições de 1955 liderou uma dissidência de seu partido e se apresentou como candidato a vice-presidente da República na chapa autoproclamada "populista" encabeçada pelo ex-governador de São Paulo, Ademar de Barros.[1] Ficou em terceiro lugar na disputa que sagrou vitoriosa a candidatura de Juscelino Kubitschek (PSD) e João Goulart (PTB). Devido à sua candidatura à vice-presidência, se afastou da diretoria do jornal Última Hora, de Samuel Wainer, onde trabalhou.[2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Marcial Dias Pequeno
Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio do Brasil
1951
Sucedido por
José de Segadas Viana


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Jornal Última Hora, Edição 1314». Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional. 1 de outubro de 1955 
  2. «Jornal Última Hora, Edição 1289». Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional. 2 de setembro de 1955