Dashiell Hammett

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde agosto de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2017)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Dashiell Hammett
Nascimento 27 de maio de 1894
Condado de Saint Mary's, Estados Unidos
Morte 10 de janeiro de 1961 (66 anos)
Nova Iorque, Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americano
Ocupação Escritor e roteirista
Gênero literário Romance policial
Magnum opus O Falcão Maltês (título no Brasil) ou O Falcão de Malta (título em Portugal)

Samuel Dashiell Hammett (Condado de Saint Mary's, 27 de maio de 1894Nova Iorque, 10 de janeiro de 1961) foi um escritor estadunidense, ´considerado o pai do romance policial americano [1], um dos precursores da literatura noir. Entre os personagens mais marcantes, criou os detetives Sam Spade, Nick e Nora Charles e o Continental OP, com o ilustrador Alex Raymond, criou a tira de jornal Agente Secreto X-9.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dashiell Hammett nasceu no Condado de Saint Mary's, Maryland, em 27 de maio de 1894. Frequentou a escola de Baltimore (para onde a família se tinha mudado), mas aos 14 anos teve de começar a trabalhar para ajudar a sustentar a família.

Cresceu na Filadélfia e Baltimore. Abandonou a escola com quatorze anos e passou a trabalhar como mensageiro, entregador de jornal, escriturário, apontador de mão-de-obra e estivador, entre outros empregos. Aos 20 anos, foi trabalhar na Agência Pinkerton de detetives. Em 1918, alistou-se no Corpo de Ambulâncias do Exército. Depois da guerra, com tuberculose, vagou de sanatório em sanatório e voltou à agência Pinkerton, demitindo-se em seguida para se dedicar à literatura. Bebia muito. Suas histórias começaram a ser publicadas em revistas baratas e populares como Black Mask e Smart Set. Imediatamente suas histórias chamaram a atenção do público e da crítica, e ele foi reconhecido como um grande escritor, responsável por uma renovação no gênero policial.

Autor de livros de sucesso, como: Seara Vermelha (1929), O falcão maltês (1930) – sucesso também no cinema, dirigido por John Huston –, A chave de vidro (1930); [null Mulher no escuro] (1933) e Continental OP (1945), e de uma infinidade de contos, Hammett trabalhou regularmente para o cinema em Hollywood. Na década de 30, conheceu a jovem escritora Lillian Hellman, a quem esteve ligado até a morte. Durante a II Guerra, serviu novamente como sargento do exército americano. Homem de esquerda assumido e simpatizante do Partido Comunista Americano, foi vítima da "caça às bruxas" promovida pelo senador Joseph McCarthy no início da década de 50. Recusando-se a colaborar com a comissão que investigava atividades supostamente subversivas na indústria cinematográfica, foi preso e incluído na lista negra que impedia os artistas de trabalharem na indústria cinematográfica. Amargurado e muito doente, Dashiell Hammett morreu a 10 de janeiro de 1961, em Nova York.

Obras[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Dashiell Hammett

References[editar | editar código-fonte]

2 - http://www.lpm.com.br/site/default.asp?TroncoID=805134&SecaoID=948848&SubsecaoID=0&Template=../livros/layout_autor.asp&AutorID=945393

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.