Dasyurus viverrinus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaDasyurus viverrinus
Dasyurus viverrinus.jpg

Estado de conservação
Quase ameaçada
Quase ameaçada
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Infraclasse: Marsupialia
Ordem: Dasyuromorphia
Família: Dasyuridae
Género: Dasyurus
Espécie: D. viverrinus
Nome binomial
Dasyurus viverrinus
(Shaw, 1800)
Distribuição geográfica
Distribuição do Dasyurus viverrinus
Distribuição do Dasyurus viverrinus

Dasyurus viverrinus, também conhecido como Quoll Oriental é uma espécie de marsupial carnívoro da família Dasyuridae. Endêmico da Australásia, foi extinto no continente australiano em 1963, ficando restrito a Tasmânia. É 1 das 6 espécies restantes do gênero Dasyurus.

Características[editar | editar código-fonte]

O Quoll oriental tem geralmente o mesmo tamanho de um gato doméstico, com um macho adulto em média de 60 cm e pesando aproximadamente 1,3 kg. Seu pêlo grosso é coberto por manchas brancas, e varia de um castanho claro a negro, com barriga esbranquiçada. Pode ser distinguido do Gato-tigre por seu corpo esbelto, focinho pontudo e falta de manchas na cauda.

O nome da espécie, viverrinus, indica que é semelhante a doninha. A espécie foi descrita pela primeira vez em 1800 por George Shaw, que colocou no gênero dos gambás Didelphis, juntamente com o outro só então conhecido Quoll, o Gato-tigre.

Hábitos alimentares[editar | editar código-fonte]

É um predador solitário, caçando a noite por presas como insetos e pequenos mamiferos;

Características de reprodução[editar | editar código-fonte]

A época de reprodução começa no início do inverno, a fêmea dá a luz até 30 filhotes. Destes, o primeiro a juntar-se aos seis bicos serão os unicos sobreviventes. O desmame ocorre em cerca de 10 semanas de idade, com a permanência, enquanto filhotes nas forragens da cova da mãe.

Habitat[editar | editar código-fonte]

Vive em savanas, florestas temperadas e florestas tropicais da Tasmânia;

Distribuição Geográfica[editar | editar código-fonte]

Provavelmente sobrevive somente na Tasmânia, antigamente vivia na Austrália Meridional, Nova Gales do Sul e Victoria;

Subespécies[editar | editar código-fonte]

  • Subespécie: Dasyurus viverrinus guttatus? (Desmarest, 1804)

Sinônimo do nome científico da subespécie: Dasyurus guttatus;

Nota: Considerado sinônimo de Dasyurus viverrinus;

Local: Austrália;

  • Subespécie: Dasyurus viverrinus maculatus? (Anon, 1791)

Sinônimo do nome científico da subespécie: Didelphis maculatus;

Nota: Considerado sinônimo de Dasyurus viverrinus;

Local: Porto Jackson, Nova Gales do Sul;

  • Subespécie: Dasyurus viverrinus maugei? (Geoffroy, 1803)

Sinônimo do nome científico da subespécie: Dasyurus maugei;

Nota: Considerado sinônimo de Dasyurus viverrinus;

Local: Tasmânia, Austrália Ocidental;

Referências[editar | editar código-fonte]

  • GROVES, C. P. Order Diprotodontia. In: WILSON, D. E.; REEDER, D. M. (Eds.). Mammal Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference. 3. ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. v. 1, p. 43-70.
Ícone de esboço Este artigo sobre marsupiais, integrado no Projeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.