David Mitchell (escritor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
David Mitchell
Nascimento David Stephen Mitchell
12 de janeiro de 1969 (52 anos)
Ainsdale
Residência Sicília, Hiroshima, Malvern, Ardfield
Cidadania Reino Unido
Alma mater
Ocupação escritor, linguista, romancista, escritor de ficção científica, tradutor, text writer, ator, compositor, roteirista
Prêmios
Obras destacadas Ghostwritten, Number9dream, Cloud Atlas, Black Swan Green, The Thousand Autumns of Jacob de Zoet
Página oficial
http://www.davidmitchellbooks.com/

David Stephen Mitchell (Southport, 12 de janeiro de 1969) é um romancista e roteirista inglês.

Mitchell é autor de nove romances, dois dos quais, number9dream (2001) e Cloud Atlas (2004), foram selecionados para o Booker Prize .Também escreveu artigos para vários jornais, principalmente para o The Guardian, e traduziu vários livros sobre autismo do japonês para o inglês.

Após o lançamento da adaptação para o cinema de Cloud Atlas, em 2012, Mitchell começou a trabalhar como roteirista ao lado de Lana Wachowski, uma das diretoras do filme; junto com Aleksandar Hemon, eles escreveram o final da série de televisão Sense8 e o filme The Matrix 4 , ainda a ser lançado.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Mitchell nasceu em Southport, em Lancashire (hoje Merseyside), na Inglaterra, e foi criado em Malvern, Worcestershire. Ele frequentou a Hanley Castle High School e a University of Kent, onde se formou em literatura inglesa e americana, seguido por um MA em literatura comparada .

Mitchell morou na Sicília por um ano, depois se mudou para Hiroshima, Japão, onde ensinou inglês para estudantes técnicos por oito anos, antes de retornar à Inglaterra, onde poderia viver com seus ganhos como escritor e sustentar sua esposa grávida.[1]

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

O primeiro romance de Mitchell, Ghostwritten (1999), se passa em vários lugares pelo globo, de Okinawa à Mongólia e à Nova York pré-ano 2000, enquanto nove narradores contam histórias que se interligam e se cruzam. O romance ganhou o Prêmio John Llewellyn Rhys (de melhor obra da literatura britânica escrita por um autor com menos de 35 anos) e foi indicado para o prêmio Guardian First Book.[2] Seus dois romances subsequentes, number9dream (2001) e Cloud Atlas (2004), foram ambos selecionados para o Prêmio Man Booker.[3] Em 2003, ele foi selecionado como um dos Melhores Jovens Novelistas Britânicos da revista Granta.[4] Em 2007, Mitchell foi listado entre as 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time.[5]

Em 2012, seu romance Cloud Atlas foi transformado em filme. Um segmento de number9dream foi transformado em um curta-metragem indicado ao BAFTA em 2013, estrelado por Martin Freeman, intitulado The Voorman Problem .[6] Nos últimos anos, ele também escreveu libretos de ópera. Wake, baseado no desastre de fogos de artifício de Enschede em 2000 e com música de Klaas de Vries, foi realizado pela Dutch Nationale Reisopera em 2010.[7] Também terminou outra ópera, Sunken Garden, com o compositor holandês Michel van der Aa, estreada em 2013 pela English National Opera .[8]

Várias das capas dos livros de Mitchell foram criadas pela dupla de designers Kai e Sunny.[9] Mitchell também colaborou com a dupla, contribuindo com dois contos para suas exposições de arte em 2011 e 2014.

O sexto romance de Mitchell, The Bone Clocks, foi publicado em 2 de setembro de 2014.[10] Em uma entrevista para The Spectator, Mitchell disse que o romance tem "doses de fantástico nele" e é sobre "coisas entre a vida e a morte".[11] The Bone Clocks foi selecionado para o Man Booker Prize de 2014 .[12]

Mitchell foi o segundo autor a contribuir para o Future Library Project e entregou seu livro From Me Flows What You Call Time em 28 de maio de 2016.[13][14]

Utopia Avenue, o nono romance de Mitchell, foi publicado em 14 de julho de 2020.[15] Utopia Avenue conta a "história não expurgada" de uma banda britânica de mesmo nome, que emergiu da cena psicodélica de Londres em 1967 e foi "liderada pelo cantor folk Elf Holloway, o semideus da guitarra Jasper de Zoet e o baixista de blues Dean Moss", disse a editora Scepter .[16]

Outros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Em 2015, Mitchell contribuiu com a trama e cenas do script para a segunda temporada da série da Netflix Sense8, das Wachowskis, que adaptaram seu romance Cloud Atlas para o cinema.[17] Mitchell assinou um contrato para escrever a terceira temporada antes que a Netflix cancelasse o programa.[18] Ele escreveu o especial final da série com Lana Wachowski e Aleksandar Hemon .[19]

Em agosto de 2019, foi anunciado que Mitchell continuaria sua colaboração com Lana Wachowski e Hemon no quarto filme da série Matrix, escrevendo o roteiro com eles.[20]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Depois de outra passagem pelo Japão, Mitchell atualmente mora com sua esposa, Keiko Yoshida, e seus dois filhos em Ardfield, Clonakilty em County Cork, Irlanda.[21] Em um ensaio para a Random House, Mitchell escreveu: [22] "Eu sabia que queria ser escritor desde criança, mas até vir para o Japão para morar em 1994, eu me distraia facilmente demais para fazer muito a respeito. Eu provavelmente teria me tornado um escritor onde quer que vivesse, mas teria me tornado o mesmo escritor se tivesse passado os últimos seis anos em Londres, ou na Cidade do Cabo, ou em Moose Jaw, em uma plataforma de petróleo ou no circo? Esta é a minha resposta para mim mesmo. "

Mitchell tem o distúrbio de fala da gagueira[23] e considera o filme The King's Speech (2010) um dos retratos mais precisos do que é ser gago: "Eu provavelmente ainda estaria evitando o assunto hoje se eu não tivesse me revelado escrevendo um romance semi-autobiográfico, Black Swan Green, narrado por um garoto gago de 13 anos. " Mitchell também é patrono da British Stammering Association .[24]

O filho de Mitchell é autista. Em 2013, ele e sua esposa Keiko Yoshida traduziram um livro que eles alegaram ter sido escrito por Naoki Higashida, um garoto japonês de 13 anos com autismo, intitulado The Reason I Jump: One Boy's Voice from the Silence of Autism .[25] Em 2017, Mitchell e sua esposa traduziram a sequência, que eles também alegaram ter sido escrito por Higashida, Fall Down 7 Times Get Up 8: A Young Man's Voice from the Silence of Autism.[26] Pesquisadores suspeitam de que ele mesmo escreveu o livro, com o psicólogo Jens Hellman afirmando que os relatos de Higashida "se parecem com o que eu consideraria muito próximo do sonho dos pais de uma criança autista".[27]


Lista de obras[editar | editar código-fonte]

Romances

  • Ghostwritten (1999)
  • number9dream (2001)
  • Cloud Atlas (2004)
  • Black Swan Green (2006)
  • The Thousand Autumns of Jacob de Zoet (2010)
  • The Bone Clocks (2014)
  • Slade House (2015)
  • From Me Flows What You Call Time (2016)
  • Utopia Avenue (2020)

Contos

  • "January Man", Granta 81: Best of Young British Novelists, Spring 2003
  • "What You Do Not Know You Want", McSweeney's Enchanted Chamber of Astonishing Stories, Vintage Books (Random House), 2004
  • "Acknowledgments", Prospect, 2005
  • "Preface", The Daily Telegraph, April 2006
  • "Dénouement", The Guardian, May 2007
  • "Judith Castle", New York Times, January 2008
  • "An Inside Job", Included in "Fighting Words", edited by Roddy Doyle, published by Stoney Road Press, 2009 (Limited to 150 copies)[28]
  • "The Massive Rat", The Guardian, August 2009
  • "Character Development", The Guardian, September 2009
  • "Muggins Here", The Guardian, August 2010
  • "Earth calling Taylor", Financial Times, December 2010
  • "The Siphoners", Included in "I'm With the Bears: Short Stories from a Damaged Planet", 2011
  • "The Gardener", in the exhibit "The Flower Show" by Kai and Sunny, 2011 (Limited to 50 copies)
  • "Lots of Bits of Star", in the exhibit "Caught by the Nest" by Kai and Sunny, 2013 (Limited to 50 copies)
  • "Variations on a Theme by Mister Donut", Granta 127: Japan, Spring 2014
  • "The Right Sort", Twitter, 2014
  • "A Forgettable Story", Cathay Pacific Discovery, July 2017
  • "If Wishes Was Horses", The New York Times Magazine, July 2020

Libreto para ópera

Artigos

  • "Japan and my writing", Essay
  • "Enter the Maze", The Guardian, 2004
  • "Kill me or the cat gets it", The Guardian, 2005 (Book review of Kafka on the Shore)
  • "Let me speak", British Stammering Association, 2006
  • "On historical fiction", The Telegraph, 2010
  • "Adventures in Opera", The Guardian, 2010
  • "Imaginary City", Geist, 2010
  • "Lost for words", Prospect Magazine, 2011
  • "Learning to live with my son's autism", The Guardian, 2013
  • "David Mitchell on Earthsea – a rival to Tolkien and George RR Martin", The Guardian, 23 October 2015
  • "Kate Bush and me: David Mitchell on being a lifelong fan of the pop poet". The Guardian, 7 December 2018[29]

Outros

  • "The Earthgod and the Fox", 2012 (tradução de um conto de Kenji Miyazawa; tradução impressa na edição 42 de McSweeney, 2012)
  • The Reason I Jump: One Boy's from the Silence of Autism, 2013 (tradução do trabalho de Naoki Higashida )
  • " Before the Dawn ", 2014 (com Kate Bush, co-escreveu duas cenas faladas durante a sequência The Ninth Wave nesta produção ao vivo).[30]
  • Fall Down 7 Times Get Up 8, 2017 (tradução do trabalho de Naoki Higashida )
  • "Amor Vincit Omnia", 2018; Episódio de Sense8[31][32]
  • The Matrix 4

Referências

  1. Begley, Interviewed by Adam (2010), «David Mitchell, The Art of Fiction No. 204», The Paris Review, Summer 2010 (193) 
  2. Gibbons, Fiachra (6 de novembro de 1999). «Readers pick top Guardian books». The Guardian. London 
  3. «Man Booker Prize Archive». Cópia arquivada em 6 de janeiro de 2012 
  4. Mitchell, D. (2003). «Best of Young British Novelists 2003: The January Man». Granta. Cópia arquivada em 7 de setembro de 2012 
  5. «The Transformative Experience of Writing for "Sense8"». The New Yorker. 1 de maio de 2010. Consultado em 27 de setembro de 2017 
  6. «Link to video» 
  7. David Mitchell (8 de maio de 2010). «Article by Mitchell describing how he became involved in Wake». Guardian. London. Consultado em 28 de agosto de 2013 
  8. «Details of Sunken Garden from Van der Aa's official website». Vanderaa.net. 9 de junho de 2013. Consultado em 28 de agosto de 2013 
  9. "Kai and Sunny: Publishing"
  10. «New David Mitchell novel out next autumn». The Bookseller. 26 de novembro de 2013. Consultado em 28 de novembro de 2013 
  11. «Interview with a writer: David Mitchell». The Spectator. 25 de janeiro de 2013. Consultado em 27 de janeiro de 2013 
  12. Flood, Alison (30 de maio de 2016). «David Mitchell buries latest manuscript for a hundred years». the Guardian. Consultado em 21 de janeiro de 2018 
  13. «David Mitchell is the Second Author to Join the Future Library Project of 2114». Tor.com (em inglês). 31 de maio de 2016. Consultado em 21 de janeiro de 2018 
  14. «The Future Library Project: In 100 years, this forest will be harvested to print David Mitchell's latest work». CBC Radio (em inglês). Consultado em 21 de janeiro de 2018 
  15. Mitchell, David (2 de junho de 2020). Utopia Avenue. [S.l.: s.n.] ISBN 9781444799446 
  16. Flood, Alison (26 de setembro de 2019). «David Mitchell announces Utopia Avenue, his first novel in five years». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 24 de junho de 2020 
  17. «'Sense8': Production begins on Netflix special». EW.com (em inglês). Consultado em 21 de janeiro de 2018 
  18. Hemon, Aleksandar (27 de setembro de 2017). «The Transformative Experience of Writing for "Sense8"». The New Yorker. ISSN 0028-792X. Consultado em 27 de setembro de 2017 
  19. Miller, Liz Shannon (26 de setembro de 2017). «'Sense8' Series Finale Special: Writers, Potential Locations Revealed | IndieWire». www.indiewire.com (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2017 
  20. Kroll, Justin (20 de agosto de 2019). «'Matrix 4' Officially a Go With Keanu Reeves, Carrie-Anne Moss and Lana Wachowski». Variety. Consultado em 20 de agosto de 2019 
  21. Olson, Danel (inverno de 2018). «David Mitchell». Weird Fiction Review: 384–404 
  22. «Bold Type: Essay by David Mitchell». Randomhouse.com. Consultado em 28 de agosto de 2013 
  23. "Lost for words", David Mitchell, Prospect magazine, 23 February 2011, Issue #180
  24. «Black Swan Green revisited». British Stammering Association. Speaking Out. Primavera de 2011. Consultado em 30 de junho de 2011. Cópia arquivada em 16 de outubro de 2011 
  25. Tisdale, Sallie (23 de agosto de 2013). «Voice of the Voiceless». New York Times. Consultado em 1 de setembro de 2013 
  26. Doherty, Mike (13 de julho de 2017). «David Mitchell on translating—and learning from—Naoki Higashida». Macleans 
  27. Block, Stefan Merrill (3 de abril de 2018). «What is the Writer's Responsibility To Those Unable to Tell Their Own Stories?». Literary Hub. Consultado em 21 de julho de 2019 
  28. Day, Elizabeth (11 de março de 2012). «Roddy Doyle: the joy of teaching children to write». The Guardian. Consultado em 25 de abril de 2018 
  29. Mitchell, David (7 de dezembro de 2018). «Kate Bush and me: David Mitchell on being a lifelong fan of the pop poet». The Guardian 
  30. «Author David Mitchell on working with 'hero' Kate Bush» 
  31. Fabiana Bianchi (2 de outubro de 2017). «Sense8 a Napoli, svelato il titolo dell'attesa puntata finale girata in città». Napolike (em Italian). Consultado em 7 de outubro de 2017. Cópia arquivada em 7 de outubro de 2017 
  32. Aleksandar Hemon (27 de setembro de 2017). «The Transformative Experience of Writing for "Sense8"». The New Yorker. Condé Nast. Consultado em 27 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 27 de setembro de 2017 

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • “O mundo começa sua vez com você, ou como pensam os romances de David Mitchell”. Em B. Schoene. O romance cosmopolita . Edimburgo: Edimburgo University Press, 2009.
  • Dillon, S. (ed. ) David Mitchell: Ensaios críticos . Kent: Gylphi, 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]