De Havilland Hercules

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo está a ser traduzido de «De Havilland Hercules» na Wikipédia em inglês (desde julho de 2019). Ajude e colabore com a tradução.
DH.66
de Havilland Hercules
Avião
de Havilland Hercules da Imperial Airways.
Descrição
Tipo / Missão Avião comercial
País de origem  Reino Unido
Fabricante de Havilland Aircraft Company
Quantidade produzida 11
Primeiro voo em 30 de setembro de 1926 (92 anos)
Introduzido em 1926
Aposentado em 1942
Tripulação 3 (DH.66A)
Passageiros 7
Especificações (Modelo: DH.66A)
Dimensões
Comprimento 17,08 m (56,0 ft)
Envergadura 24,24 m (79,5 ft)
Altura 5,56 m (18,2 ft)
Área das asas 143,7  (1 550 ft²)
Alongamento 4.1
Peso(s)
Peso vazio 4 110 kg (9 060 lb)
Peso máx. de decolagem 7 076 kg (15 600 lb)
Propulsão
Motor(es) 3 x motores radiais Bristol Jupiter VI
Potência (por motor) 420 hp (313 kW)
Performance
Velocidade máxima 208 km/h (112 kn)
Alcance (MTOW) 845 km (525 mi)
Teto máximo 3 990 m (13 100 ft)
Razão de subida 3,2 m/s

O De Havilland DH.66 Hercules foi um avião de passageiros trimotor da década de 1920, construído pela De Havilland Aircraft Company.

Contexto histórico[editar | editar código-fonte]

Em 1924 a British Airlines fundiu-se para formar a Imperial Airways. Em 1927 a Imperial tomou conta da rota do Cairo até Karachi, e era necessário um novo avião para esta tarefa. Assim, foi desenhado especificamente para esta rota – o DH.66 Hercules (G-EBMW nomeado mais tarde de “Cidade do Cairo” pelo rei Faud de Egipto).

A produção deste modelo de avião comercial revelou ser uma magistrosa meta atingida pela Inglaterra na década de 20. O DH.66 Hercules esteve mais de 10 anos em serviços e o último avião construído serviu a África do Sul até 1943. Para além de serviços de correio áero, o modelo desempenhou diversas tarefas, desde passeios de diversão a transporte de 14 passageiros pela Austrália e até o lançamento de poeiras arsénicas em missões de forças aéreas na II Guerra Mundial.

Factos[editar | editar código-fonte]

  • Em 1926 uma revista lançou o concurso para a nomeação do avião - “Hercules” foi a escolha;
  • No total foram onze os DH.66 construídos na pista De Havilland – Middlesex;
  • Três motores foram incluídos para minimizar perdas de poder nas descolagens/aterragens;
  • Em 1942, um avião DH.66 comprado pela Austrália foi destruído por forças Japonesas na Nova Guiné;
  • Três aviões foram vendidos à África do Sul para completar serviços de correio em toda a África durante a II Guerra Mundial;
  • Apesar de ser projectado especificamente para o Cairo à rota de Karachi, o DH.66 foi requisitado por diversos países e desempenhou serviços no Médio Oriente, África, Ásia, Austrália e Nova Zelândia;
  • A missão de enviar o correio por meio aéreo estabeleceu uma alternativa definitiva relativamente aos meios aquáticos ou terrestres existentes;
  • O quinquagésimo aniversário foi comemorado em 1981 pela introdução de dois selos Australianos, que descrevem um selo de 1931 emitido para comemorar os voos de Charles Kingsford Smith.

Operadores[editar | editar código-fonte]

Ficha Técnica[editar | editar código-fonte]

De Havilland DH.66
  • Tipo de modelo: Linha aérea de médio alcance
  • Central Eléctrica: 3 Motores radiais do modelo Bristol Jupiter VI (1 motor no nariz e outros 2 nas asas inferiores), com 313 kW de potência e refrigeração de ar a 9 cilindros
  • Velocidade máxima: Aproximadamente 206 km/h
  • Velocidade de cruzeiro: Até 177 km/h
  • Taxa de escalada inicial: Até 233 m/min
  • Serviço de manutenção da bateria: Aos 3962 metros
  • Dimensões
    • Extensão 24,23 m
    • Comprimento 16,92 m
    • Altura 5,56 m
    • Área da asa 143.7m2
  • Peso: Vazio até 4110 kg. Máximo para descolagem até 7103 kg
  • Ailerons: somente nos planos inferiores
  • Capacidade: 3 Grupos: 2 pilotos, 7 passageiros e correio até 13.2 m
  • Asas: 2 Asas com caixas de madeira espaçadas e reforços requintados
  • Fuselagem: Construção rectangular em aço tubular com 2 grandes caixas de madeira compensadas e suspendidas para dentro, dando a forma ao compartimento da cabine/bagagem
  • Cor: Todo revestido em prata
  • Cauda: Cauda grande do biplano com 3 telas, abaixo destas, um patim suporta a fuselagem traseira. Elevadores situados na superfície inferior onde três planos interconectam as duas superfícies com três lemes

Ver também[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento relacionado
Aeronave de comparável missão, configuração e era

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • WINCHESTER Jim, em «The Aviation Factfile, Biplanes, Triplanes & Seaplanes», 2004

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.