Deathcore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Deathcore
Origens estilísticas Death metal, metalcore, hardcore punk
Contexto cultural Meio da década de 1990 a início de 2000, Estados Unidos
Instrumentos típicos Vocal, Guitarra, Baixo, Bateria
Popularidade Moderada, a partir de 2000
Formas regionais
Alemanha - Canadá - Estados Unidos - Reino Unido

Deathcore é uma fusão de estilos musicais que combina elementos do death metal com elementos do metalcore ou hardcore punk, ou ambos.[1][2][3][4][5] Ele é definido por um uso "excessivo" de riffs do death metal, metrancas e uso dos breakdowns do metalcore/hardcore punk.[6][7] Deathcore parece ter maior destaque dentro do sudoeste dos Estados Unidos, especialmente no Arizona e no sul do interior da Califórnia (mais notavelmente o Coachella Valley), que é o lar de muitas bandas notáveis ​​e vários festivais.[8][9][10]

Características[editar | editar código-fonte]

Os tradicionais guturais e grunhidos são comuns,[6] vocais limpos são muito raros, e são presentes apenas em certas ocasiões de músicas selecionadas. Deathcore é definido por breakdowns, metrancas e riffs do death metal.[6] Algumas bandas também incorporam solos de guitarra e riffs melódicos semelhantes aos de metalcore.[11] Como em outros gêneros de metal extremo, os guitarristas de deathcore afinam suas guitarras em uma afinação mais baixa e/ou usam guitarras de sete cordas para alcançar um timbre mais pesado.

História[editar | editar código-fonte]

O termo Deathcore se originou no meio de 1990. Em 1996, Nick Terry da revista Terrorizer escreveu: "Nós provavelmente vamos resolver sobre o termo Deathcore para descrever os gostos de Earth Crisis (assim como o mais NYHC-ish mas ainda como o Deathly Merauder)".[12]

A revista Decibel escreveu que a banda veterana de death metal Suffocation foram uma das principais inspirações para o surgimento do gênero, escrevendo: "Uma das marcas do Suffocation, breakdowns, gerou um subgênero do metal inteiro:. Deathcore."[13]

Lista de bandas de deathcore[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. allmusic.com Alex Henderson: "What is deathcore? ...it's essentially metalcore... Drawing on both death metal and hardcore..."
  2. Rivadavia, Eduardo. «Heaven Shall Burn». AllMusic. Rovi Corporation. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  3. Henderson, Alex. «Burning Skies». AllMusic. Rovi Corporation. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  4. Gorania, Jay H. «Despised Icon - 'Day Of Mourning'». About.com. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  5. Henderson, Alex. «Desolation of Eden». AllMusic. Rovi Corporation. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  6. a b c Lee, Cosmo. «Doom». AllMusic. Rovi Corporation. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  7. Marsicano, Dan. «Rose Funeral - 'The Resting Sonata'». About.com. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  8. Official SoCal DeathFest banner - held in Santa Ana, California
  9. roadrunnerrecords.com "Ferret Music has announced the signing of ELYSIA. The California-based deathcore outfit is composed of Zak Vargas (vocals), Mark Underwood (guitar), Steven Sessler (drums), Danny Lemonsqueeze (guitar) and Jeremy Chavez (bass) and formed four years ago"
  10. pyromusic.net Spiritech: "..., meet Californian quintet Suicide Silence, who have just released their debut album, 'The Cleansing'."
  11. lambgoat.com "This is deathcore. This is what happens when death metal and hardcore, along with healthy doses of other heavy music styles, are so smoothly blended..."
  12. Terry, Nick (December 1996). "So, Did Earth Crisis Move You?". Terrorizer#37, page 23. ISBN 9-771350-697035.
  13. Lee, Cosmo (2009). Suffocation reclaim their rightful place as kings of death metal. Decibel Magazine. One of Suffocation’s trademarks, breakdowns, has spawned an entire metal subgenre: deathcore 
  14. Sharpe-Young, Garry. «The Acacia Strain». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  15. Sharpe-Young, Garry. «A Different Breed of Killer». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  16. Freeman, Phil. «In Dreams review». Allmusic. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  17. Rivadavia, Eduardo. «The Agony Scene». Allmusic. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  18. Bowar, Chad. «All Shall Perish - Awaken the Dreamers Review». About.com. The New York Times Company. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  19. a b c d e f g h i j k Wiederhorn, Jon (2008). Dawn of the Deathcore. Revolver. Future US. pp. pp. 63–66. ISSN 1527-408X. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  20. Sharpe-Young, Garry. «Arsonists Get All the Girls». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  21. Born, R and Sharpe-Young, Garry. «Asesino». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  22. «Betraying The Martyrs – Breathe In Life». thenewreview. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  23. Alisoglu, Scott. «The New Reign review». Blabbermouth. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  24. Rivadavia, Eduardo. «Caliban > Biography». Allmusic. Macrovision. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  25. Henderson, Alex. «Desolation of Eden review». Allmusic. Macrovision. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  26. Sharpe-Young, Garry. «The Concubine». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  27. Van Horn Jr., Ray. «Guardians review». About.com. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  28. Sharpe-Young, Garry. «Cryptopsy». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  29. Sharpe-Young, Garry. «Dance Club Massacre». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  30. Sharpe-Young, Garry. «Dead Man in Reno». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  31. Caraeff, Ezra. «Is Design the Skyline the Worst Band in the History of Music?». End Hits. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  32. Rheenen, Erik van. «Design the Skyline: Nevaeh». Mind Equals Blown. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  33. «Design The Skyline fire bassist». Sputnikmusic. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  34. Rivadavia, Eduardo. «Elysia > Biography». Allmusic. Macrovision. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  35. Sharpe-Young, Garry. «Eternal Lord». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  36. Sharpe-Young, Garry. «Frontside». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  37. Sharpe-Young, Garry. «Glass Casket». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  38. Rivadavia, Eduardo. «Earthsblood > Review». Allmusic. Macrovision. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  39. Amos, Luke (June 29, 2010), "Impending Doom - There Will be Violence", The NewReview, http://thenewreview.net/reviews/impending-doom-there-will-be-violence, visitado em 2012-10-20 
  40. «In the Midst of Lions». Jesus Freak Hideout. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  41. Sharpe-Young, Garry. «Killwhitneydead». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  42. Sharpe-Young, Garry. «Knights of the Abyss». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  43. Sharpe-Young, Garry. «Malefice». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  44. Rivadavia, Eduardo. «When Worlds Collide > Review». Allmusic. Macrovision. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  45. Rivadavia, Eduardo. «Mendeed > Biography». Allmusic. Macrovision. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  46. Sharpe-Young, Garry. «Molotov Solution». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  47. Sharpe-Young, Garry. «Mortal Treason». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  48. Sharpe-Young, Garry. «My Bitter End». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012  [ligação inativa]
  49. Sharpe-Young, Garry. «Nights Like These». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  50. Rivadavia, Eduardo. «Depths review». Allmusic. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  51. Sharpe-Young, Garry. «The Red Death». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  52. Sharpe-Young, Garry. «The Red Shore». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  53. Bowar, Chad. «Salt the Wound - Carnal Repercussions Review». About.com. The New York Times Company. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  54. Sharpe-Young, Garry. «See You Next Tuesday». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  55. Sharpe-Young, Garry. «Shot Down Sun». MusicMight. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  56. Rivadavia, Eduardo. «From sacrifice to Survival review». Allmusic. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  57. Begrand, Adrien (7 de Setembro de 2006). «Blood and Thunder: Notes from Underground». PopMatters. Consultado em 20 de outubro de 2012. South Carolina's Through the Eyes of the Dead got things going in earnest with a workmanlike set suitable for an opening act, and while such deathcore exercises as 'Two Inches from a Main Artery' and 'Beneath Dying Skies' combined Cannibal Corpse-style blasting with the melodic intricacy of Morbid Angel, lead screamer Anthony Gunnels lacked both range and power. 
  58. http://www.sludgefactory.com.au/thy-art-murder-deathcore’s-immortal-soldiers
  59. «Metal Monday: The Tony Danza Tapdance Extravaganza – Danza III: A Series of Unfortunate Events [Review]». OurStage. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  60. Heaney, Gregory. «Upon a Burning Body». Allmusic. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  61. Slessor, Dan. «Alternative Press | Reviews». Alternative Press. Consultado em 20 de outubro de 2012  Texto " Upon a Burning Body - Red. White. Green." ignorado (ajuda)
  62. Gregory Heaney. «Veil of Maya [id] review». Consultado em 5 April 2010  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  63. Sharpe-Young, Garry. «We Are the End». Consultado em 20 de outubro de 2012 
  64. «WE BUTTER THE BREAD WITH BUTTER - Summer Breeze Open Air 2012». Summer Breeze. Consultado em 20 de outubro de 2012 
  65. Angle, Brad. «Death Squad: The Deathcore Round-Up». Guitar World. Consultado em 20 de outubro de 2012