Declaração CONSEGI

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Declaração CONSEGI (CONSEGI Declaration) foi uma declaração conjunta entre representantes da África do Sul, Brasil, Cuba, Equador, Paraguai e Venezuela em 1 de julho de 2008 durante a primeira edição do CONSEGI.

Na declaração, os representantes registraram seu desapontamento sobre os apelos de vários de seus organismos nacionais de ISO/IEC terem sido ignorados pelos painéis de corpos técnicos da ISO e IEC na Padronização do Office Open XML,[1] e os criticam pela sua "inabilidade de seguir suas próprias regras". Como consequência, os assinantes declararam que iriam reavaliar a credibilidade do ISO/IEC, e que não iriam mais considerar que padrões ISO sejam automaticamente válidos para uso governamental.

Uma das consequências foi que o Governo Federal passou a utilizar o formato ODT na esfera do governo eletrônico, contrariando a ISO/IEC após a mesma admitir o formato OXML (Microsoft Office XML) como formato de documento para interoperabilidade em nível mundial.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Queiroz, Luiz (27 de agosto de 2008). «Governo assina protocolo para o uso do padrão ODF nos documentos oficiais». Convergência Digital. Consultado em 26 de julho de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre software livre é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.