Deco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outros significados, veja Deco (desambiguação).
Deco
Deco
Deco em 2018, durante um jogo comemorativo
Informações pessoais
Nome completo Anderson Luís de Souza
Data de nasc. 27 de agosto de 1977 (44 anos)
Local de nasc. São Bernardo do Campo
São Paulo, Brasil
Nacionalidade brasileiro
português
Altura 1,74 m
destro
Apelido Mago
Mágico
Maestro
O Malabarista
Art-Deco
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição meio-campista
Clubes de juventude
1995–1996
1996
Corinthians
Nacional-SP
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1996–1997
1997
1997–1998
1997–1998
1998–1999
1999–2004
2004–2008
2008–2010
2010–2013
Corinthians
CSA (emp.)
Benfica
Alverca (emp.)
Salgueiros (emp.)
Porto
Barcelona
Chelsea
Fluminense
{{{jogos(golos)}}}
Seleção nacional
2003–2010 Portugal {{{partidasselecao}}}

Anderson Luís de Souza (São Bernardo do Campo, 27 de agosto de 1977), mais conhecido como Deco, é um ex-futebolista brasileiro naturalizado português que atuava como meio-campista.

Iniciando a sua carreira no Brasil, brilhou no futebol vestindo as camisas do Futebol Clube do Porto, do Barcelona e do Chelsea, tendo vencido duas Liga dos Campeões da UEFA e uma Copa da UEFA. Além disso, foi considerado o melhor jogador da Europa na temporada 2003–04. Seu último clube foi o Fluminense. Anunciou sua aposentadoria na manhã do dia 26 de agosto de 2013. "Fisicamente poderia jogar, mas os meus músculos não suportam mais", declarou.[1][2] Despediu-se do futebol num amistoso entre Porto de 2004 e Barcelona de 2006, times pela qual teve destaque. O jogo foi realizado no Estádio do Dragão, estádio pertencente ao Porto, clube do seu coração, no dia 25 de julho de 2014. Deco jogou pelos dois times ao decorrer da partida e marcou um gol para cada, no jogo que terminou em 4 a 4.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Mudou-se ainda pequeno para o município de Indaiatuba, no interior de São Paulo, onde deu seus primeiros passos no futebol.[4] Iniciou sua carreira nas divisões de base do Guarani de Campinas, passando depois por vários clubes paulistas, dentre eles: Juventus da Mooca, Nacional da Barra Funda, transferindo-se ainda nas divisões de base para o Corinthians, onde brilhou. Depois, foi transferido a Maceió, onde jogou no CSA de Alagoas, sendo negociado pelo Corinthians de Alagoas com o Corinthians de São Paulo, para em seguida ser vendido ao futebol europeu.[5]

Alverca e Salgueiros[editar | editar código-fonte]

Chegou a Portugal através do Benfica, que o contratou junto ao Corinthians-AL. No entanto, nunca chegou a jogar pelo Encarnados. Foi no Alverca que mostrou o seu futebol, vindo a confirmar, posteriormente, o seu talento ao mais alto nível no Salgueiros. Após grandes exibições pelo clube portuense, acabaria despertando o interesse do Porto pela sua contratação.

Porto[editar | editar código-fonte]

Viria a brilhar no Porto,[6] onde ajudou este a vencer três Campeonatos Nacionais, uma Copa da UEFA, uma Liga dos Campeões da UEFA, três Taças de Portugal e ainda três Supertaças Cândido de Oliveira. Ficou conhecido com o apelido de Mágico, pelas suas jogadas geniais no meio-campo do Porto e da Seleção Portuguesa.[7]

No Porto, os torcedores (ou adeptos) portistas homenageavam-no com uma música:

Na sua última temporada ao serviço do Porto, Deco foi considerado pela UEFA como o melhor jogador da Europa.[9]

Barcelona[editar | editar código-fonte]

Deco atuando pelo Barcelona

Tinha recebido numerosas e milionárias ofertas de clubes como o Portsmouth e o Chelsea. No entanto, Deco aceitou a oferta feita pelo Barcelona, inferior economicamente, mas que era melhor pelo projeto esportivo, e porque disse que sempre teve simpatia pelo clube e pela cidade.[10] Foi então feita a troca de Ricardo Quaresma (naquela temporada jogador do Barcelona) por Deco, mais 15 milhões de euros pagos pelo Barcelona ao Porto.[11]

Logo Deco conquistou a titularidade na que é considerada uma das melhores equipes do mundo e ganhou o estatuto de estrela, juntamente com o brasileiro Ronaldinho Gaúcho e o camaronês Samuel Eto'o.[12]

Em 2006, ajudou o Barcelona a conquistar a Liga dos Campeões da UEFA, chegando assim a Copa do Mundo de Clubes da FIFA. Teve uma ótima atuação no primeiro jogo, marcando um gol e levando a sua equipe à final contra o Internacional. Também jogou muito bem neste jogo, mas não pode segurar a derrota para o Inter. Como prêmio pelas duas ótimas atuações Deco foi premiado Melhor Jogador do Campeonato com a Bola de Ouro. A Bola de Prata (2° melhor jogador) foi para Iarley, e a Bola de Bronze (3° melhor jogador) foi para seu companheiro de equipe Ronaldinho Gaúcho, que no dia seguinte ficou em terceiro na atribuição do prêmio da FIFA Ballon d'Or.[13]

No final da temporada 2007–08, e em consequência do seu decréscimo de rendimento esportivo, Deco não teve seu contrato renovado pelo Barcelona, muito também por culpa dos torcedores blaugranas que exigiram a saída do luso-brasileiro.[14]

Chelsea[editar | editar código-fonte]

Após a Euro 2008, o Chelsea anunciou a contratação do meio-campista no dia 30 de junho. O clube inglês pagou 10 milhões de euros pelo jogador, que assinou um contrato válido por dois anos.[15]

Marcou seu primeiro gol pelos Blues logo na sua estreia, no dia 17 de agosto, na goleada por 4 a 0 contra o Portsmouth.[16]

Depois de um bom início de temporada em Stamford Bridge, foi perdendo espaço na equipe e falou-se muito na sua saída, principalmente para o Brasil; o próprio jogador pareceu sempre tentado em regressar à terra natal quando se viu perdendo espaço nos Blues. Após a Copa do Mundo FIFA de 2010 ele foi liberado pelo Chelsea, transferindo-se para o Fluminense.[17][18]

Fluminense[editar | editar código-fonte]

2010[editar | editar código-fonte]

Deco com o Fluminense em 2013
Deco com o Fluminense em 2013

No dia 7 de agosto de 2010, após uma longa negociação, Deco conseguiu ser liberado por seu clube para, enfim, ser anunciado pelo Fluminense.[19][20] O jogador foi apresentado no dia 9 de agosto e recebeu a tradicional camisa 20.

Sua estreia foi contra o Vasco da Gama, em partida válida pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. O camisa 20 entrou aos 29 minutos do segundo tempo e teve uma boa atuação.[21] Já o seu primeiro gol com a camisa tricolor aconteceu dois jogos depois, contra o São Paulo, no empate por 2 a 2 na 17ª rodada do Brasileirão.[22] Durante o resto do ano, as lesões em série o atrapalharam a se firmar no time, que acabou terminando campeão da competição.

2011[editar | editar código-fonte]

Em 2011 não conseguiu uma sequência de jogos no estadual devido a uma nova lesão, que também o tirou dos três primeiros jogos da Copa Libertadores da América. Mas na sua estreia na competição, saiu do banco e foi responsável direto pela vitória de virada do Tricolor por 3 a 2 contra o América do México, com uma assistência e um gol marcado aos 42 minutos do segundo tempo, o que manteve o time vivo na competição.[23]

No segundo semestre, Deco conseguiu uma boa sequência de jogos no Fluminense durante o retorno do Brasileirão, sendo fundamental na boa campanha que garantiu uma arrancada ao 3º lugar na competição. Renovou o contrato por mais um ano e declarou amor ao clube, além de alcançar o Top 5 de melhores meias do Troféu Armando Nogueira, ganhando também o prestígio da torcida.[24]

2012[editar | editar código-fonte]

Deu cinco assistências nos dois jogos entre a 5º e 6º rodada em 16 de junho e 24 de junho, nos jogos contra o Atlético Goianiense e Portuguesa, os dois em vitórias por 4 a 1 fora e dentro de casa.[25][26][27] Nesse ano Deco fez um gol no Brasileirão, na vitória por 4 a 1 sobre o Atlético Goianiense, fez três gols no Campeonato Carioca contra o Vasco, Boavista e Macaé, e um gol na Copa Libertadores da América contra o Boca Juniors, na vitória por 2 a 1.[28][29]

No dia 30 de setembro, após uma cobrança de escanteio, Deco lançou a bola para Fred, com um toque de bico e Fred mandou de voleio e a bola entrou, marcando o gol da vitória tricolor por 1 a 0, naquele que foi o segundo Fla-Flu do ano.[30] Recebeu uma homenagem do seu ex-clube o Barcelona em 16 de dezembro, na partida contra o Atlético de Madrid.[31][32]

2013[editar | editar código-fonte]

Envolveu-se, em maio, em um episódio referente a doping, pendente de julgamento definitivo.[33] A defesa de Deco apostou na ficha limpa do veterano jogador, e no fato de os complexos vitamínicos utilizados pelo atleta poderem sofrer contaminação. As doses das substâncias hidroclorotiazida e carboxi-tamoxifeno encontradas teriam sido muito pequenas para trazer algum benefício ao atleta.[34]

O Tribunal chegou a falar em "inocência" de Deco, porém destacou que, ao utilizar medicamentos manipulados, o jogador incorreu no risco de contaminação. Deco pegou uma suspensão de 30 dias, mas ficou livre para voltar a jogar.[35] O jogador cumpriu os 30 dias no período de suspensão preventiva antes do julgamento. Assim, esteve apto a retornar junto ao Fluminense no recomeço do Brasileiro após o término da Copa das Confederações FIFA.[36]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Encerrou sua carreira e anunciou sua aposentadoria no dia 26 de agosto de 2013.[2][37] Aos 34 anos e com problemas físicos, Deco vinha atuando em menos da metade dos jogos do Fluminese.[38][39]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Deco atuando pela Seleção Portuguesa

Deco estava elegível para representar Portugal. Em 2002, depois de seis anos em Portugal ao serviço de vários clubes portugueses, obteve dupla cidadania. Ao fim de poucos meses, com discordância do público e até vários jogadores da Seleção e clubes, Deco acabaria por ser convocado pela primeira vez para representar a Seleção das Quinas, por coincidência, para um amistoso contra a Seleção Brasileira. O luso-brasileiro marcou o gol vitorioso através de um tiro livre, que deu a vitória a Portugal por 2 a 1. Foi então a primeira vitória portuguesa contra ao Brasil desde a Copa do Mundo FIFA de 1966. Desde então, Deco foi quase que titular absoluto na seleção, sendo-lhe atribuído o estatuto de playmaker. Apesar de sua convocação à Seleção ter sido muito criticada de início, Deco acabaria se tornando um dos destaques da Seleção Portuguesa.[carece de fontes?]

Euro 2004[editar | editar código-fonte]

Deco foi incluído pelo compatriota Luiz Felipe Scolari na convocatória para representar Portugal na Euro 2004.[40] Ajudou a equipe a alcançar a final de um campeonato europeu pela primeira vez na história, mas na final foram derrotados pela Grécia.[41]

No dia 5 de julho de 2004, foi feito Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.[42]

Copa do Mundo de 2006[editar | editar código-fonte]

Na Copa do Mundo FIFA de 2006, no dia 17 de junho, abriu o placar no segundo jogo do Grupo D, contra o Irã, na vitória por 2 a 0. O segundo gol foi marcado por Cristiano Ronaldo.[43] Na fase de mata-mata, recebeu dois cartões amarelos e consequente o cartão vermelho, o que lhe impediu de jogar nas quartas de final contra a Inglaterra, jogo que Portugal venceu na disputa por pênaltis. Deco voltaria da suspensão na semifinal contra a França, onde Portugal acabou perdendo de 1 a 0, com um gol de Zinédine Zidane.[44]

Euro 2008[editar | editar código-fonte]

No dia 11 de junho de 2008, marcou o primeiro gol da Seleção Portuguesa contra a República Tcheca, num jogo em que a Portugal venceu por 3 a 1.[45] Deco participou em todos os quatro jogos, incluindo a derrota para a Alemanha nas quartas de final.[46]

Copa do Mundo de 2010[editar | editar código-fonte]

No seu segundo mundial, a Copa do Mundo FIFA de 2010, disputou apenas a primeira partida contra a Costa do Marfim, onde se lesionou ficando impedido de jogar os dois jogos restantes, contra Coreia do Norte e Brasil.[47][48] Nas oitavas de final, contra a Espanha, Deco anunciou que estava recuperado e disposto a integrar novamente a Seleção, mas o técnico Carlos Queiroz preferiu manter Tiago em vez do veterano. Deco não saiu do banco de reservas no jogo em que a Seleção Portuguesa acabou eliminada por 1 a 0.[49]

Aposentou-se da Seleção logo após a Copa do Mundo realizada na África do Sul. No total, o meia marcou cinco gols em 75 partidas disputadas.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Quando começou sua carreira na Europa em 1997, sua primeira mulher, Scylla, que ele conheceu três anos antes, mudou-se para Portugal com ele. Juntos tiveram dois filhos: João Gabriel e Pedro Henrique, que agora vivem no Brasil com sua mãe. Alguns anos mais tarde, Deco encontrou Jaciara em uma festa em Salvador e se divorciou de Scylla para viver com Jaciara na cidade do Porto. Eles se casaram em abril de 2005 e tiveram dois filhos: David e Yasmin. No entanto, anunciaram o divórcio três anos depois, em março de 2008. No dia 6 de julho de 2009, Deco casou-se com Ana Paula Schiavetti, com quem teve uma filha chamada Sofia.[50]

Deco é cunhado de Alecsandro e de Richarlyson, ambos também futebolistas. O ex-meia fundou o instituto "DECO 20", perto de São Paulo, onde ele cresceu.[51] Acertou um patrocínio com a Nike no dia 3 de fevereiro de 2013.[52] Cinco anos depois, em setembro de 2018, foi pai pela sexta vez. A pequena Olívia é a segunda filha fruto do casamento com Ana Paula Schiavetti.[53]

Atualmente Deco trabalha como empresário no ramo desportivo, gerenciando a carreira de jogadores.[54] Em março de 2022 tornou-se sócio proprietário do CSP, de João Pessoa, na Paraíba, onde adquiriu 60% da SAF (Sociedade Anônima de Futebol) do clube.[55]

Acusação de doping[editar | editar código-fonte]

No dia 27 de maio de 2014, o ex-jogador do Fluminense foi absolvido pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) após ter sido acusado de doping e suspenso pelo STJD em setembro de 2013. O tribunal internacional divulgou sua decisão.[56] Em comunicado, o TAS informou que absolveu o ex-meia da seleção portuguesa após nenhuma substância proibida ter sido encontrada em um novo teste, realizado em março daquele ano em um laboratório em Lausanne, onde fica a sede do tribunal.[57]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Liga Copa Competições da UEFA/Conmebol Outros Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Corinthians 1996 2 0 2 0
Total 2 0 ? ? 2 0
Alverca 1997–98 32 13 32 13
Total 32 13 ? ? 32 13
Salgueiros 1998–99 12 2 0 0 12 2
Total 12 2 0 0 12 2
Porto 1998–99 12 0 0 0 0 0 12 0
1999–00 23 1 2 1 11 3 36 5
2000–01 31 6 0 0 9 0 40 6
2001–02 30 13 2 0 15 6 1 0 48 19
2002–03 30 10 3 1 12 1 45 12
2003–04 28 2 3 0 13 2 1 0 45 4
Total 154 32 10 2 60 12 2 0 226 46
Barcelona 2004–05 35 8 0 0 7 2 42 10
2005–06 29 3 1 0 11 2 2 0 43 5
2006–07 31 1 3 0 11 3 2 2 47 6
2007–08 18 1 5 0 6 0 29 1
Total 113 13 9 0 35 7 4 2 161 22
Chelsea 2008–09 24 3 2 0 4 0 30 3
2009–10 18 2 4 1 4 0 1 0 27 3
Total 42 5 6 1 8 0 1 0 57 6
Fluminense 2010 16 1 0 0 16 1
2011 18 0 2 1 5 0 25 1
2012 17 1 8 1 11 3 36 5
2013 5 0 1 0 3 0 5 0 14 0
Total 56 2 1 0 13 2 21 3 91 7
Total na carreira 411 67 26 3 116 21 28 5 581 96

Seleção[editar | editar código-fonte]

Gols pela Seleção[editar | editar código-fonte]

# Data Local Adversário Placar Resultado Competição
1. 29 de março de 2003 Estádio das Antas, Porto, Portugal Brasil Brasil 2–1 2–1 Amistoso
2. 13 de outubro de 2004 Estádio José Alvalade, Lisboa, Portugal Flag of Russia.svg Rússia 4–0 7–1 Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 2006
3. 17 de junho de 2006 Commerzbank-Arena, Frankfurt, Alemanha Flag of Iran.svg Irã 1–0 2–0 Copa do Mundo FIFA de 2006 - Grupo D
4. 11 de junho de 2008 Stade de Genève, Genebra, Suíça Bandeira da República Checa Chéquia 1–0 3–1 UEFA Euro 2008
5. 10 de setembro de 2008 Estádio José Alvalade, Lisboa, Portugal Flag of Denmark.svg Dinamarca 2–1 2–3 Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA de 2010

Títulos[editar | editar código-fonte]

Porto
Barcelona
Chelsea
Fluminense

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Ballon d'Or
  • Décimo primeiro melhor jogador do Mundo: 2006
FIFA
UEFA
Campeonatos nacionais e estaduais

Referências

  1. «Fluminense: Deco anuncia aposentadoria através de nota à imprensa». O Globo. 26 de agosto de 2013. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  2. a b «Deco anuncia aposentadoria dos gramados». Terra. 26 de agosto de 2013. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  3. «Com dois golaços, Deco se despede ao lado de amigos de Porto e Barça». GloboEsporte.com. 25 de julho de 2014. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  4. «Futebol Clube do Porto» (PDF). 14 de julho de 2006. Arquivado do original (PDF) em 5 de dezembro de 2010 
  5. «Portugal Net.com». Consultado em 25 de fevereiro de 2007. Arquivado do original em 24 de julho de 2008 
  6. «Portugal Net.com - Deco Awards». Consultado em 27 de fevereiro de 2007. Arquivado do original em 11 de dezembro de 2007 
  7. «Deco goes to Chelsea». Consultado em 7 de abril de 2011 
  8. «ESTREIA DO MÁGICO NA SELECÇÃO por Rui Alves». RTP, Rádio e Televisão de Portugal. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  9. «Deco votado melhor da Europa». UEFA.com. 26 de agosto de 2004. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  10. «Deco revela bastidores da saída do Porto para ir ao Barcelona». LANCE!. 25 de abril de 2020. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  11. Isabel Aveiro (6 de julho de 2004). «Porto cede Deco ao Barcelona; recebe 15 milhões e Ricardo Quaresma». Jornal de Negócios. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  12. «Inter rule out Chelsea duo» (em inglês). Sky Sports. 6 de julho de 2009. Consultado em 6 de abril de 2022 
  13. Luis Mira (11 de junho de 2009). «Deco seeks Blues exit» (em inglês). Sky Sports. Consultado em 6 de abril de 2022 
  14. Subhankar Mondal (7 de agosto de 2010). «OFFICIAL: Fluminense Sign Deco On Two-Year Contract» (em inglês). Goal.com. Consultado em 6 de abril de 2022 
  15. «Chelsea Sign Deco - Official» (em inglês). Goal.com. 30 de junho de 2008. Consultado em 6 de abril de 2022 
  16. «Juliano Belletti heads for Fluminense from Chelsea and Deco may follow» (em inglês). The Guardian. 14 de julho de 2010. Consultado em 6 de abril de 2022 
  17. Edgard Maciel de Sá (19 de julho de 2010). «Fluminense: Deco já realizou até exames médicos». Extra. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  18. «Confira o vai e vem do Fluminense». GloboEsporte.com. 6 de julho de 2010. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  19. «Fluminense anuncia a contratação de Deco». Estadão. 7 de agosto de 2010. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  20. Guilherme Buarque (7 de agosto de 2010). «Deco acerta com o Fluminense e será apresentado na segunda-feira». GloboEsporte.com. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  21. «Na estreia de Deco, Flu e Vasco empatam em clássico emocionante». GloboEsporte.com. 22 de agosto de 2010. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  22. Kaue Freitas (29 de agosto de 2010). «[Ficha técnica] Fluminense 2 x 2 São Paulo». Site oficial do São Paulo. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  23. Thiago Fernandes (23 de março de 2011). «De virada, Flu e Deco renascem na Libertadores: 3 a 2 sobre o América». GloboEsporte.com. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  24. «Deco renova contrato com Fluminense e deve ficar no clube carioca até dezembro de 2013». UOL. 12 de julho de 2012. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  25. «Deco brilha em jogo histórico para Fred, e Flu goleia Portuguesa em Engenhão vazio». ESPN Brasil. 16 de junho de 2012. Consultado em 6 de abril de 2022 
  26. «Ficha técnica: Fluminense 4 x 1 Portuguesa». VEJA. 16 de junho de 2012. Consultado em 6 de abril de 2022 
  27. «Flu embala, Atlético-GO patina: 4 a 1 para os cariocas no Serra dourada». GloboEsporte.com. 24 de junho de 2012. Consultado em 6 de abril de 2022 
  28. «Fluminense se impõe na Bombonera e acaba com invencibilidade do Boca». GloboEsporte.com. 7 de março de 2012. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  29. «Fluminense cala Bombonera, vence a segunda e tira longa invencibilidade do Boca». ESPN Brasil. 7 de março de 2012. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  30. «Domingo tricolor: Flu vence, dispara na ponta e freia o Flamengo». GloboEsporte.com. 30 de setembro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  31. «Após Porto, Barcelona também prepara homenagem a Deco, do Fluminense». Terra. 13 de dezembro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  32. «Diretoria do Barcelona planeja homenagem a Deco». Terra. 12 de dezembro de 2012. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  33. «TJD-RJ suspende Deco preventivamente por 30 dias». GloboEsporte.com. 8 de maio de 2013. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  34. Rafael Cavalieri (14 de junho de 2013). «Deco leva gancho de 30 dias, mas está livre para atuar pelo Fluminense». GloboEsporte.com. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  35. Renan Rodrigues (14 de junho de 2013). «Deco lamenta 'mancha' na carreira, mas celebra poder voltar aos campos». UOL. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  36. Miguel Caballero (14 de junho de 2013). «Suspenso por 30 dias, já cumpridos, Deco está livre para jogar pelo Flu». O Globo. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  37. «Deco, do Flu, anuncia aposentadoria: 'meus músculos não suportam mais'». Extra. 26 de agosto de 2013. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  38. «Em três anos de Flu, Deco atuou em 45% dos jogos». ESPN Brasil. 26 de agosto de 2013. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  39. «Após colecionar lesões, Deco anuncia aposentadoria». VEJA. 26 de agosto de 2013. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  40. «Figo re-ignites Deco row» (em inglês). BBC Sport. 10 de junho de 2004. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  41. «Grécia desbanca Portugal e é campeã da Euro 2004». UOL. 4 de julho de 2004. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  42. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Andreson Luís de Sousa". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de julho de 2014 
  43. «Portugal bate Irã por 2 a 0 e avança às oitavas-de-final». Estadão. 17 de junho de 2006. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  44. «França de Zidane bate Portugal de Scolari e decide com Itália». UOL. 5 de julho de 2006. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  45. «Com gols de Cristiano Ronaldo e Deco, Portugal vence a República Tcheca». GloboEsporte.com. 11 de junho de 2008. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  46. «Alemanha afasta má fase, elimina Portugal e está nas semifinais». DW Brasil. 19 de junho de 2008. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  47. «Deco se machuca, mas deve enfrentar a Coreia do Norte». Terra. 19 de junho de 2010. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  48. Alexandre Sinato (21 de junho de 2010). «Deco culpa lesão 'estúpida' e vive sentimento de derrota após os 7 a 0». UOL. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  49. «Lembre a única vez em que Portugal e Espanha se enfrentaram em Copas». LANCE!. 15 de junho de 2018. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  50. Sara Oliveira (6 de julho de 2009). «Casamento muito discreto no Brasil». Diário de Notícias. Consultado em 6 de abril de 2022 
  51. «The Sunday Times». Consultado em 21 de setembro de 2009 
  52. «Meia Deco, do Fluminense, assina contrato de patrocínio com a Nike». O GLOBO. 3 de fevereiro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  53. «Deco é pai pela sexta vez». Jornal de Notícias. 28 de setembro de 2018. Consultado em 8 de janeiro de 2022 
  54. Isaura Almeida (6 de setembro de 2019). «Deco. A vida de empresário, o ″espetacular″ João Félix e o ″sem preço″ Ronaldo». Diário de Notícias. Consultado em 17 de outubro de 2019 
  55. Pedro Alves (30 de março de 2022). «Deco se torna um dos donos do CSP, primeiro clube da Paraíba a adotar o modelo de SAF». GloboEsporte.com. Consultado em 6 de abril de 2022 
  56. «Já aposentado, Deco é absolvido pelo TAS em acusação de doping». GloboEsporte.com. 27 de maio de 2014. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  57. «Absolvido de doping, Deco afirma: 'Só comprova o que eu já sabia'». Estadão. 28 de maio de 2014. Consultado em 17 de fevereiro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Deco