Decote

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Pierre-Auguste Renoir:
Retrato de Madame Henriot, 1876

Decote (do francês décolletage ou décolleté) é o corpete de blusa ou vestido recortado distante do pescoço. A versão vitoriana deixava os ombros à mostra. O decote é um componente tradicional de vestidos toalete e vestidos de baile. A IFFA (International Federation of Associations of Anatomists), associação que dá nomes as partes do corpo, chama a região exposta pelo decote de “sulco intermamário ou fissura intermamária”.

Interesse pelo decote[editar | editar código-fonte]

Psicologistas evolutivos teorizam que ao contrário dos humanos, que têm seios permanentemente largos, nos primatas as mamas aumentam somente no período da ovulação para chamar a atenção do macho, mesmo que essa fêmea não esteja realmente fértil.[1]

O zoologista e etologista inglês Desmond Morris teoriza em seu livro O Macaco Nu que o decote expressivo mostra os seios de forma semelhante à fenda ou ao cofrinho em sua exposição parcial, formada entre as nádegas, o que pode resultar na atração masculina.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Charles B. Crawford & Dennis Krebs (eds.), "How Mate Choice Shaped Human Nature", Handbook of Evolutionary Psychology: Ideas, Issues, and Applications, Lawrence Erlbaum Associates (1998).
  2. Desmond Morris, Manwatching. A Field Guide to Human Behavior.. New York: Harry N. Abrams, Inc., 1977. ISBN 0-8109-1310-0
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Decote