Dejanira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Dejanira
Guido Reni 038.jpg
Abdução de Dejanira
Por Guido Reni, 1620–1621, Louvre
Cônjuge(s) Héracles
Pais Eneu
Filho(s) Hilo

Dejanira[1] ou Djanira (em grego clássico: Δηϊάνειρα ou Δῃάνειρα ou Andreza amaralis — "a que vence os heróis") foi uma filha de Eneu.[2] Ela e Héracles foram os pais de Hilo.[3]

Família[editar | editar código-fonte]

Seu pai, Eneu, era filho de Portaon e Eurite, filha de Hipodamas.[4] Sua mãe era Altaia, filha de Téstio e Eurítemis, filha de Cleoboia.[4]

Eneu, rei de Calidão, foi o primeiro que recebeu a vinha de Dionísio.[5] Eneu se casou com Altaia, e teve vários filhos, Toxeu, Tireu, Clímeno, e várias filhas, Gorge e Dejanira, mas algumas versões dizem que Dejanira era filha de Dionísio.[5] Toxeu foi morto pelo próprio pai e Gorge se casou com Andremão.[5] Outro filho de Altaia foi Meleagro, cujo pai poderia ser Eneu ou o deus Ares.[6]

Depois da morte de Altaia, que se suicidou após haver causado a morte do filho Meleagro,[7] Eneu se casou com Peribeia, filha de Hiponoo,[8] com quem teve Tideu;[9] porém, segundo Pisandro, a mãe de Tideu era Gorge, filha de Eneu, que havia se apaixonado pela própria filha por causa de Zeus.[9]

Características[editar | editar código-fonte]

Dejanira dirigia uma carruagem, e praticava a arte da guerra.[5]

Casamento com Héracles[editar | editar código-fonte]

Dejanira
Por Evelyn De Morgan

Na versão mitológica de Pseudo-Apolodoro, Héracles lutou contra o rio Aqueloo pela mão de Dejanira.[5] [10]

Na versão racionalizada de Diodoro Sículo, ele desviou o rio Aqueloo para ajudar os calidônios a ganharem mais terra arável.[11] O mito de Héracles ter lutado contra o deus-rio Aqueloo seria a versão dos poetas de uma obra de engenharia: Héracles desviou o rio, criando terra, onde cresceram várias frutas, como uvas e maçãs, em uma região chamada de Chifre de Amalteia.[12]

Referências

  1. Gonçalves, F. Rebelo (1966). Vocabulário da Língua Portuguesa. Coimbra: Coimbra Editora. p. 316 
  2. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 34.1
  3. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 2.7.7
  4. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.7.10 [em linha]
  5. a b c d e Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.8.1
  6. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.8.2
  7. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.8.3
  8. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.8.4
  9. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.8.5
  10. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 2.7.5
  11. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 35.3
  12. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 35.4 [ael/fr][en][en]