Delei

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Delei
Delei
Informações pessoais
Nome completo Wanderley Alves de Oliveira
Data de nasc. 28 de agosto de 1959 (58 anos)
Local de nasc. Volta Redonda, Rio de Janeiro,  Brasil
Altura 1.73 m
Informações profissionais
Clubes de juventude
1976-1979 Brasil Fluminense
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1979–1987
1987
1988
1988-1989
1989
1990
1991-1993
Brasil Fluminense
Brasil Palmeiras
Brasil Botafogo
Portugal Belenenses
Brasil Atlético Paranaense
Brasil América de Três Rios
Brasil Volta Redonda
280 (17)
23 (0)
6 (0)
2 (0)
2 (0)

Seleção nacional
1979
1984
Brasil Brasil Olímpico
Brasil Brasil
7 (2)
1 (0)
Times/Equipas que treinou
1994
1998
Brasil Fluminense
Brasil Fluminense

Wanderley Alves de Oliveira, mais conhecido como Delei (Volta Redonda, 28 de agosto de 1959), é um ex-futebolista que atuou pela Seleção Brasileira principal na vitória sobre o Uruguai em 21 de Junho de 1984, tendo feito mais 7 jogos pela Seleção Olímpica do Brasil com 5 vitórias, 1 empate e 1 derrota.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Futebol

Promovido aos profissionais do Fluminense em 1980, ganhou logo no primeiro ano, o Campeonato Estadual do Rio de Janeiro de 1980. Pelo tricolor, conquistou ainda os estaduais de 1983,1984,1985 e o Campeonato Brasileiro de 1984, entre vários outros títulos.

Foi o principal armador de jogadas do Fluminense entre 1980 e 1987 e autor do passe magistral para Assis no Fla-Flu que decidiu o campeonato estadual de 1983, tendo disputado ao todo 280 jogos pelo Tricolor, com 144 vitórias, 77 empates e 59 derrotas, marcando 17 gols[1].

Deley jogou pelo Fluminense até 1987, até se transferir para o Palmeiras, fez apenas 23 jogos, sofreu uma lesão no olho e passou por problemas pessoais. Após isso passou pelo Botafogo, o Belenenses de Portugal e encerrou sua carreira no Volta Redonda.

Após terminar a sua carreira como jogador de futebol treinou o tricolor carioca em 1994 e 1998.

Política

Deley, que é formado em Administração Esportiva pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, foi convidado pelo Prefeito Antonio Francisco Neto à assumir o cargo de Secretário de Esporte e Lazer do Município de Volta Redonda em 1997. Entre os projetos desenvolvidos estão a Melhor Idade, hoje com 6228 inscritos; Viva a Vida (18 a 49 anos), com 2101 inscritos; Esporte Solidário (7 a 14 anos), com 4.020 inscritos; Portadores de Necessidades Especiais com 520 inscritos; entre outros. Deley sempre incentivou a população a participar dos eventos permanentes na cidade. Sua atenção sempre foi voltada às crianças, à terceira idade e aos com necessidades especiais.

Depois disso se elegeu no ano de 2002 para o mandato de deputado federal,[2] tendo procurado mostrar como plataforma, após eleito, comprometimento com o esporte fluminense quando da procura por emendas ao orçamento da União. Tendo sido filiado ao PSDB e PV, reelegeu-se, em 2006, com 72.710 votos, já pelo PSC.[3] Com 66.532 votos, não conseguiu se reeleger à Câmara Federal, em 2010.[4] Porém, assumiu em março de 2011 como suplente de Rodrigo Bethlem (PMDB).

Foi reeleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019), pelo PTB. Na nova legislatura, votou a favor da admissibilidade do processo de impeachment de Dilma Rousseff.[5] Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[5] Em abril de 2017 foi contrário à Reforma Trabalhista.[5][6] Em agosto de 2017 votou a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do presidente Michel Temer.[5][7]

Principais títulos[editar | editar código-fonte]

Fluminense

Referências

  1. DE FREITAS LIMA, Ricardo. «Jogadores - Letra D - Delei». Fluzão.info. Consultado em 13 de novembro de 2016. 
  2. «Folha Online - Eleições 2002 - Apuração - Rio de Janeiro» 
  3. «Folha Online - Eleições 2006 - Apuração - Rio de Janeiro» 
  4. «UOL - Eleições 2010 - Apuração - Rio de Janeiro». Consultado em 6 de outubro de 2010. 
  5. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017. 
  6. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017. 
  7. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]