Delfino Pinheiro de Ulhoa Cintra Júnior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Delfino Pinheiro de Ulhoa Cintra Júnior
Morte 1911
Nacionalidade brasileiro
Cidadania Brasil
Ocupação jornalismo, política

Delfino Pinheiro de Ulhoa Cintra Júnior (Mogi-Mirim, 20 de agosto de 1838 — 1911) foi um jornalista e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cursou a Faculdade de Direito de São Paulo, de 1854 a 1858.

Casou-se com Angélica Machado Florence, filha de Hercules Florence.

Em 1865 foi um dos fundadores do jornal Diário de São Paulo.[1]

Foi nomeado presidente da província de Santa Catarina por carta imperial de 31 de maio de 1872, assumindo o cargo em 8 de julho de 1872, governando até 13 de novembro do mesmo ano, quando assumiu interinamente a presidência o segundo vice-presidente Manuel do Nascimento da Fonseca Galvão até 27 de janeiro de 1873, passando novamente o governo para o interino, terceiro vice-presidente Inácio Accioli de Almeida, que completou o mandato em 4 de abril de 1873.

Foi eleito deputado à Assembléia Geral (constitucionalmente equivalente à atual Câmara dos Deputados) por São Paulo para a legislatura de 1872 a 1875, e reelegeu-se para a legislatura seguinte.

Em 1876 dirigiu o colégio campineiro Culto à Ciência.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Inácio Acioli de Almeida
Presidente da província de Santa Catarina
1872
Sucedido por
Manuel do Nascimento da Fonseca Galvão


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


  1. a b «Delfino Pinheiro de Ulhoa Cintra Júnior / Biografias / Memória Política de Santa Catarina». memoriapolitica.alesc.sc.gov.br. Consultado em 7 de novembro de 2020