Delphine da Bélgica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Delphine
Princesa da Bélgica
Delphine em 2008
Nome completo francês: Delphine Michèle Anne Marie Ghislaine
neerlandês: Delphine Michelle Anna Maria Gisela
Nascimento 22 de fevereiro de 1968 (53 anos)
Uccle, Bruxelas
Nacionalidade belga
Progenitores Mãe: Sybille de Selys Longchamps
Pai: Alberto II da Bélgica
Parentesco Irmão: Filipe da Bélgica
Irmã: Astrid da Bélgica
Irmão: Lourenço da Bélgica
(...mais)
Cônjuge James O'Hare
Filho(a)(s) 2
Alma mater Instituto Le Rosey
Chelsea College of Art & Design
Ocupação
Casa Real Saxe-Coburgo-Gota
Descendência Joséphine O'Hare (n. 2003)
Oscar O'Hare (n. 2008)
Coat of arms of a Princess of Belgium.svg

Brasão das princesas da Bélgica

A Princesa Delphine da Bélgica (Delphine Michèle Anne Marie Ghislaine de Saxe-Cobourg, Uccle, 22 de fevereiro de 1968), conhecida profissionalmente como Delphine Boël, é uma artista belga especializada em esculturas de papel machê. Ela é mais conhecida por ser a filha ilegítima do ex-rei Alberto II da Bélgica[1] e, assim, irmã do atual rei dos belgas o Rei Filipe da Bélgica; bem como também irmã da princesa Astrid da Bélgica e do príncipe Lourenço da Bélgica.

Ela é uma tia da atual herdeira aparente belga, a princesa Isabel, Duquesa de Brabante.

Ela lutou nos tribunais belgas por cerca de sete anos pelo reconhecimento da paternidade biológica, o que só aconteceu no início de 2020, após um teste de DNA. Meses depois, em 1º de outubro de 2020, ela obteve o direito de usar o título de "Princesa da Bélgica", ser tratada como "Sua Alteza Real" e ainda usar o sobrenome da família de Alberto: o Saxe-Coburgo-Gotha.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ela é filha biológica da baronesa belga Sybille de Selys Longchamps e do agora ex-rei Alberto II da Bélgica.

Delphine Boël é casada com o norte-americano de origem irlandesa James O'Hare, com quem tem dois filhos: Joséphine (nascida em 2003) e Oscar (nascido em 2008).

O caso da paternidade[editar | editar código-fonte]

Foi no final dos anos 1990, após a divulgação de uma biografia da Rainha Paola, esposa de Alberto II da Bélgica, que começaram os primeiros rumores sobre o caso de uma possível filha ilegítima do rei belda.

Em 2008, Jacques Boël, homem que era considerado pai de Delphine até então, a deserdou.[2]

No entanto, foi só após a abdicação de Alberto em 2013, quando este perdeu a imunidade, que Delphine levou o caso à Justiça, uma vez que Alberto sempre se negou a colaborar, de forma espontânea, para esclarecer o assunto. "Sempre se negou a colaborar com a justiça", escreveu a Caras em 2019. [3]

Após os advogados de Alberto II da Bélgica apresentarem diversos recursos no Tribunal Belga por cerca de cinco anos e após Delphine provar que Jacques Boël não era o seu pai biológico.

Em outubro de 2018, a Justiça Belga decretou que Alberto deveria fazer um teste de DNA. No entanto, o Alberto se negou até que em maio de 2019, após ser obrigado a pagar uma multa diária de cerca de € 5 mil euros por sua negativa, por fim decidiu se submeter às provas, tendo, no entanto, ainda recorrido à Corte Superior Belga, que postergou a divulgação do resultado do teste e a resolução final do caso para dezembro de 2019.[4][3]

Em janeiro de 2020, o ex-rei Alberto II da Bélgica admitiu que, perante os resultados do teste de DNA, não iria mais contestar a paternidade de Delphine Boël e iria atender ao pedido desta para ser declarado como o seu pai legítimo.

Em setembro de 2020, a imprensa reportou que Delphine e o seu advogado (Marc Uyttendaele) estavam pleiteando na Justiça Belga, o mesmo tratamento dado aos demais três filhos de Alberto (que são: Filipe da Bélgica, a Princesa Astrid da Bélgica e o Príncipe Lourenço da Bélgica), entre eles receber:

  1. O título de princesa belga
  2. Um salário do Estado
  3. Uma residência "oficial" mantida pelo Estado

Segundo o Diário de Notícias de Portugal, a demanda foi esclarecida pelo advogado de Delphine ao La Libre Belgique.

O veredito saiu em 1º de outubro de 2020, tendo ela recebido o direito de receber o título de "Princesa da Bélgica", o tratamento de "Sua Alteza Real" e a usar o sobrenome do pai biológico: o Saxe-Coburgo-Gotha. Os filhos de Delphine Boë também receberam os mesmos direitos.[5]

O caso tem repercutido em toda imprensa mundial, em jornais e sites como os da BBC[6], UOL[7] G1[8] e Extra da Globo[9], e em revistas como a Caras[3] e a Vanitatis[10]. "A paternidade de Delphine se converteu em um tema de debate público depois da publicação, em 1999, de uma biografia da rainha Paola, esposa italiana de Alberto. No livro, Paola alega que o monarca teve uma longa relação extraconjugal da qual nasceu uma filha em 1960", escreveu o Extra.[9]

Encontro com o pai e o rei Filipe da Bélgica[editar | editar código-fonte]

Em 15 de outubro de 2020, o Palácio Real de Bruxelas publicou nas suas redes sociais que dias antes, em 09 de outubro de 2020, Delphine e seu irmão mais velho, o atual rei reinante Filipe da Bélgica, haviam se encontrado pela primeira vez.[11]

Já no dia 27 de outubro de 2020, o Palácio Real de Bruxelas divulgou uma nota em seu website, com uma foto, anunciando que ela havia se encontrado com o pai biológico o ex-rei Alberto II da Bélgica e a esposa deste a Paola da Bélgica, no dia 25 de outubro de 2020.[12]

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Delphine se casou com James O'Hare em 2003. O casal tem dois filhos:

  • Princesa Joséphine da Bélgica (nascida Joséphine O'Hare, em 17 de outubro de 2003)
  • Príncipe Oscar da Bélgica (né Oscar O'Hare, em 28 de abril de 2008)

Títulos, estilos e honras[editar | editar código-fonte]

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

Estilo de tratamento de
Delphine da Bélgica
Coat of arms of a Princess of Belgium.svg

Estilo Sua Alteza Real
Tratamento direto Sua Alteza Real
Estilo alternativo Madame
  • 22 de fevereiro de 1968 - 01 de outubro de 2020: Jonkvrouw (Senhora) Delphine Boël.
  • 01 de outubro de 2020 - presente: Sua Alteza Real, a Princesa Delphine da Bélgica.

Trabalhos publicados[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Alberto II da Bélgica assume filha de uma relação extraconjugal, por Rita Porto, Observador, 28 jan 2020
  2. «Delphine Boël le exige las pruebas de paternidad a Alberto de Bélgica». El Confidencial (em espanhol). 5 de setembro de 2014. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  3. a b c «Rei Alberto da Bélgica faz teste de ADN por suspeita de filha ilegítima». Caras. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  4. «Alberto de Bélgica contra las cuerdas por el caso Delphine Boël». Look (em espanhol). 29 de novembro de 2019. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  5. «Delphine. A filha ilegítima do rei que quer ser chamada de princesa - DN». www.dn.pt. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  6. «Belgian ex-king submits DNA in paternity case» (em inglês). 29 de maio de 2019 
  7. «Justiça belga dá 3 meses a rei Alberto II para se submeter a exame de DNA». noticias.uol.com.br. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  8. «Ex-rei belga Albert II se nega a fazer teste de paternidade». G1. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  9. a b «Rei emérito da Bélgica será multado em R$ 22 mil por dia se não fizer teste de paternidade». Extra Online. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  10. «Alberto de Bélgica, contra las cuerdas: la nueva victoria de su supuesta hija ilegítima». El Confidencial (em espanhol). 16 de maio de 2019. Consultado em 4 de dezembro de 2019 
  11. «Facebook». www.facebook.com. Consultado em 27 de outubro de 2020 
  12. «Boodschap van Hunne Majesteiten Koning Albert II en Koningin Paola en Hare Koninklijke Hoogheid Prinses Delphine | De Belgische Monarchie». The Belgian Monarchy (em neerlandês). Consultado em 27 de outubro de 2020 
  13. "Couper le Cordon"
  14. "Never Give Up"

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre Delphine da Bélgica:
Commons Categoria no Commons
Wikidata Base de dados no Wikidata
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.