Delta Geminorum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
δ Geminorum
Dados observacionais (J2000)
Constelação Gemini
Asc. reta 07h 20m 07,4s[1]
Declinação +21° 58′ 56,3″[1]
Magnitude aparente 3,53[2]
Características
Tipo espectral F0 IV[1]
Cor (U-B) +0,04[2]
Cor (B-V) +0,34[2]
Astrometria
Velocidade radial 4,1 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -15,13 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) -9,79 mas/a[1]
Paralaxe 53,94 ± 0,66 mas[1]
Distância 60,5 ± 0,7 anos-luz
18,5 ± 0,2 pc
Magnitude absoluta 2,22
Detalhes
Massa 1,57[3] M
Luminosidade 10[4] L
Temperatura 6 900[5] K
Metalicidade [Fe/H] –0,26[5]
Rotação 129,7 km/s[6]
Idade 1,6 bilhões[5] de anos
Outras denominações
Wasat, 55 Geminorum, BD+22 1645, FK5 279, GJ 271, HD 56986, HIP 35550, HR 2777, SAO 79294.[1]
Delta Geminorum
Gemini constellation map.png

Delta Geminorum (δ Gem, δ Geminorum) é uma estrela na constelação de Gemini. Tem o nome tradicional Wasat, que vem da palavra arábe para "meio".[4] Tem uma magnitude aparente de 3,53,[2] sendo facilmente visível a olho nu. Medições de paralaxe mostram que está a aproximadamente 60,5 anos-luz (18,5 parsecs) da Terra.[1] Wasat está a apenas dois décimos de um grau a sul da eclíptica,[4] e portanto pode ser ocasionalmente ocultada pela Lua ou mais raramente por um planeta. A última ocultação por um planeta foi por Saturno em 30 de junho de 1857, e a próxima será por Vênus em 12 de agosto de 2420.[carece de fontes?] Em 1930, o planeta anão Plutão foi descoberto 0,5° a leste dessa estrela pelo astrônomo americano Clyde Tombaugh.[7]

Delta Geminorum é uma estrela subgigante com uma classificação estelar de F0 IV.[1] Tem 1,57 vezes a massa do Sol[3] e está rotacionando rapidamente com uma velocidade de rotação projetada de 129,7 km/s.[6] Brilha com dez vezes a luminosidade do Sol[4] a uma temperatura efetiva de 6 900 K,[5] o que dá a ela o brilho amarelo-branco típico de estrelas de classe F.[8] Possui uma idade estimada de 1,6 bilhões de anos.[5]

Delta Geminorum pertence a um sistema estelar triplo. Os componentes internos formam uma binária espectroscópica com um período de 6,1 anos (2 238,7 dias) e uma excentricidade orbital de 0,3530. Uma estrela companheira mais fria de classe K não é aparente a olho nu mas pode ser vista facilmente com um telescópio pequeno. Orbita o par interno com um período de 1 200 anos e uma excentricidade de 0,11.[9][4] Embora tenha uma velocidade radial de +4,1 km/s,[1] o sistema parece estar na verdade se aproximando do Sistema Solar. Em cerca de 1,1 milhão de anos, fará sua maior aproximação a uma separação de cerca de 6,7 anos-luz (2,1 parsecs).[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k «SIMBAD query result - HR 2777». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 18 de outubro de 2012 
  2. a b c d Johnson, H. L.; et al. (1966), «UBVRIJKL photometry of the bright stars», Communications of the Lunar and Planetary Laboratory, 4 (99), Bibcode:1966CoLPL...4...99J 
  3. a b Shaya, Ed J.; Olling, Rob P. (janeiro de 2011), «Very Wide Binaries and Other Comoving Stellar Companions: A Bayesian Analysis of the Hipparcos Catalogue», The Astrophysical Journal Supplement, 192 (1): 2, arXiv:1007.0425Acessível livremente, Bibcode:2011ApJS..192....2S, doi:10.1088/0067-0049/192/1/2 
  4. a b c d e Kaler, James B. «WASAT (Delta Geminorum)». Stars. Consultado em 18 de outubro de 2012 
  5. a b c d e Nordström, B.; et al. (maio de 2004), «The Geneva-Copenhagen survey of the Solar neighbourhood. Ages, metallicities, and kinematic properties of ˜14 000 F and G dwarfs», Astronomy and Astrophysics, 418: 989–1019, arXiv:astro-ph/0405198Acessível livremente, Bibcode:2004A&A...418..989N, doi:10.1051/0004-6361:20035959 
  6. a b Schröder, C.; Reiners, J. H. M. M.; Schmitt (janeiro de 2009), «Ca II HK emission in rapidly rotating stars. Evidence for an onset of the solar-type dynamo», Astronomy and Astrophysics, 493 (3): 1099–1107, Bibcode:2009A&A...493.1099S, doi:10.1051/0004-6361:200810377 
  7. O'Meara, Stephen James (2002), The Caldwell objects, Deep-sky companions, Cambridge University Press, p. 156, ISBN 0-521-82796-5 
  8. «The Colour of Stars», Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, Australia Telescope, Outreach and Education, 21 de dezembro de 2004, consultado em 18 de outubro de 2012 
  9. Abt, Helmut A. (agosto de 2005), «Observed Orbital Eccentricities», The Astrophysical Journal, 629 (1): 507–511, Bibcode:2005ApJ...629..507A, doi:10.1086/431207 
  10. García-Sánchez, J.; et al. (novembro de 2001), «Stellar encounters with the solar system», Astronomy and Astrophysics, 379: 634–659, Bibcode:2001A&A...379..634G, doi:10.1051/0004-6361:20011330 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.