Demografia da Argentina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Clique para ampliar.
  • População: 38.592.150 (2005)
  • Estrutura de idade:
  • 0-14 anos: 26,4% (2005)
  • 15-64 anos: 63,6% (2005)
  • mais de 60 anos: 13,8% (2005)
  • mais de 65 anos: 10,0% (2005)
  • Taxa de crescimento populacional: 0,97% (Estatísticas de 2005)
  • Natalidade: 17,5 nascimentos/1.000 pessoas (Estatísticas de 2005)
  • Mortalidade: 8 mortes/1.000 pessoas (Estatísticas de 2005)
  • Índice de migração: 0,0 migrante(s)/1.000 pessoas (Estatísticas de 2001)
  • Taxa de mortalidade infantil: 14,4 mortes/1.000 nascidos (Estatísticas de 2004)
  • Expectativa de vida:
    • População total: 75,24 anos (2005)
    • Homem: 71,56 anos (2005)
    • Mulher: 79,06 anos (2005)
  • Taxa de fertilidade: 2,3 crianças nascidas/mulher (Estatísticas de 2005)
  • Nacionalidade: Argentino
  • Grupos étnicos:
    • Auto declarados "brancos" (primariamente da Espanha e Itália) 86.4%%

Na Argentina, a herança européia é a predominante, mas com significativa herança indígena, e presença de contribuição africana também. Um estudo genético, realizado em 2009, revelou que a composição da Argentina é 78,50% Européia, 17,30% Indígena, e 4,20% Africana.[1] Em Buenos Aires, um estudo genético encontrou contribuição indígena de 15,80% e africana de 4,30%. [2] Na região de La Plata, as contribuições européia, indígena e africana foram, respectivamente, 67.55% (+/-2.7), 25.9% (+/-4.3), e 6.5% (+/-6.4). [3] Quanto à população de Mendoza, um estudo genético encontrou a seguinte composição autossômica (DNA herdado tanto por parte de mãe quanto por parte de pai e que permite inferir toda a ancestralidade de um indivíduo): 46,80% de ancestralidade européia, 31,60% indígena e 21,50% africana.[4] Na linhagem materna (DNA mitocondrial), de acordo com um estudo genético de 2004, 56% da população da Argentina possui DNA mitocondrial ameríndio.[5]

De acordo com um estudo genético autossômico de 2012 a composição da Argentina é a seguinte: 65% europeia, 31% indígena e 4% africana. O estudo em questão observou variações regionais, com algumas partes sendo mais indígenas e outras europeias, não obstante elas todas sejam mescladas, variando apenas o grau de mistura.[6]

[1] [2]

Cidades mais populosas

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira da Argentina Argentina
Bandeira • Brasão • Hino • Cinema • Culinária • Cultura • Demografia • Economia • Forças Armadas • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Turismo • Imagens