Denise Bloch

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2016)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Denise BlochCombatente Militar
Nome completo Denise Madeleine Bloch
Conhecido(a) por Ambroise
Nascimento 21 de dezembro de 1916
Paris
Morte 5 de fevereiro de 1945 (29 anos)
Campo de concentração de Ravensbrück
País  Reino Unido
 França
Anos em serviço 1942–1945/1943–1945 (SOE)
Unidade Clergyman
Detective
Condecorações King's Commendation for Brave Conduct
Légion d'Honneur
Croix de guerre
Médaille de la Résistance

Denise Madeleine Bloch (Paris, 21 de janeiro de 1916Ravensbrück, Alemanha, 5 de fevereiro de 1945) foi uma agente secreta francesa que trabalhou com a britânica Executiva de Operações Especiais (SOE em inglês), na Segunda Guerra Mundial.

Infância[editar | editar código-fonte]

Nascida em família judia (Jacques Henri Bloch e Suzanne Levi-Strauss) em Barrault, Paris, França, em 1916, Bloch tinha três irmãos. Antes da guerra, ela foi secretária na Citroën. Devido as crenças religiosas da família eles foram detidos pela Gestapo, em 1942, na França ocupada.

Special Operations Executive[editar | editar código-fonte]

O seu trabalho na Citroen era como secretária do Tenente Jean-Maxime Aron (codinome "Joseph"), que também era um líder judeu da Resistência francesa.

Bloch foi recrutada em Lyon para trabalhar para o SOE. Ela começou a trabalhar na resistência com o operador de rádio, Brian Stonehouse, até a sua prisão perto do fim de outubro daquele ano.

Após a captura de Stonehouse, Bloch passou a se esconder até o início de 1943, quando foi colocada em contato com os agentes Reginald George Starr e Philippe de Vomécourt. Ela começou a trabalhar com os dois na cidade de Agen, no departamento de Lot-et-Garonne, no sul da França. No entanto, foi decidido mandá-la para Londres, acompanhada por um outro agente, atravessou as montanhas dos Pirenéus passando por Gibraltar e, eventualmente, Londres. Lá, a SOE a treinou como operadora de rádio em preparação para o retorno à França.

Em 2 de Março de 1944, com o companheiro e agente da SOE, Robert Benoist, foi enviada de volta à França. Trabalhando na área de Nantes, o par restabeleceu contato com o agente e amigo de Benoist, o piloto de carros de corrida, Jean-Pierre Wimille. No entanto, em junho, Bloch e Benoist foram presos, Bloch foi interrogada e torturada antes de ser enviada para a Alemanha. Ela foi mantida em prisões em Torgau, na Saxônia e em Königsberg, Brandemburgo, onde sofreu muito com a exposição ao frio e a desnutrição.

Eventualmente foi enviada para o campo de concentração de Ravensbrück, em algum momento entre 25 de janeiro de 1945 e 5 de fevereiro, Denise Madeleine Bloch, de 29 anos, foi executada pelos Alemães e seu corpo cremado. Tanto Lilian Rolfe quanto Violette Szabo, dois outros membros da SOE mantidos em Ravensbrück, foram executados ao mesmo tempo. Em Maio, poucos dias antes da rendição alemã, a agente Cecily Lefort, também foi executada. Alega-se que o SS-Sturmbannführer Horst Kopkow esteve envolvido na prisão/execução destas pessoas.

No túmulo da família de Denise Bloch, no Cemitério de Montmartre em Paris, estão recordações de sua vida e execução.

Condecorações póstumas[editar | editar código-fonte]

Na Inglaterra, Bloch está registrada no Brookwood Memorial em Surrey. Ela foi postumamente condecorada com a "King's Commendation for Brave Conduct" pela Grã-Bretanha.

Na França, honras póstumas incluem a Legião de Honra, a Médaille combattant de la Résistance e a Croix de Guerre.

Como um dos agentes da SOE que morreram pela libertação da França, Bloch é listada no "Roll of Honour" do Valençay SOE Memorial na cidade de Valençay, no departamento de Indre. Ela também é lembrada no memorial FANY em Wilton Rd, Kensington, e no Jewish Home for the Elderly at Nightingale House, em Clapham, onde uma placa em memória dela e de outros dois agentes da SOE que foram treinados em um edifício próximo foi inaugurada pela Princesa Ana, em 2015. Essa e uma outra placa da SOE, de Muriel Byck em Taunton, possuem citações do Livro de Josué, em hebraico, em homenagem às mulheres.

Fontes e ligações externas[editar | editar código-fonte]