Denominações de São Carlos (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A cidade de São Carlos recebeu várias denominações ao longo dos anos, entre as quais se destacam:

  • Princesa do Oeste (século XIX)[1]
  • Piccola Italia (século XIX)[2]
  • Cidade Sorriso (século XX)[3]
  • Cidade das Três Colinas (século XX)[4]
  • Cidade das Pérolas (século XX)[4]
  • Cidade do Clima (século XX)[5]
  • Atenas Paulista (século XX)
  • Sanca (década de 1990)
  • Capital da Tecnologia (década de 1990)[6]
  • Capital do Conhecimento (2009)[7]
  • Sanca Hub (década de 2010)[8]
  • Capital Nacional da Tecnologia (2011)[9]

Piccola Italia[editar | editar código-fonte]

Piccola Italia é um título que São Carlos possuiu, porque era assim conhecida na Itália, pela quantidade enorme de italianos que para lá imigraram, e para eles era a América.

No seu início, como ocorria no período colonial, a economia de São Carlos era baseada na agricultura de subsistência e no plantio de cana-de-açúcar e dependia da mão de obra escrava. São Carlos chegou a ocupar, no interior paulista, o segundo lugar no tráfico de escravos. São Carlos ganhou impulso econômico por volta de 1850 com a expansão da cultura cafeeira, com sua produção destinada a Europa e aos Estados Unidos.

Com a restrição internacional ao tráfico de escravos e ao movimento abolicionista interno, os Barões do Café enfrentavam dificuldade em encontrar mão de obra e passaram a contratar europeus. Antonio Carlos de Arruda Botelho, o Conde do Pinhal, foi o primeiro fazendeiro a levar para São Carlos, em 1876, os imigrantes europeus, principalmente italianos. Dez anos depois, em 1886, São Carlos tinha o segundo maior contingente de imigrantes do Estado e em 1899, segundo o Clube da Lavoura, eram exatos 10.396 colonos italianos. Posteriormente a fama da cidade se espalhou por toda a Itália e milhares de italianos saiam de lá com destino certo, a Piccola Italia.

Com o passar os anos, os italianos se organizaram, fundando sindicatos e a Società Dante Alighieri, construindo um prédio para o funcionamento de uma escola para os seus filhos. São Carlos também recebeu os imigrantes espanhóis que, em 1896, fundaram a Real Sociedad Española Beneficente y Instructiva e construíram o prédio que hoje pertence à Sociedade de São Vicente de Paulo.

Cidade do Clima[editar | editar código-fonte]

Cidade do Clima é o título dado por seu clima com características especiais. Inclusive, a cidade festeja há mais de 30 anos a Festa do Clima, que acontece todo mês de abril.

Atenas Paulista[editar | editar código-fonte]

Atenas Paulista é o título dado à cidade de São Carlos, por seu grande número de instituições educacionais.

A cidade começou a ser um grande centro escolar com a fundação do Colégio São Carlos em 1905, a Escola Normal Secundária em 1911 (atualmente, "Escola Estadual Dr. Álvaro Guião"), e o Colégio Diocesano, em 1923. A cidade recebe em 1949 a Escola de Educação Física de São Carlos (atualmente, curso absorvido pela UFSCar em 1993), o Ginásio Estadual Jesuíno de Arruda em 1957 (atualmente, Escola Estadual Jesuíno de Arruda), e a Escola de Biblioteconomia em 1959, sob o título de Fundação Educacional de São Carlos (absorvida, pela UFSCar em 1993).

A partir de 1952 São Carlos abriga a primeira universidade, a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da (USP). Em 1960, a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) é criada em 1968, instalada em 1970. Em 1968 vem a Faculdade de Direito de São Carlos (hoje, FADISC), seguida em 1972 pelo Centro Superior de Ensino ASSER - Associação de Escolas Reunidas (hoje, Universidade Central Paulista UNICEP).

Cidade Sorriso[editar | editar código-fonte]

Cidade Sorriso é o título mais antigo da cidade.[carece de fontes?] Ela recebeu esse título pela simpatia com que seus habitantes recebem os seus visitantes, desde os tempos das viagens de trem, seus bondes, e a vida noturna que a cidade possuia no passado recente.

Sanca[editar | editar código-fonte]

Sanca é como a cidade vem sendo conhecida a partir dos anos 90 pela comunidade estudantil, principalmente pelos paulistanos e paulistas que estudam na cidade.

A denominação foi muito bem aceita pelos moradores da cidade, e hoje a grande maioria de seus habitantes a denominam "Sanca". Uma alusão a "Sampa", de São Paulo.

Capital da Tecnologia[editar | editar código-fonte]

Capital da Tecnologia título que a cidade adquiriu na última década.

Com várias indústrias de alta tecnologia junto ao São Carlos Science Park, o pólo realizava a "Feira de Alta Tecnologia" (Fealtec), todo mês de outubro até o ano de 2002 completando 17 (dezessete) edições, dentro da Oktobertech (Mês da Tecnologia).[10] [11]

O ParqTec foi inaugurado no ano de 2008, pelo governo do estado de São Paulo.[12] [13]

Capital do Conhecimento[editar | editar código-fonte]

Capital do Conhecimento é um título dado a cidade pela Lei Municipal nº14.917 de 23 de abril de 2009. Segundo o vereador que propôs a Lei, Lineu Navarro, na justificativa – que se pronunciou em plenário - observou que em São Carlos, 1 de cada 180 habitantes tem título de doutor. No Brasil, a razão é de 1 para 5.423 habitantes. 14,5 patentes por 100.000 habitantes é a média anual de registros da cidade. Nas universidades locais, 39 cursos de graduação e 70% dos programas de pós-graduação locais são da área de ciências exatas. 200 empresas da cidade são consideradas de alta tecnologia, em setores como ótica, novos materiais e instrumentação.

Capital Nacional da Tecnologia[editar | editar código-fonte]

A presidente Dilma Roussef aprovou, no dia 13 de outubro de 2011, a lei que confere ao município de São Carlos o título de Capital Nacional da Tecnologia.

O projeto, que foi apresentado pelo então deputado federal Lobbe Neto, traz como justificativa o alto nível tecnológico das pesquisas desenvolvidas pela Universidade de São Paulo (USP), pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e pelos demais centros aqui instalados. Também faz referência a maior concentração per capita de profissionais com doutorado do país: enquanto a média brasileira é de 1 doutor para cada 5.423 habitantes, em São Carlos é de 1 para 180.[14]

Referências

  1. TRUZZI, O. M. S. Café e indústria - São Carlos: 1850-1950. 2a ed. São Carlos: EdUFSCar, 2000. [Cf. p. 95.]
  2. NEVES, Ary Pinto das. São Carlos na esteira do tempo: 1884-1984. São Carlos: s.n., [c. 1984]. [Cf. p. 27.]
  3. TRUZZI, O. M. S. Café e indústria - São Carlos: 1850-1950. 2a ed. São Carlos: EdUFSCar, 2000. [Cf. p. 111.]
  4. a b GOMES, P. F. S. São Carlos e o Movimento Constitucionalista de 1932: poder local e cooptação ideológica. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Universidade Federal de São Carlos, 2008, link. [Cf. p. 72.]
  5. TRUZZI, O. M. S. Café e indústria - São Carlos: 1850-1950. 2a ed. São Carlos: EdUFSCar, 2000. [Cf. p. 111.]
  6. DOZENA, A. São Carlos e seu 'desenvolvimento': contradições urbanas de um pólo tecnológico. Dissertação de mestrado. Universidade de São Paulo, 2001. link. [Cf. p. 46.]
  7. SÃO CARLOS. Lei Municipal nº 14.917 de 2009. São Carlos, 2009. link.
  8. CORDEIRO, L. F. "Sanca Hub reúne startups de São Carlos". Jornal Primeira Página, 27 nov. 2012. link.
  9. BRASIL. Lei nº 12.504, de 11 de outubro de 2011. Confere ao Município de São Carlos, no Estado de São Paulo, o título de Capital Nacional da Tecnologia. Brasília, 2011. link.
  10. http://www.eventoeletronico.com.br/oktobertech/
  11. http://www.parqtec.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=8&Itemid=126
  12. http://www.desenvolvimento.sp.gov.br/noticias/?ID=891
  13. http://www.brasilagro.com.br/index.php?noticias/detalhes/17/7208
  14. http://www.saocarlosagora.com.br/cidade/noticia/2010/11/04/13177/cidade-do-clima-athenas-paulista-cidade-sorriso-capital-da-tecnologia-capital-do-conhecimento/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]