Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco surgiu a partir do Curso de Letras - criado pela Lei Federal nº 1.254, de 4 de dezembro de 1950 - da Faculdade de Filosofia de Pernambuco (fundada em 1941), instituição estadual de ensino superior e uma das células embrionárias da Universidade do Recife, criada em 1946.

Em 1965, a Universidade do Recife passou a integrar o novo sistema de educação do país com o nome de Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), autarquia vinculada ao MEC, ocorrendo o desmembramento da então Faculdade de Filosofia de Pernambuco em Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Instituto de Educação e Instituto de Letras.

Em 1975, passou a integrar a estrutura do Centro de Artes e Comunicação, havendo os antigos departamentos do Instituto de Letras sido unificados sob a atual denominação de Departamento de Letras.

Cursos[editar | editar código-fonte]

Graduação[editar | editar código-fonte]

O profissional de Letras deverá ter um domínio da língua materna e da língua estrangeira escolhida, assim como competência lingüística e textual que lhe permita um domínio de leitura dos mais variados tipos de texto. Deve, ainda, ter uma visão interdisciplinar na área das Ciências Humanas e Sociais que lhe possibilite um melhor desempenho como professor, pesquisador e tradutor.

Outro traço importante que deverá caracterizar o profissional de Letras é a sensibilidade para o texto literário e para as artes em geral. O profissional de Letras destina-se prioritariamente ao magistério de 1º e 2º graus e ensino universitário, bem como à tradução e revisão de textos.

  • Ficha do Curso
Autorização Funcionamento / Criação do Curso
Decreto nº 28.092, de 8 de maio de 1950
Reconhecimento do Curso
Lei nº 1.254, de 4 de dezembro de 1950 (publicada em 08/12/1950)
Vagas no Vestibular
1ª Entrada: 60 vagas (manhã)
2ª Entrada: 50 vagas (tarde)
Carga Horária
2.460 horas
Duração do Curso
Mínima: 06 semestres
Máxima: 14 Semestres
Modalidades
Bacharelado em Língua Portuguesa
Pesquisador
Crítico Literário
Bacharelado em Língua Francesa
Pesquisador
Tradutor
Bacharelado em Língua Inglesa
Pesquisador
Tradutor
Licenciatura em Língua Portuguesa
Licenciatura em Línguas Portuguesa e Espanhola
Licenciatura em Línguas Portuguesa e Francesa
Licenciatura em Línguas Portuguesa e Inglesa

Pós-Graduação[editar | editar código-fonte]

A Pós-Graduação de Letras teve início com cursos de Especialização em 1975. A seguir, no segundo semestre de 1976, surgiu o Mestrado em Linguística e Teoria da Literatura, que obteve credenciamento em 1980. O curso de Doutorado em Linguística, foi iniciado em 1990, e em 1993 teve sua primeira tese defendida. Até o fim de 2005, quarenta e quatro teses de Doutorado em Linguística foram concluídas e defendidas. O Doutorado em Teoria da Literatura foi iniciado em junho de 1996, quando foi feita a primeira seleção. Foram defendidas, até o final de 2005, dezoito teses.
Desde sua criação, em 1976, o Programa de Pós-Graduação em Letras tem como objetivo geral a formação de profissionais qualificados para as atividades de ensino e pesquisa nas áreas de Teoria da Literatura e Linguística, buscando, como prioridade primeira, o avanço do conhecimento científico nos seus respectivos campos de estudo. Já o objetivo específico dos cursos de Mestrado em Teoria da literatura e Linguística é oferecer condições -através das linhas de pesquisa, dos grupos e núcleos de pesquisa, das orientações, das disciplinas oferecidas, da biblioteca do programa, e dos seminários e congressos promovidos- para que o aluno aprofunde e desenvolva seu conhecimento profissional e acadêmico, e, principalmente, sua habilidade para realizar pesquisa nos citados campos de estudo. No Doutorado, o objetivo específico consiste em oferecer ao aluno oriundo do Mestrado oportunidade para que ele possa desenvolver, nas citadas áreas de concentração do Programa, estudo avançado, original e independente, habilitando-o plenamente para o ensino e a pesquisa intelectual e científica.
É relevante frisar que o Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPE, de longa tradição em pesquisa, foi o primeiro a ser instalado no Nordeste e Norte do País e já formou 288 mestres e 62 doutores até dezembro de 2005. Isto revela que o Programa tem formado uma considerável massa crítica de pesquisadores, hoje situados em todas as regiões do país. Dentro da PG, há vários Núcleos e Grupos de Pesquisa em funcionamento, desenvolvendo trabalhos que, por meio dos seus estudos, vêm tendo impacto nacional. No programa acham-se engajados 26 docentes doutores, seis dos quais recebem bolsa de Produtividade em Pesquisa/CNPq (níveis 1A, 1B, 1C e 2). Dos atuais 26 docentes, metade é de Teoria da Literatura e a outra metade de Linguística.
O Programa de Pós-Graduação em Letras promove e assessora cursos de especialização nas áreas de Literatura, Línguas e Linguística, e mantém a revista Investigações: Linguística e Teoria Literária, que divulga artigos de pesquisadores nacionais e estrangeiros das duas áreas, em dois números anuais

  • Ficha dos Cursos

Mestrado

Início do Curso:
Linguística: 1976
Teoria da Literatura
Duração Máxima: 24 meses (12 para obtenção dos créditos e 12 para elaboração da dissertação)
Número de Créditos: 24 (3 obrigatórios e 21 eletivos)
Credenciamento: 1980
Conceito CAPES: 5 (2005)

Doutorado

Início do Curso:
Linguística: 1990
Teoria da Literatura: 1996
Duração Máxima: 48 meses
Número de Créditos: 36 (3 obrigatórias e 33 eletivos).
Conceito CAPES: 5 (2005)

Linhas de pesquisa

Linguística

Análise Sócio-Pragmática do Discurso
Estudo do funcionamento da linguagem, em contextos de uso, investigando os aspectos lingüísticos, discursivos e filosóficos tais como a enunciação, a produção de sentido, os atos de fala e a argumentatividade.
Linguagem, Tecnologia e Ensino
Estudos da linguagem e de sua relação com o ensino-aprendizagem de línguas (materna, estrangeira, segunda língua, indígenas) mediados por recursos tecnológicos, impressos, eletrônicos, digitais e por recursos didáticos tradicionais, contemplando-se também comunidades especiais.
Organização Linguística da Produção Oral e Escrita
Investigação da produção discursiva dos pontos de vista etnográfico, cognitivo e semântico-discursivo do texto oral e escrito, envolvendo problemas de organização, desenvolvimento, compreensão, tipologia, morfologia, sintaxe e léxico e fenômenos prosódicos.
Linguagem, Trabalho e Sociedade
Estudos das práticas discursivas em sociedade, dialogando com os aportes teóricos de diversos campos do saber aplicado a domínios midiático, jurídico, literário, artístico, clínico, educacional, de saúde, ciência e tecnologia nas relações sociais de trabalho.
Aspectos Estruturais e Históricos na Descrição de Línguas
Descrição histórica e estrutural do português brasileiro e de línguas indígenas, e aspectos interculturais.

Teoria da Literatura

Literatura, Sociedade e Memória
Estudo das relações entre a literatura e a formação social: processos de produção e recepção da obra literária. Texto literário e experiência vivida:organização e análise de acervos documentais e literários, edição crítica de textos, com principal ênfase na produção do Nordeste.
Literatura e Intersemiose
Relações entre literatura, outras manifestações artísticas, e as tecnologias da informação e da comunicação.
Literatura e Estudos Culturais
Estudo das representações culturais em textos literários. Cultura enquanto negociação discursiva de práticas, formas e relações de poder entre o local e o global, que contribui para a formação das identidades e das diversas localizações (raça, etnicidade, classe, gênero, etc) do sujeito.
Literatura Comparada
Estudo comparativo de textos literários no plano nacional e internacional com o objetivo de problematizar semelhanças e diferenças entre estilos, épocas, movimentos literários, autores, temas específicos.

Núcleos de Pesquisa e Extensão[editar | editar código-fonte]

NURC - Projeto Norma Urbana Culta[editar | editar código-fonte]

Projeto de âmbito nacional iniciado em 1969, o NURC-Recife, cuja coordenação inicial coube ao professor José Brasileiro Tenório Vilanova, começou seus trabalhos oficialmente em 1971.

Seu objetivo era documentar e descrever a norma objetiva do português culto falado em cinco capitais brasileiras: Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Recife, contudo, a partir de 1985, considerando as novas tendências de análise lingüística, ampliou-se o escopo do projeto, no sentido de abraçar outros aspectos, tais como: análise da conversação, análise da narrativa, análise sócio-pragmática do discurso e outros.

Atualmente o NURC-Recife conta com um acervo de mais de 300 horas de gravações de fala, que tem servido como corpus para os alunos de Mestrado e Doutorado da Pós-Graduação em Letras da UFPE e de outras instituições do país. As pesquisas realizadas com o material do NURC vão de fonologia e morfossintaxe a estudos pragmático-discursivos dos diferentes tipos de interação verbal.

NEI - Núcleo de Estudos Indigenístas[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1980, é um centro de estudos do Departamento de Letras da UFPE especializado na área de linguística indigenista, com particular enfoque para a documentação, a descrição e a análise de línguas indígenas, sob variadas abordagens teóricas. Também atua na área da educação indígena (envolvendo ensino monolíngüe e bilíngüe) e do patrimônio arqueológico. Assessora a Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco, junto a qual oferece palestras e cursos voltados para professores índios. O NEI dispõe de uma mini-biblioteca aberta ao público em geral.

NELFE - Núcleo de Estudos Lingüísticos da Fala e Escrita[editar | editar código-fonte]

Realizando seus trabalhos desde março de 1995 sobre as relações entre língua falada e escrita dentro do contínuo dos gêneros textuais, tem como um de seus objetivos centrais mostrar que a relação fala-escrita pode ser vista de modo dinâmico e que as diferenças entre ambas é menor do que sugerido tradicionalmente. O estudo caracteriza-se como uma análise qualitativa e não quantitativa. Opera com base num corpus autêntico com mais de 200 gêneros textuais distribuídos pela fala e escrita, selecionados com critérios específicos. A preocupação metodológica tem três aspectos:

a) análises procedidas com base em dados empíricos reais;
b) análises com critérios fundados em teorias e metodologias explicitadas;
c) análises de marcas, traços, estratégias e categorias teoricamente explicitados.

NUCEPI - Grupo de Estudos em Compreensão e Produção (Inter)Lingüísticas[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1998, por iniciativa dos professores Abuêndia Padilha Peixoto Pinto e Francisco Gomes de Matos, teve como objetivo congregar professores do Departamento de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras a fim de possibilitar a estudantes e pesquisadores um amplo contato com acadêmicos de diferentes universidades estrangeiras. Seu objetivo principal é realizar produção de conhecimento sobre aspectos contemporâneos relativos ao uso da linguagem, concernentes à relação entre cognição, linguagem e ensino e a relação entre linguagem em contextos específicos de uso. Dentre seus objetivos específicos estão os processos de produção e compreensão tanto em língua materna, quanto em língua estrangeira, bem como os estudos discursivos produzidos em contexto midiático, clínico e jurídico.

Nas duas últimas décadas, o interesse pelo trabalho dos lingüistas aplicados no ramo do aprendizado da língua materna, no Brasil, tem crescido bastante, tendo em vista a necessidade de se buscar soluções para problemas educacionais vinculados aos processos de ensino-aprendizagem da linguagem, em geral, e da leitura e escrita, de modo especial, mas não exclusivo. Eis a razão pela qual esta área é, hoje, uma prioridade no campo das políticas públicas de educação.

Assim, com o intuito de promover a internalização de operações psicológicas mais complexas nas habilidades de leitura-escrita de acordo com o paradigma sociointeracionista, vem desenvolvendo pesquisas cujas metas são:

a) facilitar a convivência do aluno universitário com a diversidade de textos presentes no seu cotidiano;
b) promover uma maior independência na leitura;
c) possibilitar a produção de textos diversificados, conforme a situação em que o aluno estiver inserido.

GPRI - Grupo de Pesquisa "Percepção e Representação Intercultural"[editar | editar código-fonte]

O grupo de pesquisa "Percepção e representação Intercultural" foi fundado em 1997, e já promoveu vários seminários e colóquios, no marco dos convênios internacionais aos quais está vinculado. O grupo é de natureza interdisciplinar, e está composto por professores e pesquisadores oriundos de vários campos de saber (literatura, história, antropologia, comunicação, filosofia, psicologia, entre outros).

As pesquisas do grupo analisam as inumeráveis pressões internas e internas que incidem sobre a identidade e a formas múltiplas de diferença, e que determinam o deslocamento no espaço e no tempo dos sujeitos individuais e dos atores sociais. Observam igualmente as relações e interações desses indivíduos ou atores sociais com o mundo ambiente (cosmos, família, Estado, cidade, campo, o aqui e o alhures, o transcendente), discutindo aspectos relativos à etnicidade, sexualidade, cultura e a cidadania no sentido mais amplo possível.

GEML - Grupo de Estudos "Mulher na Literatura"[editar | editar código-fonte]

Realiza pesquisas sobre História e Memória da Literatura Pernambucana, a "Educação de mulheres em Pernambuco" e "Mulheres e Abolição da Escravatura em Pernambuco: a entre sala".

NEC - Núcleo de Estudos Canadenses[editar | editar código-fonte]

Criado em 2002, o núcleo tem apoio do governo canadense, na forma de material bibliográfico, e está se constituindo em importante espaço para a pesquisa dos alunos, possibilitando, ainda, o estreitamento de parcerias acadêmicas, entre os pesquisadores brasileiros e canadenses.

LHAC - Grupo de Estudos Literatura Hispano-Americana Colonial[editar | editar código-fonte]

O grupo de pesquisa "Literatura hispano-americana colonial" surge em 2004, e vem a institucionalizar as investigações desenvolvidas nessa área no departamento de Letras da UFPE desde 2001. O objetivo do grupo consiste em estudar as diversas configurações discursivas da literatura hispano-americana produzida nos séculos XVI e XVII. Escritos por espanhóis, indígenas ou mestiços, esses textos vão criando novos gêneros que se correspondem com as novas realidades criadas pela ordem colonial: a crônica histórica, a relação de viagens, as cartas, os comentários, o documento político, o tratado etnográfico, o breviário religioso, a poesia épica, de circunstância, etc. Marcados pelas peculiares condições dos campos intelectuais hispano-americanos, esses gêneros se desenvolvem de forma autônoma e diferenciada. O grupo se propõe a analisar essa vasta malha discursiva, para desse modo contribuir na formação dos nossos alunos e pesquisadores através da multiplicação e aprofundamento das pesquisas relativas às letras hispano-americanas desse período.

NEHTE - Núcleo de Estudos sobre Hipertexto e Tecnologias na Educação[editar | editar código-fonte]

Tem como principal objetivo pesquisar as aplicações das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) na aprendizagem, bem como:

desenvolver estudos que enfoquem estratégias de ensino-aprendizagem à distância mediadas por TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação)
realizar cursos presenciais e à distância para capacitação de docentes do ensino fundamental, médio e superior na utilização de Ambientes Virtuais de Aprendizagem
prestar serviços de consultoria a instituições públicas e privadas analisando softwares, ofertando cursos de extensão e pós-graduação lato senso, e elaborando propostas curriculares adequadas à implantação de cursos à distância
promover encontros científicos (seminários, simpósios, congressos) para debates e avaliação de questões ligadas às TICs aplicadas à educação
propiciar a inclusão social pelo Letramento Digial

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.