Deputados brasileiros às Cortes de Lisboa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Esta é uma lista parcial dos deputados das províncias brasileiras presentes nas Cortes de Lisboa, de 1821 a 1822, em decorrência da Revolução liberal do Porto. No dia 23 de março de 1821, D. João VI ao partir do Rio de Janeiro de volta a Lisboa determinou que "sem perda de tempo, se façam as eleições dos deputados para representarem o Reino do Brasil nas Cortes Gerais Extraordinárias e Constituintes da Nação Portuguesa, convocadas em Lisboa".[1] Foram 97 os deputados e suplentes eleitos.[2]

Deputados[editar | editar código-fonte]

Lista complementada com base na "Lista Nominal dos Deputados do Brasil à Assembleia Constituinte de Lisboa de 1821 a 1823" de Mello Moraes.[3]

Província Deputado
Alagoas[4] Manuel Marques Grangeiro 1
Francisco de Assis Barbosa 2
Francisco Manuel Martins Ramos 3
Amazonas João Lopes da Cunha 4
Bahia[5][6] Cipriano Barata 5
Alexandre Gomes de Argolo Ferrão 6
Marcos Antônio de Sousa 7
Pedro Rodrigues Bandeira 8
José Lino dos Santos Coutinho 9
Domingos Borges de Barros 10
Luís Paulino de Oliveira Pinto da França 11
Francisco Agostinho Gomes 12
Luís José de Barros Leite 13
Ceará[7] Antônio José Moreira 14
Manuel do Nascimento Castro e Silva 15
José Martiniano Pereira de Alencar[8] 16
Pedro José da Costa Barros 17
Espírito Santo[9] João Fortunato Ramos dos Santos 18
Goiás[10] Joaquim Teotônio Segurado 19
Maranhão[11] Joaquim Vieira Belford 20
José João Beckman e Caldas 21
Minas Gerais Belchior Pinheiro de Oliveira 22
Manuel Ferreira da Câmara Bittencourt Aguiar e Sá 23
José Teixeira da Fonseca Vasconcelos 24
Manuel Rodrigues da Costa 25
Estêvão Ribeiro de Resende 26
José Alves do Couto Saraiva 27
Jacinto Furtado de Mendonça 28
João Severiano Maciel da Costa 29
Lucas Antônio Monteiro de Barros 30
José de Resende Costa Filho 31
Teotônio Alves de Oliveira Maciel 32
Antônio Teixeira da Costa 33
José de Oliveira Pinto Botelho e Mosqueira 34
Manuel Veloso Soares 35
João Gomes da Silveira Mendonça 36
José Joaquim da Rocha 37
Francisco Pereira de Santa Apolônia 38
João Evangelista de Faria Lobato 39
José Antônio da Silva Maia 40
Lúcio Soares Teixeira de Gouveia 41
Antônio da Rocha Froes 42
Cândido José de Araújo Viana 43
Antônio Gonçalves Gomide 44
Domingos Alves de Oliveira Maciel 45
José Custódio Dias 46
João Gomes da Silveira Mendonça 47
Francisco de Paula Pereira Duarte 48
José Cesário de Miranda Ribeiro 49
José Elói Ottoni 50
Pará[12] Romualdo de Sousa Coelho 51
Romualdo Antônio de Seixas 52
Francisco de Sousa Moreira 53
Paraíba[13] Francisco Xavier Monteiro de França 54
José da Costa Cirne 55
Pernambuco[14][15] Domingos Malaquias de Aguiar Pires Ferreira 56
Gervásio Pires Ferreira 57
Inácio Pinto de Almeida Castro 58
Félix José Tavares de Lira 59
Manuel Zeferino dos Santos 60
Pedro de Araújo Lima 61
João Ferreira da Silva 62
Francisco Muniz Tavares 63
Antônio de Pádua Vieira Cavalcanti (suplente) 64
Francisco Xavier de Lossio e Seiblitz (suplente) 65
Manuel Félix de Veras 66
Piauí Domingos da Conceição 67
Manuel de Sousa Borges Leal 68
Rio de Janeiro[16] Custódio Gonçalves Ledo[17] 69
João Soares de Lemos Brandão 70
Francisco Lemos de Faria Pereira Coutinho 71
José Joaquim da Cunha Azeredo Coutinho 72
Luis Martins Bastos 73
Joaquim Gonçalves Ledo 74
Francisco Vilela Barbosa[18] 75
Luis Nicolau Fagundes Varela 76
Rio Grande do Sul[19] João de Santa Bárbara 77
José Martins Zimblão (suplente) 78
José Saturnino da Costa Pereira 79
Santa Catarina[20][21] Lourenço Rodrigues de Andrade 80
José da Silva Mafra (suplente) 81
São Paulo[22] Antônio Carlos Ribeiro de Andrada (não assinou ou jurou a Constituição portuguesa de 1822[2]) 82
Nicolau Pereira de Campos Vergueiro (não assinou ou jurou a Constituição portuguesa de 1822[2]) 83
José Ricardo da Costa Aguiar de Andrada (não assinou ou jurou a Constituição portuguesa de 1822[2]) 84
Diogo Antônio Feijó (não assinou ou jurou a Constituição portuguesa de 1822[2]) 85
José Feliciano Fernandes Pinheiro (assinou e jurou a Constituição portuguesa de 1822[2]) 86
Antônio Manuel da Silva Bueno (suplente; não assinou ou jurou a Constituição portuguesa de 1822[2]) 87
Antônio Pais de Barros (não tomou assento[2]) 88
Francisco de Paula Sousa e Melo (não compareceu[2]) 89

Deputados que aprovaram a constituição[editar | editar código-fonte]

Em 23 de setembro de 1822 a constituição foi aprovada, com 36 deputados brasileiros, sendo 25 do nordeste. Não incluiu os deputados brasileiros que abandonaram as cortes, como o baiano Cipriano Barata e o paulista Antônio Carlos de Andrada e Silva, irmão de José Bonifácio.[23]

  1. Alexandre Gomes de Argolo Ferrão, deputado pela Bahia
  2. Antônio José Moreira, pelo Ceará
  3. Domingos Borges de Barros, pela Bahia
  4. Custódio Gonçalves Ledo, pelo Rio de Janeiro
  5. Domingos da Conceição, pelo Piauí
  6. Domingos Malaquias de Aguiar Pires Ferreira, por Pernambuco
  7. Félix José Tavares de Lira, por Pernambuco
  8. Francisco de Assis Barbosa, por Alagoas
  9. Francisco Manuel Martins Ramos, por Alagoas
  10. Francisco Moniz Tavares, por Pernambuco
  11. Francisco de Sousa Moreira, pelo Pará
  12. Francisco Vilela Barbosa, pelo Rio de Janeiro
  13. Francisco Xavier Monteiro de França, pela Paraíba
  14. Inácio Pinto de Almeida Castro, por Pernambuco
  15. João Ferreira da Silva, por Pernambuco
  16. João Lopes da Cunha, pelo Rio Negro (atual Amazonas)
  17. João Soares de Lemos Brandão, pelo Rio de Janeiro
  18. Joaquim Teotônio Segurado, por Goiás
  19. José da Costa Cirne, pela Paraíba
  20. José João Beckman e Caldas, pelo Maranhão
  21. José Lino dos Santos Coutinho, pela Bahia
  22. José Martiniano Pereira de Alencar, pelo Ceará
  23. José Feliciano Fernandes Pinheiro, por São Paulo
  24. Lourenço Rodrigues de Andrade, por Santa Catarina
  25. Luis Martins Bastos, pelo Rio de Janeiro
  26. Luiz Nicolau Fagundes Varella, pelo Rio de Janeiro
  27. Manuel Filippe Gonçalves, pelo Ceará
  28. Manuel Felix de Veras, por Pernambuco
  29. Manuel Marques Grangeiro, pelas Alagoas
  30. Manuel do Nascimento Castro e Silva, pelo Ceará
  31. Manuel Zeferino dos Santos, por Pernambuco
  32. Marcos Antônio de Sousa, pela Bahia
  33. Miguel Sousa Borges Leal, pelo Piauí
  34. Pedro de Araújo Lima, por Pernambuco
  35. Pedro Rodrigues Bandeira, pela Bahia
  36. Romualdo de Sousa Coelho, bispo e deputado pelo Pará

Referências

  1. Portal da Câmara dos Deputados Reino Unido (1815-1822)
  2. a b c d e f g h i SILVA NETO, Casimiro Pedro da. "A construção da democracia : síntese histórica dos grandes momentos da Câmara dos Deputados, das assembléias nacionais constituintes e do Congresso Nacional". Brasília : Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 2003, p.47. Acessado em 18 de agosto de 2013.
  3. Alexandre José de Mello Moraes, História do Brasil-Reino e Brasil-Império. Tomo 1. Belo Horizonte: Editora Itatiaia; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1982. Página 190.
  4. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 98.
  5. Carlos Guilherme Mota (organizador): "Viagem incompleta". Página 129, no Google Books (visualização parcial)
  6. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 98.
  7. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 185.
  8. A História da Câmara dos Deputados: José Martiniano de Alencar
  9. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 176.
  10. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 176.
  11. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 96.
  12. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 176.
  13. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 132.
  14. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 69.
  15. Alexandre José Mello Moraes: Historia do Brasil-reino e Brasil-imperio
  16. Manuel Emílio Gomes de Carvalho: Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, 1979. Página 57.
  17. Às armas, cidadãos! Panfletos manuscritos da independência do Brasil (1820-1823). Organização, transcrição, introdução e notas por José Murilo de Carvalho, Lúcia Bastos e Marcello Basile
  18. Francisco Vilela Barbosa (1.° Visconde e Marquês de Paranaguá)
  19. Carmen Aita, Gunter Axt e Vladimir Araujo (organizadores). Parlamentares gaúchos das Cortes de Lisboa aos nossos dias: 1821-1996
  20. Walter Piazza. Dicionário Político Catarinense. Florianópolis : Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1985
  21. Oswaldo Rodrigues Cabral: A História da Política em Santa Catarina Durante o Império. Edição em 4 volumes, organizada por Sara Regina Poyares dos Reis. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004. Volume I, página 54
  22. Alfredo Ellis Júnior: Feijó e a primeira metade do século XIX, 2ª edição. São Paulo : Ed. Nacional, 1980. Página 49
  23. Brasil na Monarquia Parlamentar Portuguesa (1821 - 1822)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]