Desciclopédia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Desciclopédia
Uncyclopedia logo notext.svg
Logotipo da Desciclopédia
Slogan A enciclopédia livre de conteúdo
Tipo de sítio
Requer pagamento? não
Cadastro opcional e gratuito
Idioma(s) português
Lançamento 7 de agosto de 2005 (17 anos)
Endereço eletrônico desciclopedia.org
Estado atual Ativo

Desciclopédia é um website satírico que parodia a Wikipédia. Fundado em 2005 no formato de uma wiki em inglês, o projeto atualmente tem versões em mais de 75 idiomas. O website original tem mais de 60,000 artigos.[1]

O projeto foi lançado em janeiro de 2005, por Jonathan Huang (Seattle, 24 de outubro de 1985) (Chronarion) e um parceiro de pseudônimo Stillwaters (ou Euniana), com o nome Uncyclomedia Foundation[2][3] (parodiando a Wikimedia Foundation), e supostamente seria uma ampliação da seção "bad jokes and other deleted nonsense", uma seção da Wikipédia anglófona onde se agrupavam conteúdos intencional ou não-intencionalmente humorísticos, constantemente retirados por não serem considerados enciclopédicos (e cuja versão em português encontra-se em "piadas foleiras e outros disparates apagados").

Etimologia

A origem etimológica do nome Desciclopédia, no caso do Brasil, Portugal e países lusófonos é derivado do português des = não + ciclopédia = enciclopédia, uma versão derivada do original em inglês internacional un + cyclopedia.

Números

A versão em português foi criada em 7 de agosto de 2005 e possui aproximadamente 55.000 artigos.[4] É a maior dentre suas irmãs, seguida da Uncyclopedia, a wiki-paródia original em inglês.

Ao longo de sua existência, este projeto tem conseguido se espalhar pelo mundo por mais de quarenta línguas, tornando-se o terceiro maior projeto ao estilo wiki no mundo. Seus usuários mantêm a estrutura de uma enciclopédia em muito semelhante à Wikipédia, dando formato de valor científico aos seus verbetes que fogem da informação verdadeira, muitas vezes usando propositadamente de preconceitos, declarações e citações vexatórias e palavras de baixo calão a celebridades, pessoas e personagens conhecidas.

Servidor

Algumas versões da Uncyclopedia usavam servidores da Wikia; todos eles (incluindo a Uncyclopedia original) foram removidos da Wikia em 2019.[5]

Outras wikis do projeto, como a Desciclopédia, são hospedadas em servidores localizados no Canadá e operados por uma organização chamada de "Uncyclomedia Foundation".[6] E em alguns casos especiais, há uma hospedagem própria apenas para o idioma.

Impacto cultural

A Desciclopédia já foi utilizada como fonte pelos Poderes Executivo e Judiciário do Governo Federal do Brasil, e citada pelo Poder Legislativo.

Poder Executivo

No documento Plano Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável, realizado pelo Instituto Samaritano de Políticas Públicas Albert Schweitzer em 2010, com apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário, através da Secretaria de Desenvolvimento Territorial, o trecho que fala sobre o município de Santo Afonso (Mato Grosso) é baseado na Desciclopédia:[7]

Poder Judiciário

Em 2009, quando o advogado Paulo Roberto Yung se candidatou ao cargo de desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, o conselheiro da OAB em São Paulo, Horacio Bernardes Neto, rejeitou seu pedido por considerar um achincalhe o fato de Paulo Roberto Yung ter apresentado, como referência, um contrato de prestação de serviço e honorários advocatícios, de 1996, do adido comercial do Domínio de Melchizedek.

Segundo o conselheiro Horacio Bernardes Neto, da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo, o advogado postulante à vaga na lista sêxtupla para concorrer a uma vaga de desembargador no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo instruiu o pedido com um documento tosco, injurídico, imperfeito, quiçá fraudulento, formalizado por uma representação diplomática inexistente no Brasil, firmado por um cidadão estrangeiro, não regularmente identificado, que se auto intitula adido comercial de uma micronação sem representação no Brasil. O conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo disse, ainda, que ao procurar no sistema processual do Tribunal de Justiça de São Paulo, não encontrou uma única ação em que o advogado Paulo Roberto Yung defendeu o Domínio de Melchizedek.[8]

A fonte usada pelo conselheiro da OAB, entretanto, foi a Desciclopédia.[9]

Poder Legislativo

O deputado federal pelo Tocantins, Ângelo Agnolin, quando propôs um projeto de lei para censurar a Internet no Brasil utilizou, como argumentos, o fato do Tocantins ser insultado por meio do Twitter e de um verbete do site supostamente humorístico chamado Desciclopédia.[10]

Eleições

Nas eleições estaduais no Maranhão em 2010, a propaganda de Roseana Sarney utilizou a Desciclopédia como fonte fiável para dizer que seus adversários a estariam atacando e também o Maranhão.[11][12][13]

Material Didático no Mato Grosso

Em 2013, a Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (SETAS) do Mato Grosso solicitou a elaboração de um material didático que chegou a ser distribuído, e por pouco não foi utilizado, em um curso de capacitação de pessoal para a Copa do Mundo. No material, o que não faltaram foram textos recheados de brincadeiras e sátiras sobre a cultura e a História da região, aparentemente copiados a partir da “Desciclopédia”. O diretor do Instituto contratado para a elaboração das apostilas se responsabilizou pelo ocorrido, alegando que o problema provavelmente ocorreu por conta de ação de sabotadores.[14]

Mensagens nas notificações do Facebook

Em 25 de junho de 2015 as notificações do Facebook foram alteradas com mensagens referentes à Desciclopédia por algumas horas.[15][16][17][18] Vários usuários da rede social relataram o aparecimento de mensagens como "Fora politicamente correto, volta Desciclopédia", "O FB manda cair, mas a DP vai resistir", "Na União Soviética, a Desciclopédia derruba o Facebook", entre outras. O ato foi uma represália após o Facebook retirar duas páginas de fãs da Desciclopédia do ar em pouco mais de dois meses, sendo que a página original com o namespace /desciclopedia e com cerca de 400 mil seguidores na época retirada do ar em abril de tal ano e a página reserva sob o namespace /desciclopediaII com pouco menos de 40 mil seguidores derrubado em tal data. Em nota, o Facebook declarou que as alterações foram feitas usando o sistema de tradução do site, que aceita as sugestões dos usuários.[19]

Em outras línguas

A Desciclopédia é a maior Uncyclopedia desde junho de 2010.[20] A Uncyclopedia (nome do projeto precursor, em inglês) conta hoje com versões em mais de 50 línguas.

Outros logos

As versões em algumas línguas possuem logotipo diverso, entre elas:

Ver também

Referências

  1. Uncyclopedia
  2. Diógenes Muniz (15 de setembro de 2006). «"Wikipédia do mal" escracha celebridades com humor». Folha de S.Paulo. Consultado em 27 de maio de 2011 
  3. «UnMeta» (em inglês). Consultado em 27 de maio de 2011 
  4. Dados de 12 de Fevereiro de 2018, vide «Desciclopédia». Especial:Estatísticas 
  5. [1]
  6. [2], informação do site www.domaintools.com
  7. Instituto Samaritano de Políticas Públicas Albert Schweitzer (2010). «Plano Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável» (PDF). Ministério do Desenvolvimento Agrário. Consultado em 8 de abril de 2022. Arquivado do original (PDF) em 8 de outubro de 2013 
  8. «Advogado de país fictício quer ser desembargador». Consultor Jurídico. 18 de março de 2009. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  9. Marina Ito, site Consultor Jurídico, Advogado de país fictício quer ser desambargador, matéria de 18 de março de 2009 [em linha]
  10. Câmara dos Deputados, Departamento de Taquigrafia Revisão e Redação, Sessão: 134.1.54.0, Data: 31/05/11, Turno: Vespertino, Tipo da Sessão: Ordinária - CD, Local: Plenário Principal - CD, Início: 14h, Término: 18h06min (pdf) Arquivado em 4 de fevereiro de 2014, no Wayback Machine.
  11. Felipe Sáles (14 de setembro de 2010). «Roseana Sarney usa site humorístico para forjar ataque ao Maranhão». Extra. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  12. Camila Tuchlinski (14 de setembro de 2010). «Programa de Roseana Sarney defende o MA contra informações da Desciclopédia». Estadão. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  13. «DESCICLO – NERDPÉDIA». Superinteressante. 21 de julho de 2011. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  14. Maria Luciana Rincón (23 de abril de 2013). «Desciclopedia vira fonte para apostilas de capacitação no Mato Grosso». Mega Curioso. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  15. «Mensagens supostamente hackeadas aparecem nas notificações de usuários no Facebook». GZH. 25 de junho de 2015. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  16. «Facebook é invadido por mensagens a favor de site humorístico». R7. 25 de junho de 2015. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  17. Maria Clara Pestre (25 de junho de 2015). «Facebook mostra mensagens estranhas sobre 'desciclopédia' em suposto bug». TechTudo. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  18. Paulo Macedo (26 de junho de 2015). «Desciclopédia no Facebook? As mensagens estranhas seriam um bug?». Osasco Notícias. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  19. «Facebook diz que invasão de mensagens a favor de site humorístico foram erros de tradução». R7. 26 de junho de 2015. Consultado em 20 de outubro de 2021 
  20. http://uncyclopedia.info/index.php?title=Template:Pagecount&diff=prev&oldid=10648
  21. Tem como fonte uma atualização diária automárica da página «Predefinição:Pagecount». na Desciclopédia 
  22. Desde 2007

Ligações externas