Descontinuidade de Conrad

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A descontinuidade de Conrad corresponde ao plano sub-horizontal presente na crosta terrestre continental em que a velocidade das ondas sísmicas aumenta descontinuadamente. Esta descontinuidade é observada em várias regiões continentais em uma profundidade de 15 a 20 km, porém não ocorre em regiões oceânicas. A descontinuidade de Conrad é menos nítida do que a descontinuidade de Mohorovičić. Além disso, existem regiões continentais sem essa descontinuidade. A descontinuidade de Conrad delimita geofisicamente crosta continental superior e inferior. Até a mediana do século XX, era interpretada que nas regiões continentais a crosta superior é constituída por rochas félsicas representadas por granito, denominadas "SiAl" e a crosta continental inferior, rochas máficas representadas por basalto, "SiMa". Portanto, os sismólogos daquela época consideraram que a descontinuidade de Conrad corresponde ao contado brusco entre as duas camadas quimicamente distintas, isto é SiAl e SiMa. Entretanto, a partir da década de 1960, vem surgindo uma forte dúvida à esta opinião entre os geólogos. O significado geológico exato da descontinuidade de Conrad ainda não está bem esclarecido. As zonas de fusão parcial que ocorrem espalhadas na crosta continental é um candidato.