Deserto de Moçâmedes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Deserto de Moçâmedes é uma zona desértica árida localizada na África Austral, estendendo-se para norte ao longo da costa atlântica de Angola a partir da fronteira Angola–Namíbia por cerca de 450 km² e constituindo a extensão mais setentrional do Deserto do Namibe. A região é uma área de planícies de cascalho e plataformas rochosas intercaladas com grandes campos de dunas de areia.[1]

Voltado para o Oceano Atlântico a oeste, o deserto se eleva gradualmente para leste até uma planície semiárida onde crescem acácias e árvores de pau-ferro africanos que confina com a escarpa íngreme da Serra da Chela. O nevoeiro frequente e as temperaturas relativamente frias da região são causadas pela Corrente de Benguela ao largo da costa. Não há praticamente nenhuma precipitação na superfície do deserto. Na cidade de Moçâmedes, no centro do deserto, a pluviosidade anual é inferior a 50 milímetros.[1]

O Deserto de Moçâmedes é quase totalmente desabitado; comunidades são encontradas principalmente em pequenas vilas de pescadores na costa. A Welwitschia mirabilis, uma planta única com caule curto e duas folhas gigantescas que pode sobreviver por um século, é endêmica do deserto.[2][3]

Referências

  1. a b «Moçâmedes Desert». Encyclopedia Britannica (em inglês). 20 de julho de 1998. Consultado em 20 de outubro de 2022 
  2. Costa, Luisa (3 de agosto de 2021). «Planta que vive milhares de anos tem seus segredos genéticos revelados». Superinteressante. Editora Abril. Consultado em 20 de outubro de 2022 
  3. Paiva, Jorge (30 de agosto de 2021). «A "Welwitschia mirabilis" tem tanto de invulgar como de bizarra». Público. Consultado em 20 de outubro de 2022 
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia de Angola, integrado ao projecto Angola, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.