Desfiladeiro urbano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Desfiladeiro urbano da Rua 42, Manhattan, Nova Iorque
Outra perspetiva do desfiladeiro urbano da Rua 42, Manhattan, Nova Iorque

Desfiladeiro urbano, vale urbano ou cânion urbano (em inglês: street canyon ou urban canyon) é um local do cenário urbano no qual o adensamento de edifícios, de obras de infraestrutura e outros elementos artificiais/naturais cria um ambiente de comportamento similar a um desfiladeiro para fenômenos como temperatura, umidade e propagação de sinais de rádio [1][2]. Exemplos clássicos destes "desfiladeiros" existem quando as ruas são estreitas em proporção com a altura dos edifícios em redor, especialmente na presença de arranha-céus. Exemplos incluem a Avenida Paulista na cidade de São Paulo,Brasil muitas ruas da Magnificent Mile de Chicago, o Canyon of Heroes em Manhattan e os bairros de Kowloon e Central em Hong Kong.

Os desfiladeiros urbanos causam impacto em várias condições locais, incluindo temperatura (originando microclimas e ilhas de calor)[3], condições de vento,[4] qualidade do ar,[5] e capacidade de recepção de ondas de rádio, incluindo sinais de sistemas de posicionamento por satélite como o GPS.[6][7].

Comportamento dos GNSS nos desfiladeiros urbanos[editar | editar código-fonte]

Em termos de GNSS, desfiladeiros urbanos restringem a visão do horizonte de observação para recepção direta dos sinais dos satélites, em geral, permitindo a aquisição de sinais apenas para satélites em alta elevações ou na linha da via [6][1][2]. Como os sinais e a geometria dos satélites são obtidos de forma degradada, em geral, a solução de navegação quando obtida é de baixa qualidade [1][2]. As soluções típicas para uso de GNSS em desfiladeiros urbanos envolvem a utilização de sistemas de navegação multissensor, combinação de múltiplas técnicas GNSS e adoção de recursos que permitam caracterizar bloqueios no ambiente [1][2].

Referências

  1. a b c d Groves, P.D.; et al. (2012). «Intelligent Urban Positioning using Multi- Constellation GNSS with 3D Mapping and NLOS Signal Detection» (PDF). 25th International Technical Meeting of the Satellite Division of 
  2. a b c d Pissardini, R.S.; et al. (2017). «O problema do posicionamento para transporte terrestre no ambiente urbano». Revista Brasileira de Geomática. 5 (3): 380-403. ISSN 2317-4285 
  3. Nunez, M; T. R. Oke (1977). «The Energy Balance of an Urban Canyon». Journal of Applied Meteorology. 16: 11–19. doi:10.1175/1520-0450(1977)016<0011:teboau>2.0.co;2 
  4. Lien, F.S.; E. Yee; Y. Cheng (2004). «Simulation of mean flow and turbulence over a 2D building array using high-resolution CFD and a distributed drag force approach». Journal of Wind Engineering and Industrial Aerodynamics. 92: 117–158. doi:10.1016/j.jweia.2003.10.005 
  5. Pirjola, L.; Lähde, T.; Niemi, J.V.; Kousa, A.; Rönkkö, T.; Karjalainen, P.; Keskinen, J.; Frey, A.; Hillamo, R. (2012). «Spatial and temporal characterization of traffic emissions in urban microenvironments with a mobile laboratory». Atmospheric Environment. 63: 156. doi:10.1016/j.atmosenv.2012.09.022 
  6. a b Misra, P., P. Enge (2006). Global Positioning System: Signals, Measurements, and Performance, Second Edition. Lincoln (MA), U.S.A: Ganga-Jamuna Press 
  7. Groves,P.D. (2008). Principles of GNSS, inertial, and multisensor integrated navigation systems. [S.l.]: Artech House