Desmopressina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Desmopressina é um fármaco sintético que é análogo da vasopressina (ADH ou Hormônio AntiDiurético, do inglês, AntiDiuretic Hormone).

A desmopressina é um substituto sintético da vasopressina, hormônio que reduz a produção de urina. Pode ser administrada por via nasal, por via intravenosa ou na forma de comprimido de uso oral ou sublingual. A indicação médica mais utilizada é no tratamento do diabetes insipidus, da enurese ou da noctúria.

Farmacologia [editar | editar código-fonte]

A desmopressina (1-desamino-8-D-arginina vasopressina) é uma forma sintética da vasopressina (hormônio antidiurético ou ADH), um peptídeo composto de nove aminoácidos. Em comparação com a vasopressina, na desmopressina eliminou-se um grupo amino no primeiro aminoácido e modificou-se a arginina na oitava posição. Além disso, a molécula está na forma dextro e não na forma levo (ver estereoquímica).

Indicações[editar | editar código-fonte]

Enurese

A desmopressina é utilizada no tratamento da enurese noturna (quando o paciente perde urina na cama). Em geral, o fármaco é prescrito na forma de acetato de desmopressina para uso oral. As crianças que tomam desmopressina apresentam 2,2 noites a menos com enurese por semana e são 4,5 vezes mais propensas a dormir sem interrupção, em comparação com o placebo [1] [2]

As agências reguladoras de medicamentos nos Estados Unidos proibiram o tratamento da enurese noturna com aerossóis nasais depois que dois pacientes morreram e 59 sofreram convulsões. Os pacientes estavam usando a desmopressina quando desenvolveram hiponatremia, um desequilíbrio dos níveis de sódio no corpo. [3]

Micções noturnas[editar | editar código-fonte]

A desmopressina é benéfica para adultos que urinam mais de duas vezes durante a noite (condição conhecida como noctúria), pois favorece a diminuição das micções durante a noite e faz com que o indivíduo tenha um sono mais reparador. Contudo, não se recomenda o seu uso em pessoas com mais de 75 anos de idade [4]

Transtornos da coagulação [editar | editar código-fonte]

A desmopressina pode ser utilizada para promover a liberação do fator de von Willebrand (e o consequente aumento do fator VIII secundário ao complexo vWF) em pacientes com transtornos da coagulação, tais como a doença de von Willebrand, a hemofilia A leve (deficiência do fator VIII) e a trombocitopenia. O fármaco pode ser utilizado em pacientes com uremia induzida por disfunção plaquetária. Não é eficaz no tratamento da hemofilia B (deficiência do fator IX) ou da hemofilia A grave.

Diabetes insipidus[editar | editar código-fonte]

A desmopressina é utilizada no tratamento do diabetes insipidus (DI) central, para substituir o ADH endógeno que não é produzido no sistema nervoso central de pacientes com esse transtorno (diminuição da produção de ADH por parte da hipófise posterior). É utilizada também na investigação diagnóstica do diabetes insipidus, com a finalidade de distinguir entre o DI central e o nefrogênico.

Usos clínicos[editar | editar código-fonte]

Efeitos secundários[editar | editar código-fonte]

Cefaleia (dor de cabeça)

Rubor facial

Náuseas

Hiponatremia

Convulsões

As agências reguladoras do FDA (órgão americano de controle de alimentos e medicamentos) assinalaram que os comprimidos de desmopressina podem ser considerados seguros para o tratamento da enurese noturna, desde que o paciente esteja bem. Os pacientes devem deixar de tomar a desmopressina se desenvolverem vômitos intensos e diarreia, febre, gripe ou resfriado grave. Os pacientes também devem ser muito cautelosos ao tomarem a desmopressina em caso de clima quente ou depois de exercícios extenuantes, pois essas condições podem gerar desequilíbrio no balanço normal de água e sal do corpo humano.

Se os níveis de sódio se tornarem demasiadamente baixos (hiponatremia) – em decorrência de uma assimilação maior de água ou da redução dos níveis de sal – a pessoa pode sofrer convulsões e, em casos extremos, pode morrer [5]

Mecanismo de acção[editar | editar código-fonte]

Activa os receptores V2 da ADH nos túbulos renais, aumentando a absorção de água.

Aumenta a concentração sanguínea de mediadores da coagulação como os factores de von Willebrand e VIII presentes no endotélio dos vasos.

A desmopressina funciona mediante a diminuição da quantidade de água eliminada na urina. Atua no tubo coletor renal, por meio da união aos receptores V2, por translocação dos canais de aquaporina, através de vesículas citoplasmáticas da membrana apical dos tubos coletores. A presença desses canais de aquaporina no néfron distal provoca um aumento da reabsorção de água da urina, que é redistribuída passivamente do néfron para a circulação sistêmica através de canais da membrana basolateral  [6] A desmopressina também estimula a liberação do fator de von Willebrand pelo endotélio celular, ao atuar sobre o receptor V2.

A desmopressina é degradada mais lentamente que a vasopressina recombinante e requer uma administração menos frequente. Além disso, tem pouco efeito sobre a pressão arterial, diferentemente da vasopressina, que pode causar hipertensão arterial. A vasopressina estimula a liberação de ACTH, o que aumenta indiretamente a capacidade de resposta aos receptores alfa-1 na musculatura lisa dos vasos sanguíneos, levando a um aumento do tônus vascular e da pressão arterial. A desmopressina não estimula a liberação de ACTH e, portanto, não modifica diretamente a pressão arterial.

Administração[editar | editar código-fonte]

Spray intranasal, intravenosa, subcutânea ou oral. É muito utilizado para tratamento de hemorragias, principalmente na doença de von Willebrand.

Efeitos clinicamente úteis[editar | editar código-fonte]

Aumenta a reabsorção de água e sódio nos túbulos do rim.

Aumenta a coagulação sanguínea, é eficaz no controlo de algumas hemorragias internas inacessíveis.

Efeitos adversos[editar | editar código-fonte]

  • Vasodilatação facial (face vermelha e quente)
  • Dores de cabeça
  • Nauseas
  • Retenção de água.
  • Trombose arterial.
  1. Evans, JH (2001). "Evidence based management of nocturnal enuresis". BMJ (Clinical research ed.) 323 (7322): 1167–9. doi:10.1136/bmj.323.7322.1167. PMC 1121645. PMID 11711411.. [S.l.: s.n.].
  2. "La prise en charge de l’énurésie nocturne primaire". Paediatr Child Health 10 (10): 616–620. 2005. PMC 2722621. PMID 19668677.. [S.l.: s.n.].
  3. Deaths Spur sleep apnea Drug Warning. Webmd.com (2007-12-04). Retrieved on 2011-04-18.. [S.l.: s.n.].
  4. Ebell, MH; Radke, T; Gardner, J (Sep 2014). "A systematic review of the efficacy and safety of desmopressin for nocturia in adults.". The Journal of Urology 192 (3): 829–35. doi:10.1016/j.juro.2014.03.095. PMID 24704009.. [S.l.: s.n.].
  5. Friedman FM, Weiss JP (December 2013). "Desmopressin in the treatment of nocturia: clinical evidence and experience". Ther Adv Urol 5 (6): 310 doi:10.1177/1756287213502116. PMC 3825109. PMID 24294289.. [S.l.: s.n.].
  6. Friedman FM, Weiss JP (December 2013). "Desmopressin in the treatment of nocturia: clinical evidence and experience". Ther Adv Urol 5 (6): 310 doi:10.1177/1756287213502116. PMC 3825109. PMID 24294289.. [S.l.: s.n.].