Detonador (DC Comics)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Detonador (DC Comics)
Outro(s) nome(s) Grant Albert Emerson
Espécie humano/meta-humano
Afiliações Combatentes da Liberdade
Novos Titãs
Sociedade da Justiça
Terra Natal Atlanta, Georgia
Criado por Tom Joyner
Bill Marimon
Primeira aparição Damage #1 (Abril de 1994)
Editora(s) DC Comics
Espécie humano/meta-humano
Terra natal Atlanta, Georgia
Afiliações Combatentes da Liberdade
Novos Titãs
Sociedade da Justiça
Habilidades resistência, durabilidade, velocidade, reflexos, rajadas energéticas manuais.

Detonador é um personagem de histórias em quadrinhos criados pela DC Comics, sendo um estudante chamado Grant Emerson, que descobre ser um meta-humano com poderes explosivos inacreditaveis. Sua primeira aparição se deu no Detonador #1-2 (1994, nos Estados Unidos. Já no Brasil na revista dos Novos Titãs).

Origem[editar | editar código-fonte]

Grant Emerson era filho de Al Pratt, o primeiro Átomo, e sua esposa, Mary. Sua mãe morreu durante o parto e, como seu pai estava preso no Limbo ao lado dos outros membros-fundadores da Sociedade da Justiça da América, Grant foi adotado por dois funcionários da corporação Symbolix e eventualmente mudou-se para Atlanta, onde descobriu que era um Meta-Humano com superforça, semi-invulnerabilidade e o poder de lançar discargas de energia atômica. Durante um confronto entre os Combatentes da Liberdade e o vilão Barão Blitzkrieg, Grant acidentalmente explodiu metade do centro de Atlanta e foi condenado à prisão pelo crime. Porém, os Titãs, que, na época, era financiados pelos federais e liderados por Roy Harper, o Arsenal, conseguiram abrandar sua sentença e ele foi apenas expulso do estado da Geórgia para sempre.

Arsenal convidou Grant para entrar para os Titãs e aprender como controlar seus superpoderes e ele aceitou, tornando-se um super-herói conhecido como Detonador.

Zero Hora[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Zero Hora (DC Comics)

Durante a Zero Hora, os poderes de Grant transformaram-se a faísca que reiniciou o universo.

Novos Titãs[editar | editar código-fonte]

Após a Zero Hora, o Detonador decidiu deixar os Titãs e descobrir quem eram seus verdadeiros pais (Ele não sabia na época). No processo, ele descobriu que sua adoção foi parte do Projeto Telemachus da Corporação Symbolix, que, com a ajuda de Vandal Savage, injetou em Grant o DNA de vários super-heróis para observar os resultados. Ele também descobriu que seus pais adotivos, que ele acreditava terem morrido em um acidente de carro, foram na verdade mortos pela Symbolix. Mesmo com os abusos que sofreu nas mãos do pai adotivo, Grant vingou suas mortes e, em seguida, retornou para os Titãs após um breve período no retiro Navajo onde Roy Harper foi criado, para purificar sua alma.

Quando os Titãs debandaram após a morte de Tróia e Sine, Grant foi convidado por seu mentor, Iron Munro, a entrar para os Combatentes da Liberdade, onde aprendeu como controlar melhor seus poderes com a ajuda de Roy Lincoln, o Bomba Humana. Ele também ficou próximo de Alberth Rothstein, o Esmaga-Átomo da Sociedade da Justiça da América e afilhado do Átomo.

Durante a Crise Infinita, os Combatentes da Liberdade foram mortos pela Sociedade Secreta de Supervilões. Apenas Grant sobreviveu, mas seu rosto foi mutilado pelo Professor Zoom. Ele passou a usar a máscara de seu pai e tornou-se um herói mais violento e rebelde. Pouco depois, ele aceitou entrar para a Sociedade da Justiça da América, onde foi "adotado" por Rick Tyler, o Homem-Hora, e Jesse Chambers, a Liberty Belle.

Na equipe, Grant conheceu e se apaixonou por Sônia Sato, a nova Mestra Judoca, e sua aparência foi brevemente devolvida pelo Velho Deus Gog, o que levou Grant a tornar-se extremamente arrogante e vaidoso e destruir sua amizado com o Esmaga-Átomo, que ficou furioso por Grant ter destruído a casa de Al Pratt durante uma discussão. Pouco depois, quando Gog foi derrotado, as cicatrizes de Grant voltaram, mas a Mestra Judoca não se importou e os dois começaram a namorar.

Porém, o relacionamento deles foi breve: Grant foi morto pela Lanterna Negra Jean Loringa durante a Noite Mais Densa, e a fagulha de esperança que ela absorveu de seu coração foi a faísca necessária para que a Bateria Negra atingisse 100% de carga e o Senhor dos Mortos Nekron voltasse à vida.

Poderes[editar | editar código-fonte]

Grant tem superforça, velocidade e agilidade ampliadas, semi-invulnerabilidade e o poder de causar explosões de energia atômica. Recentemente, ele passou a também concentrar essa energia em suas mãos, dando-lhe um poder similar ao "Soco Atômico" de seu pai, o Átomo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) personagem de Banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre Banda desenhada da DC Comics é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.