Deuses Harmoniosos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Altar aos Dii Consentes, onde estão representados todas as doze maiores deidades romanas.

Deuses Harmoniosos (em latim: Dii Consentes; também: Dei Consentes, Di Consentes e, uma vez, Dii Complices[1]) é uma expressão de origem latina atribuída aos doze principais deuses e deusas romanos. Suas estátuas douradas estavam no Fórum Romano, e depois, ao que parece, no Pórtico dos Deuses Harmoniosos.[2] O poeta Ênio enumerou-os numa paráfrase de um poeta grego desconhecido[3] no fim do século III a.C.:

Juno, Vesta, Minerva, Ceres, Diana, Vênus,
Marte, Mercúrio, Júpiter, Netuno, Vulcano, Apolo

São organizados em pares por Tito Lívio:[4] Júpiter-Juno, Netuno-Minerva, Marte-Vênus, Apolo-Diana, Vulcano-Vesta e Mercúrio-Ceres, e três deles formam a Tríade Capitolina, que são Júpiter, Juno e Minerva.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Arnóbio III.40
  2. Samuel Ball Platner, The Topography and Monuments of Ancient Rome (1904), pp. 173–174.
  3. Ênio, fragmento 45 = Varrão, De re rustica, I.I.4.
  4. Tito Livio, XXII.10.9.