Dez Milhas Garoto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dez Milhas Garoto
Detalhes da corrida
Data Setembro
Local Vitória e Vila Velha,  Espírito Santo
Percurso 16.093 m
Últimos vencedores
Masculino
Brasil Wellington Bezerra da Silva
Feminino
Quénia Esther Chesang Kakuri
Recordes
Masculino
Brasil Luiz Antonio dos Santos 00:45:49
Feminino
Brasil Silvana Pereira 00:53:06

A Dez Milhas Garoto é uma corrida de rua com 10 milhas, com 16 mil e noventa e três metros, realizada nas cidades de Vitória e Vila Velha no Espírito Santo, Brasil. É a mais tradicional e importante corrida do Espírito Santo entre os corredores profissionais e amadores. Os brasileiros Marílson Gomes dos Santos com quatro vitórias e Márcia Narloch com seis vitórias são os maiores vencedores da prova.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Dez Milhas Garoto organizada pela empresa Chocolates Garoto, foi criada em 1989 para celebrar o aniversário de 60 anos da empresa, antes conhecida como "Corrida Rústica", era apenas entre funcionários e a comunidade do entorno da empresa, com o trajeto somente em Vila Velha. A partir de 1990, o percurso começou a abranger também a capital do Espírito Santo, Vitória, e além disso, passou a se chamar "Dez Milhas Garoto". A prova é oficializada pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e Federação Capixaba de Atletismo (FECAt).[1][2]

Em 2001 a prova não foi realizada devido ao processo de reestruturação na empresa. Porém, em 2002 a prova volta a ser realizada, trazendo novidades como a 1ª Corrida Garotada.[3]

Em 2013, os quenianos Edwin Kipsang, no masculino, e Nancy Kipron, no feminino, chegaram na frente. Os brasileiros que mais se destacaram na prova foram Giovani dos Santos, que chegou na terceira posição, e a medalista de prata nos Jogos Pan-americanos de 2011 nas provas dos 5.000 e 10.000 metros, Cruz Nonata da Silva, que foi a quarta colocada.[2]

Na prova de 2014, o etíope Leul Gerbreselassie vence a prova masculina seguido do queniano Joseph Kachapin Aperumoi e do brasileiro Daniel Chaves da Silva. Na prova feminina, a queniana Delvine Relin chega em primeiro com a representante da Tanzânia Failuna Abdi Matanga em segundo e em terceiro a brasileira Cruz Nonata da Silva.[4]

Em 2015, os quenianos Edwin Kipsang e Delvine Relin, pela segunda vez, venceram as provas masculina e feminina, respectivamente. Os melhores brasileiros chegaram em terceiro lugar, Giovani dos Santos e Sueli Pereira. Na disputa que não envolvia os 23 corredores da elite, o melhor capixaba entre os homens foi Alessandro Paula da Silva e entre as mulheres foi Márcia Casagrande.[5]

Em 2016 a prova foi realizada em setembro diferentemente dos anos anteriores que acontecia em agosto em decorrência da realização dos Jogos Olímpicos de 2016.[6] O queniano Joseph Kachapin Aperumoi conquista o bicampeonato na prova masculina enquanto Giovani dos Santos fica com a segundo colocação. Na prova feminina foi vencida por Consolata Cherotich também do Quênia. A melhor brasileira foi Kleidiane Barbosa na segunda colocação. Os melhores capixabas foram Alequessandro da Silva e Jenaina Tolentino. Edicarlos dos Santos venceu a prova para cadeirantes.[7]

Em 2017 a prova foi realizada novamente em setembro. O etíope Belete Adere Tola vence a prova masculina enquanto Gilmar Silvestre Lopes fica com a segundo colocação. Na prova feminina foi vencida pela queniana Esther Chesang Kakuri. A melhor brasileira foi Joziane Cardoso na terceira colocação. Os melhores capixabas foram Valério de Souza e Tiane Marcarini.[8]

Em 2018 o brasileiro Wellington Bezerra da Silva venceu a prova masculina após oito anos de domínio africano. Na prova feminina foi vencida novamente pela queniana Esther Chesang Kakuri. A melhor brasileira foi Franciane dos Santos Moura na terceira colocação.[9]

Percurso[editar | editar código-fonte]

A prova inicia-se na Praia de Camburi em Vitória, atravessa a Terceira Ponte que divide os municípios de Vitória e Vila Velha, com vista para o Convento da Penha, grande ponto turístico e religioso do estado. A chegada é em frente à fábrica da Chocolates Garoto no bairro da Glória em Vila Velha.[10]

Corrida Garotada[editar | editar código-fonte]

A Corrida Garotada é versão para crianças e jovens de 6 a 17 anos da Dez Milhas Garoto. Em 2017 foi a 16ª edição da prova com distâncias de 200 a 1600 metros realizados apenas na cidade de Vila Velha, um dia antes da Dez Milhas Garoto.[11]

Vencedores[editar | editar código-fonte]

Ano Homens País Tempo Mulheres País Tempo
2018
Wellington Bezerra da Silva
Brasil 48:55
Esther Chesang Kakuri
Quénia 57:18
2017
Belete Adere Tola
Etiópia 48:15
Esther Chesang Kakuri
Quénia 57:40
2016
Joseph Kachapin Aperumoi
Quénia 47:29
Consolata Cherotich
Quénia 59:49
2015
Edwin Kipsang
Quénia 47:52
Delvine Relin
Quénia 54:50
2014
Leul Gerbresilase
Etiópia 47:18
Delvine Relin
Quénia 57:08
2013
Edwin Kipsang
Quénia 47:00
Nancy Kipron
Quénia 55:16
2012
Joseph Kachapin Aperumoi
Quénia 47:01
Rumokol Chepkanan
Quénia 54:13
2011
Kimutai Kiplimo
Quénia 48:05
Eunice Jepkirui Kirwa
Quénia 55:43
2010
Marílson Gomes dos Santos
Brasil 47:45
Eunice Jepkirui Kirwa
Quénia 55:11
2009
Franck Caldeira
Brasil 47:58
Meseret Heilu
Etiópia 56:05
2008
Willian Gomes
Brasil 48:39
Nancy Kipron
Quénia 56:24
2007
Clodoaldo Gomes da Silva
Brasil 48:44
Ednalva Silva
Brasil 55:49
2006
Marílson Gomes dos Santos
Brasil 47:39
Lucélia Peres
Brasil 55:23
2005
Franck Caldeira
Brasil 48:23
Márcia Narloch
Brasil 56:20
2004
Marílson Gomes dos Santos
Brasil 47:53
Márcia Narloch
Brasil 56:25
2003
Valdenor dos Santos
Brasil 48:58
Márcia Narloch
Brasil 56:01
2002
Marílson Gomes dos Santos
Brasil 47:41
Márcia Narloch
Brasil 55:10
2001 Não disputada
2000
Joseph Waweru
Quénia 47:24
Márcia Narloch
Brasil 55:52
1999
John Gwako
Quénia 47:23
Viviany Anderson
Brasil 55:41
1998
John Gwako
Quénia 47:19
Márcia Narloch
Brasil 55:41
1997
Ronaldo da Costa
Brasil 47:21
Risoneide Wanderley
Brasil 56:43
1996
Delmir dos Santos
Brasil 48:04
Maria de Lourdes da Silva
Brasil 56:18
1995
Adalberto Garcia
Brasil 47:21
Viviany Anderson
Brasil 56:24
1994
Tomix da Costa
Brasil 48:25
Silvana Pereira
Brasil 57:35
1993
Luís Antônio dos Santos
Brasil 47:45
Silvana Pereira
Brasil 56:48
1992
Delmir dos Santos
Brasil 50:45
Viviany Anderson
Brasil 01:00:48
1991
Luís Antônio dos Santos
Brasil 45:49
Silvana Pereira
Brasil 53:06
1990
Severino da Silva
Brasil 46:42
Sônia Márcia Rodrigues
Brasil 56:42
1989
Delmir dos Santos
Brasil 50:28
Nerci Freitas Costa
Brasil 01:04:19

Vitórias por país[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «História da 10 Milhas Garoto». yescom.com.br. Consultado em 16 de junho de 2016 
  2. a b «Quenianos fazem 'dobradinha' e vencem as Dez Milhas Garoto, no ES». globoesporte.com. 1 de setembro de 2016. Consultado em 16 de junho de 2016 
  3. «Voluntários nas Dez Milhas Garoto». uvv.br. 10 de setembro de 2012. Consultado em 16 de junho de 2016 
  4. «Africanos mantêm hegemonia e dominam 25ª edição da Dez Milhas». globoesporte.com. 17 de agosto de 2014. Consultado em 17 de junho de 2016 
  5. «Quenianos dominam do início ao fim e vencem 26ª Dez Milhas Garoto, no ES». globoesporte.com. 16 de agosto de 2015. Consultado em 17 de junho de 2016 
  6. «Em 2016, tradicional Dez Milhas Garoto acontece em setembro». globoesporte.com. 1 de fevereiro de 2016. Consultado em 16 de junho de 2016 
  7. «Quenianos fazem dobradinha no pódio da 27ª Dez Milhas Garoto, no ES». globoesporte.com. 18 de setembro de 2016. Consultado em 19 de setembro de 2016 
  8. «Africanos dominam novamente e vencem as Dez Milhas Garoto 2017». globoesporte.com. 3 de setembro de 2017. Consultado em 4 de setembro de 2017 
  9. «Pernambucano, do Cruzeiro, põe fim em domínio africano e vence as Dez Milhas Garoto». globoesporte.com. 2 de setembro de 2018. Consultado em 2 de setembro de 2018 
  10. «Abertas as inscrições para a 27ª edição das Dez Milhas Garoto». globoesporte.com. 15 de junho de 2016. Consultado em 16 de junho de 2016 
  11. «28ª Dez Milhas Garoto e 16ª Corrida Garotada acontecem em setembro». globoesporte.com. 8 de maio de 2017. Consultado em 4 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]