Dia Internacional contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia
Tipo Internacional
Data 17 de maio
Frequência Anual

O Dia Internacional Contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia (em inglês: International Day Against Homophobia, Transphobia and Biphobia),[1][2] é comemorado no dia 17 de maio e tem como objetivo coordenar eventos internacionais que aumentem a conscientização sobre as violações dos direitos LGBT e estimulem o interesse pelo trabalho pelos direitos LGBT em todo o mundo. Até 2016, as comemorações aconteceram em 132 países.[3]

Os fundadores do Dia Internacional contra a Homofobia, como era originalmente conhecido, estabeleceram o Comitê IDAHO para coordenar ações de base em diferentes países, promover o dia e fazer lobby pelo reconhecimento oficial em 17 de maio. Essa data foi escolhida para comemorar a decisão de retirar a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1990.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Louis-Georges Tin, fundador do Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia[5]

O dia, como um conceito, foi concebido em 2004. Uma campanha de um ano culminou no primeiro Dia Internacional Contra a Homofobia em 17 de maio de 2005. 24.000 indivíduos e organizações como a Associação Internacional de Gays e Lésbicas (ILGA), a Comissão Internacional de Direitos Humanos de Gays e Lésbicas (IGLHRC), o Congresso Mundial de Judeus LGBT e a Coalizão de Lésbicas Africanas assinaram um apelo para apoiar a "iniciativa IDAHO". As atividades do dia aconteceram em muitos países, incluindo os primeiros eventos LGBT a acontecer no Congo, China e Bulgária.[6] A data de 17 de maio foi especificamente escolhida para comemorar a decisão da Organização Mundial da Saúde em 1990 de desclassificar a homossexualidade como um transtorno mental.[7]

Em 2009, a transfobia foi adicionada ao nome da campanha, e as atividades daquele ano se concentraram principalmente na transfobia (violência e discriminação contra pessoas trans). Uma nova petição foi lançada em cooperação com organizações LGBT em 2009 e foi apoiada por mais de 300 ONGs de 75 países, bem como três ganhadores do Prêmio Nobel (Elfriede Jelinek, Françoise Barré-Sinoussi e Luc Montagnier). Na véspera de 17 de maio de 2009, a França se tornou o primeiro país do mundo a remover oficialmente transgêneros de sua lista de doenças mentais.[8]

Louis-Georges Tin e dois outros membros do Comitê iniciaram uma greve de fome em junho de 2012 para impelir o presidente francês Hollande a apresentar uma resolução da ONU que descriminalizasse a homossexualidade.[9]

O francês Louis-Georges Tin foi o fundador da época e atuou como presidente do comitê até sua renúncia em setembro de 2013. Ele foi sucedido pela internacionalmente renomada ativista de direitos trans venezuelana, advogada e professora de direito Tamara Adrián, que se tornou uma das primeiras legisladoras trans da América Latina em 2015.[10]

Bifobia foi adicionado ao nome da campanha em 2015.[11]

A Lei de Execução da Interpretação Judicial Yuan nº 748 que legalizou o casamento homossexual em Taiwan foi aprovada no Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia em 2019,[12] com a lei entrando em vigor em 24 de maio de 2019.[13]

Objetivos e atividades[editar | editar código-fonte]

A ativista LGBTIQ+ Bianka Rodriguez marchando com a bandeira do arco-íris em um desfile dos direitos trans em San Salvador, El Salvador.

O principal objetivo das mobilizações de 17 de maio é aumentar a conscientização sobre violência, discriminação e repressão de comunidades LGBT em todo o mundo, o que, por sua vez, oferece uma oportunidade de agir e dialogar com a mídia, legisladores, opinião pública e sociedade civil em geral .

Um dos objetivos declarados para o dia 17 de maio é criar um evento que possa ser visível em um nível global sem a necessidade de se conformar a um tipo específico de ação.[14] Essa abordagem descentralizada é necessária devido à diversidade de contextos sociais, religiosos, culturais e políticos em que ocorrem violações de direitos. Como tal, isso leva a uma variedade de eventos e abordagens para comemorar o Dia Internacional contra a Homofobia.

Apesar das três questões principais mencionadas no nome da celebração, este dia é amplamente considerado como uma iniciativa que está “trabalhando para promover os direitos de pessoas com orientações sexuais, identidades ou expressões de gênero diversas e características sexuais”.[15] Isso permite um amálgama generalizada de diferentes expressões que se unem para compartilhar o orgulho de si mesmo, a felicidade e o amor com os outros, à medida que os participantes assumem o controle de diferentes formas desenfreadas de ódio no mundo.

17 de maio ao redor do mundo[editar | editar código-fonte]

Palácio de La Moneda iluminado com a bandeira LGBT em 2017 IDAHO

O dia é particularmente forte na Europa e na América Latina, onde é comemorado com eventos públicos em quase todos os países.[16] 17 de maio também é comemorado em vários países em todas as regiões do mundo, incluindo, em 2013, 32 dos 76 países do mundo[17] onde as relações entre pessoas do mesmo sexo são criminalizadas.[16]

Ações comuns incluem passeatas, desfiles e festivais de grande escala. Em Cuba, por exemplo, Mariela Castro organizou um grande desfile de rua em homenagem ao dia 17 de maio nos últimos três anos. No Chile, em 2013, 50.000 pessoas foram às ruas para comemorar o dia 17 de maio e a VIII Marcha pela Igualdade em Santiago.[18]

Eventos culturais e artísticos também são comuns. Por exemplo, ativistas de Bangladesh organizaram o festival de música "Love Music Hate Homophobia" em 2013.[19] Ativistas LGBT albaneses organizaram, em 2012 e 2013, um passeio anual Bike (P) ride para o dia 17 de maio pelas ruas da capital Tirana.[20] Em 2013, o Comitê do dia convocou ações internacionais para um Global Rainbow Flashmob[21] para marcar em 17 de maio. Ativistas em 100 cidades, em 50 países participaram de diversos eventos públicos, abrangendo lançamentos de balões coloridos, flashmobs de dança, eventos musicais e performance e arte de rua.[22]

Em 17 de maio de 2019, Taiwan se tornou o primeiro país da Ásia a reconhecer legalmente o casamento entre pessoas do mesmo sexo.[23]

Reconhecimento oficial[editar | editar código-fonte]

Em 2003, a organização canadense Fondation Émergence instituiu um evento semelhante, o Dia Nacional contra a Homofobia, que foi realizado em 1º de junho em Quebec. Em 2006, mudaram a data para 17 de maio, para ingressar no movimento internacional.[24]

Em 2006, a Declaração de Montreal foi criada e adotada pelo 2006 World Outgames. A Declaração exigia que as Nações Unidas e todos os estados reconhecessem o dia 17 de maio como o Dia Internacional contra a Homofobia.[25]

Em 2007, no Vale de Aosta (Itália), o governo aprovou o apoio ao IDAHOT.[26]

Em 2010, Lula, o então presidente do Brasil, assinou uma lei que instituiu o dia 17 de maio como o Dia Nacional Contra a Homofobia em seu país.[27][28].

O dia também é oficialmente reconhecido pelo Parlamento da UE, Espanha, Portugal, Bélgica, Reino Unido, México, Costa Rica, Croácia, Holanda, França, Luxemburgo e Venezuela. Também é reconhecida por várias autoridades locais, como a província de Quebec ou a cidade de Buenos Aires.[29]

Em 2012, a cidade de Liverpool, Inglaterra, criou um programa pioneiro de eventos em associação com a organização Homotopia, denominada IDAHO 50. O evento teve o apoio de 50 organizações líderes com sede em Liverpool.[30][31][32][33]

Em 21 de março de 2014, o México declarou, por Decreto Presidencial, 17 de maio como o Dia Nacional contra a Homofobia.[34]

A Assembleia Nacional da Venezuela (AN) reconheceu oficialmente o dia 17 de maio como o Dia contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia em 12 de maio de 2016.[35] A deputada Tamara Adrian, também presidenta internacional do Comitê IDAHO, saudou o ato legislativo como um "sinal de mudança" em uma Venezuela onde "todos têm direitos e oportunidades iguais".[36]

Em vários outros países (por exemplo, Argentina, Bolívia, Austrália e Croácia), as coalizões da sociedade civil nacional pediram às suas autoridades o reconhecimento oficial do dia 17 de maio.[37][38][39]

Em 17 de maio de 2021, o Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia foi oficialmente reconhecido e comemorado por mais de 130 países diferentes em todo o mundo.[40]

Impacto[editar | editar código-fonte]

O presidente Biden expressando seu apoio ao Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia.

Em 2019, 69 países ainda criminalizam as relações entre pessoas do mesmo sexo, o que significa que milhões de gays, lésbicas e bissexuais são incapazes de viver suas vidas abertamente.[41] Além disso, em 26 países,[41] indivíduos transgêneros estão sujeitos a punições e correm um risco desproporcional de violência em todo o mundo. IDAHOBIT é frequentemente usada como uma plataforma para organizar iniciativas para fazer avançar a luta pelos direitos de grupos LGBT+ em muitos países, mesmo naqueles (como Uganda) em que a homossexualidade é criminalizada.[42]

Um senso de conscientização da sociedade sobre essas questões duradouras tem ganhado cada vez mais atenção, à medida que várias figuras importantes no cenário global atual falam sobre sua aprovação e apoio a esta iniciativa. Destes, inclui uma declaração oficializada pelo 46º e atual presidente dos Estados Unidos, Joseph R. Biden Jr que destaca seu endosso e reconhecimento ao Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia. No comunicado divulgado, o presidente foi mais longe ao destacar que seu apoio seria combinado com ajuda contínua na formulação e implementação de novas ações para aliviar a discriminação LGBTQIA + dentro das comunidades, fazendo menção à Lei da Igualdade que em outubro de 2021 continua sendo um projeto de lei não aprovado.[43]

Além disso, foi constatado que no Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia de 17 de maio de 2021 que o Primeiro-Ministro do Canadá, Justin Trudeau, emitiu uma declaração sobre o apoio do governo canadense à sua população LGBTQ2. Ele deixou claro enfatizar o papel que todos têm na sociedade para criar um ambiente seguro onde todos possam florescer e viver suas vidas ao máximo. Os esforços feitos na criação do primeiro Plano de Ação LGBTQ2 federal foram mencionados, bem como a aprovação de "legislação para proteger totalmente a identidade e expressão de gênero", criando uma imagem segura e esperançosa para o futuro.[44]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Antigo logotipo da IDAHO

Referências

  1. «International Day Against Homophobia, Biphobia and Transphobia» [Dia Internacional contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia]. may17.org (em inglês). IDAHO Committee. Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 2 de fevereiro de 2021 
  2. «All Events, United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization». unesco.org (em inglês). Todos os eventos, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura: UNESCO. Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 16 de maio de 2021 
  3. «Summary Report 2016» [Relatório Resumido de 2016] (PDF). dayagainsthomophobia.org (em inglês). IDAHO Committee. 2016. Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada (PDF) em 17 de maio de 2021 
  4. «May 17th is the Intl Day Against Homophobia» [17 de maio é o Dia Internacional Contra a Homofobia]. Ilga.org (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 4 de julho de 2014 
  5. «International Day Against Homophobia and Transphobia». United States Embassy of London. Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 8 de setembro de 2015 
  6. Kwok, Diana K.; Wu, Joseph (3 de setembro de 2015). «Chinese attitudes towards sexual minorities in Hong Kong: Implications for mental health» [Atitudes chinesas em relação às minorias sexuais em Hong Kong: implicações para a saúde mental] 5ª ed. International Review of Psychiatry (em inglês). 27: 444–454. ISSN 0954-0261. PMID 26569635. doi:10.3109/09540261.2015.1083950. Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 21 de novembro de 2021 
  7. «What is May 17?» [O que é 17 de maio?]. may17.org (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 12 de maio de 2020 
  8. «Mobilisation mondiale contre la pénalisation de l'homosexualité» [Mobilização mundial contra a criminalização da homossexualidade]. lemonde.fr (em francês). 17 de maio de 2009. Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 17 de maio de 2009 
  9. Gray, Stephen (28 de junho de 2012). «IDAHO founder begins hunger strike for UN resolution on decriminalising homosexuality» [Fundador do IDAHO inicia greve de fome por resolução da ONU sobre descriminalização da homossexualidade]. PinkNews (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 4 de março de 2016 
  10. Cámara, Juan P. (7 de dezembro de 2015). «Venezuela Elects First Transgender Congresswoman in the Americas» [Venezuela elege primeira congressista transgênero das Américas]. OUT (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 28 de janeiro de 2021 
  11. «International Day against Homophobia, Transphobia, and Biphobia 2015» [Dia Internacional contra Homofobia, Transfobia e Bifobia 2015]. Mccchurch.org (em inglês). 12 de maio de 2015. Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 28 de janeiro de 2020 
  12. «Taiwan legalises same-sex marriage in first for Asia» [Taiwan legaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo pela primeira vez na Ásia]. PinkNews (em inglês). 17 de maio de 2019. Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 17 de maio de 2019 
  13. Hollingsworth, Julia (17 de maio de 2019). «Taiwan passes same-sex marriage bill, becoming first in Asia to do so» [Taiwan aprova projeto de lei de casamento entre pessoas do mesmo sexo, tornando-se o primeiro na Ásia a fazê-lo]. CNN (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 17 de maio de 2019 
  14. «MAY 17 2013 IN AUSTRALIA – EVENTS LISTINGS» [17 DE MAIO DE 2013 NA AUSTRÁLIA - LISTA DE EVENTOS] (em inglês). IDAHO Committee. Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 11 de outubro de 2013 
  15. «May 17 2021: A Day to Remember» [17 de maio de 2021: Um dia para lembrar]. May17.org (em inglês). 19 de maio de 2021. Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 12 de agosto de 2021 
  16. a b «REPORTS: Idaho - English» [RELATÓRIOS: Idaho - Inglês]. Annual Report 2013 (em inglês). IDAHO Committee. Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 7 de outubro de 2013 
  17. «2010 Report on State Sponsored Homophobia Throughout the World» [Relatório de 2010 sobre homofobia patrocinada pelo Estado em todo o mundo]. ILGA (em inglês). 17 de maio de 2010. Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 23 de março de 2014 
  18. Lavers, Michael K. (13 de maio de 2013). «More than 50,000 attend Chilean LGBT rights march» [Mais de 50.000 participam da marcha chilena pelos direitos LGBT]. Washington Blade (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 11 de novembro de 2020 
  19. «Bangladesh IDAHO Report 2013» [Relatório IDAHO de Bangladesh de 2013]. IDAHO Committee. Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 10 de junho de 2015 
  20. «An Unofficial View of Tirana» [Uma visão não oficial de Tirana] (em inglês). 31 de maio de 2013. Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 19 de outubro de 2013 
  21. «Homepage» [Pagina inicial] (em inglês). Global Rainbow Flashmob - Official Site. Consultado em 21 de novembro de 2021 
  22. «2013 Annual Report» [Relatório anual de 2013] (em inglês). IDAHO Committee. Consultado em 21 de novembro de 2021 
  23. Kuo, Lily (17 de maio de 2019). «Taiwan becomes first in Asia to legalise same-sex marriage» [Taiwan torna-se o primeiro na Ásia a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo]. The Guardian (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2021 
  24. Pearson, Craig (17 de maio de 2010). «Anti-Homophobia Day Marked In Windsor» [Dia anti-homofobia marcado em Windsor]. The Windsor Star (em inglês). Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 27 de junho de 2010 
  25. «Declaration of Montreal» [Declaração de Montreal] (PDF) (em inglês). International Conference on LGBT Human Rights. 29 de julho de 2006. Consultado em 21 de novembro de 2021 
  26. «OMOFOBIA:ARCIGAY, RISOLUZIONE CONSIGLIO VDA REGALO DI NATALE». regione.vda (em italiano). 21 de dezembro de 2012. Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 8 de maio de 2016 
  27. Felipe (5 de junho de 2010). «It is Official! May 17th is the National Day Against Homophobia in Brazil» [É oficial! 17 de maio é o Dia Nacional Contra a Homofobia no Brasil] (em inglês). International Resourse Network. Consultado em 21 de novembro de 2021. Arquivado do original em 7 de julho de 2010 
  28. «Brazil's President Lula decrees National Day Against Homophobia» [Presidente Lula decreta Dia Nacional contra a Homofobia]. dayagainsthomophobia.org (em inglês). Consultado em 22 de novembro de 2021. Arquivado do original em 25 de julho de 2011 
  29. «OFFICIAL RECOGNITION» [RECONHECIMENTO OFICIAL] (em inglês). IDAHO Committee. Consultado em 22 de novembro de 2021. Arquivado do original em 10 de outubro de 2013 
  30. Weston, Alan (15 de maio de 2012). «Liverpool supports IDAHO - the international day of action against homophobia» [Liverpool apoia o IDAHO - o dia internacional de ação contra a homofobia]. Liverpool Echo. Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2021 
  31. «17th May 2012 – The Inaugural Launch of Idaho 50» [17 de maio de 2012 - O Lançamento Inaugural de Idaho 50]. Liverpool Learning Disability (em inglês). 2012. Consultado em 22 de novembro de 2021. Arquivado do original em 4 de agosto de 2012 
  32. Weston, Alan (15 de maio de 2012). «Flying the flag for gay rights; Liverpool is the first city in the world to mark day of action, as Alan Weston discovers» [Agitando a bandeira pelos direitos dos homossexuais; Liverpool é a primeira cidade do mundo a marcar um dia de ação, como Alan Weston descobre] (em inglês). Liverpool Echo. Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2021 
  33. «Support International Day Against Homophobia & Transphobia» [Apoie o Dia Internacional contra a Homofobia e a Transfobia] (PDF) (em inglês). Consultado em 22 de novembro de 2021. Arquivado do original (PDF) em 2 de novembro de 2013 
  34. «Decreto por el que se declara 17 de mayo, Día Nacional de la Lucha contra la Homofobia» [Decreto que declara 17 de maio, Dia Nacional de Combate à Homofobia] (em espanhol). Presidencia de México. 21 de março de 2014. Consultado em 22 de novembro de 2021. Arquivado do original em 14 de maio de 2014 
  35. «Parlamento aprueba conmemorar el 17 de mayo en Venezuela como Día contra la homofobia, transfobia y bifobia» [Parlamento aprova a comemoração do dia 17 de maio na Venezuela como o Dia contra a homofobia, a transfobia e a bifobia] (em espanhol). 12 de maio de 2016. Consultado em 22 de novembro de 2021. Arquivado do original em 11 de junho de 2016 
  36. «Parlamento venezolano acuerda el 17 de mayo como Día Contra la Homofobia» [Parlamento venezuelano considera 17 de maio Dia contra a Homofobia]. El Nuevo Diario (em espanhol). Caracas, Venezuela. 12 de maio de 2016. Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 14 de agosto de 2021 
  37. «Embassy in Sweden | INTERNATIONAL DAY AGAINST HOMOPHOBIA, TRANSPHOBIA AND BIPHOBIA» [Embaixada na Suécia | DIA INTERNACIONAL CONTRA HOMOFOBIA, TRANSFOBIA E BIFOBIA]. esuec.cancilleria.gob.ar (em inglês). Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 26 de outubro de 2021 
  38. Encarnación, Omar G. (2013). «International Influence, Domestic Activism, and Gay Rights in Argentina» [Influência internacional, ativismo doméstico e direitos gays na Argentina] 4ª ed. Political Science Quarterly. 128: 687–716. ISSN 0032-3195. JSTOR 43828398. doi:10.1002/polq.12138. Consultado em 22 de novembro de 2021 
  39. Donovan, Waine (7 de maio de 2012). «Help end homophobia in the workplace» [Ajude a acabar com a homofobia no local de trabalho] 4ª ed. Surry Hills (em inglês). 93: 14. Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 22 de novembro de 2021 
  40. Power, Samantha (17 de maio de 2021). «USAID COMMEMORATES INTERNATIONAL DAY AGAINST HOMOPHOBIA, TRANSPHOBIA, AND BIPHOBIA» [USAID COMEMORA O DIA INTERNACIONAL CONTRA HOMOFOBIA, TRANSFOBIA E BIFOBIA]. USAID (em inglês). Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 17 de maio de 2021 
  41. a b «International Day Against Homophobia, Biphobia and Transphobia» [Dia Internacional contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia]. UNDP (em inglês). 15 de maio de 2020. Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 8 de junho de 2021 
  42. Reid, Graeme (17 de maio de 2020). «A Global Report Card on LGBTQ+ Rights for IDAHOBIT» [Um relatório global sobre direitos LGBTQ+ para IDAHOBIT]. ADVOCAYE (em inglês). Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 25 de fevereiro de 2021 
  43. «Statement by President Joseph R. Biden, Jr. on International Day Against Homophobia, Transphobia and Biphobia» [Declaração do presidente Joseph R. Biden Jr. sobre o Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia]. The White House (em inglês). 17 de maio de 2021. Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 17 de maio de 2021 
  44. «Statement by the Prime Minister on the International Day Against Homophobia, Transphobia, and Biphobia» [Declaração do Primeiro-Ministro sobre o Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia]. pm.gc.ca (em inglês). Ottawa, Ontário. 17 de maio de 2021. Consultado em 22 de novembro de 2021. Cópia arquivada em 17 de maio de 2021 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Dia Internacional contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia