Dia da Liberação da Coreia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Dia de libertação da Coreia 광복절 (Gwangbokjeol) comemora a libertação da Coreia do domínio colonial japonês, após a vitória dos Aliados sobre o Japão, que levou ao fim da II Guerra Mundial. Como tal todos os anos no dia 15 de agosto é feriado na Coreia do Sul e Coreia do Norte.

A ocupação japonesa começou em 1905 e a Coreia foi oficialmente anexada ao Japão em 1910. Os japoneses governaram a Coreia com pulso de ferro e tentaram retirar todos os elementos da cultura coreana da sociedade. As pessoas foram obrigadas a adoptar nomes japoneses, a converter-se ao xintoísmo (de origem japonesa) e foram proibidos de usar a língua coreana nas escolas e nos negócios. A 15 de agosto de 1945 o Império Japonês rendeu-se e a península coreana foi dividida (supostamente temporariamente), a norte do pararelo 38 ficou sobre a tutela da União Soviética e a sul sobre a tutela dos Estados Unidos da América. A República da Coreia (Coreia do Sul) foi estabelecida em 13 de Agosto de 1948.

O dia 15 de Agosto é comemorado com um série de festivais, cerimónias e paradas, e a Taegeukgi, a bandeira da Coreia do Sul, é içada para honrar os heróis que lutaram pela libertação da nação. Neste dia o governo concede também uma série de perdões especiais e aos descendentes dos activistas pela independência são concedidas entradas grátis em museus ou concertos.

Nas cerimónias oficiais é sempre cantada a “canção Gwangbokjeol”.[1]

Referências

  1. honey-in-a-crown (15 de agosto de 2012). 광복절 [15 Agosto – Dia da Libertação Nacional]. Coisas da Coreia. Consultado em 11 de agosto de 2017