Diagramação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Diagramação (ou paginação) é o ato de diagramar (paginar) e diz respeito a distribuir os elementos gráficos no espaço limitado da página que vai ser impressa ou outros meios. É uma das práticas principais do design gráfico, pois a diagramação é essencialmente design tipográfico. Entre as diretrizes principais da diagramação podemos destacar a hierarquia tipográfica e a legibilidade. A diagramação é aplicada em diversas mídias como jornais, livros, revistas, cartazes, sinalização, websites, inclusive na televisão.

Atualmente, um diagramador também tem sido considerado, no Brasil e no exterior, um designer gráfico. Mesmo assim a diagramação não é uma atividade limitada a uma profissão específica. Em alguns cursos de biblioteconomia ou jornalismo mais tradicionais o designer gráfico é chamado apenas de diagramador.

A diagramação de publicações costuma seguir as determinações de um projeto gráfico, para que, entre outras coisas, se mantenha uma identidade em toda a publicação. Na diagramação, a habilidade ou conhecimento mais importante é o uso da tipografia.

Diagramação de jornais[editar | editar código-fonte]

No caso de um jornal, a diagramação segue os objetivos e as linhas gráficas e editoriais desse impresso. As principais linhas editoriais para a diagramação incluem a hierarquização das matérias por ordem de importância. Já as considerações gráficas incluem legibilidade e incorporação equilibrada e não-obstrutiva dos anúncios. Essas características de design tipográfico compõem o design de jornais.

A editoração ou design editorial incorpora princípios do Design gráfico, que, por sua vez, é uma habilitação independente ou presente em cursos de design, além de ser uma disciplina que faz parte do currículo de Jornalismo, Publicidade e alguns cursos de Arquitetura nas universidades e faculdades. Termos correlatos e similares incluem, além dos já mencionados, layout, makeup ou pasteup.


Elementos e aspectos de um jornal[editar | editar código-fonte]

Jornal do fim do século XIX

Para diagramar o conteúdo editorial, a atividade de diagramação precisa lidar com elementos gráficos (categorias de conteúdo visual) e aspectos (variáveis que podem alterar o resultado final).

As medidas utilizadas em diagramação são geralmente em paicas e pontos, sendo que 1 P (uma paica) corresponde a 12 p (doze pontos).

O espaço delimitado de impressão dentro de uma página se chama mancha gráfica, onde cai tinta sobre o papel; fora destes limites, nada pode ser impresso e nenhum elemento pode ultrapassar. Nos casos em que a mancha ultrapassa as bordas do papel, diz-se que a impressão é sangrada.

Elementos[editar | editar código-fonte]

Os elementos do design de jornal (impresso) são classificados assim:

Texto[editar | editar código-fonte]
O chamado "corpo de texto" é o tipo em que será impresso o conteúdo principal do jornal (matérias, colunas, artigos, editoriais, cartas etc.). A massa de texto costuma preencher mais da metade de toda a mancha gráfica do jornal e deve ser delimitada (rodeada) pelos outros elementos. Um formato comum para o corpo de texto em jornais é tipo serifado, com corpo (tamanho) 12 pontos.
Título[editar | editar código-fonte]
Desde a manchete, que fica na primeira página, até os títulos menores de artigos. São subdivididos em:
  • subtítulo - (em algumas redações no Brasil, chamados de sutiã, linha-fina ou linha de apoio) colocado abaixo do título principal, complementa a informação do título e instigam à leitura do texto
  • antetítulo - (em algumas redações no Brasil, chamados de chapéu ou cartola) colocado acima do título principal, complementando a informação do título e instigam à leitura do texto
  • intertítulo ou quebras - colocado no meio do texto, para dividi-lo em seções e facilitar a leitura
  • olho - colocado no meio da massa de texto, entre colunas, para ressaltar trechos e substituir quebras; são muito utilizados em entrevistas.
Foto[editar | editar código-fonte]
Fotografias, que em jornal e revista vêm sempre acompanhadas de legenda descritiva e do crédito para o fotógrafo.
Arte[editar | editar código-fonte]
Exemplo de infográfico
O que se chama de arte em diagramação são imagens produzidas para ilustrar, complementar visualmente ou substituir a informação do texto. Podem ser:
  • Infográfico - que inclui mapas, gráficos estatísticos, seqüenciais e esquemas visuais;
  • Charge - desenho geralmente satírico com personagens do noticiário, sem ter que necessariamente seguir opinião expressas em matérias relacionadas no jornal;
  • Ilustração - todo tipo de desenho ou pintura que pode acompanhar um texto jornalístico. A ilustração pode ser uma versão ilustrativa do texto ou uma visão complementar ao texto, usando uma linguagem pictórica.
Vinheta[editar | editar código-fonte]
Mini-títulos que marcam um tema ou assunto recorrente ou em destaque; podem incluir mini-ilustrações e geralmente vêm acima do título da matéria ou no alto da página.
Box ou caixa[editar | editar código-fonte]
Um box é um espaço graficamente delimitado que normalmente inclui um texto explicativo ou sobre assunto relacionado à matéria principal.
Fio[editar | editar código-fonte]
Existe para separar elementos que, por algum motivo, podem ser confundidos.
Cabeçalho e Rodapé[editar | editar código-fonte]
Marcam o topo e a base da página, respectivamente, incluindo marcas básicas como editoria, data, número da edição e número da página; quando usado na primeira página, o cabeçalho inclui ainda a logomarca do jornal em destaque, preço e alguns nomes de chefia da equipe (presidente, diretor, editor-chefe).
Anúncio[editar | editar código-fonte]
Espaço de publicidade, único elemento de conteúdo não-editorial da diagramação, produzido pela equipe comercial.

Aspectos[editar | editar código-fonte]

Os aspectos que determinam a composição destes elementos na página impressa são, entre outros:

Colunagem[editar | editar código-fonte]
A distribuição do texto em colunas verticais de tamanho regular, espaçadas e válidas para encaixar os elementos. Atualmente, o padrão em jornais standard é a divisão em 6 colunas, mas o uso de 8 colunas já foi predominante.
Synthese-.svg
Cor[editar | editar código-fonte]
Uso de cores e matizes em jornalismo, são muitas coisas que acontecem que confere sentido e modifica a mensagem, muitas vezes sutilmente; até meados do século XX, os jornais de grande circulação não utilizavam impressão a cores, dependendo da escala de cinzas para matizar seus preenchimentos.
Fontes tipográficas[editar | editar código-fonte]
A escolha e o uso das fontes nos textos influem na maneira como o leitor apreende os textos, através da legibilidade, dimensão e caráter das fontes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]