Diana Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Diana Santos (11 de Outubro de 1955 - Rio de Janeiro) é pintora, escultora, desenhista e artista plástica anglo-brasileira.

Musicista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, abandonou os grupos onde tocava e dedicou-se inteiramente às Artes.

História[editar | editar código-fonte]

Filha do pintor Paulo Santos, Diana Santos começou a pintar e desenhar ainda na infância, aos 6 anos, incentivada na companhia dos olhos atentos de seu pai que desde então, a orientou fazendo com que desenvolvesse suas habilidades e principalmente seu amor pela arte que perdura por toda sua vida.

Ao longo de sua carreira, teve a oportunidade de conhecer um pouco de todas as técnicas e das mais variadas formas de artes.

Por 11 anos, Diana Santos morou em Campinas - São Paulo, onde frequentou o Curso Avançado de Artes no qual manteve intensa atividade artística, expondo seus trabalhos além de lecionar pintura e desenho. Nessa época, foi convidada a expor seus trabalhos na "Galerie Laure Langlois" e porteriormente, aceitou o convite para estágio de escultura, desenho e pintura na "Galerie Ymage Nice" com o restaurador e pintor Marc Lavalle, ambos trabalhos realizados na França.

Em 1995 retornou de Campinas para o Rio de Janeiro.Nesta ocasião foi apresentada ao grupo do Atelier 10, onde teve a honra de conhecer grandes amigos e mestres, daí surgiu o incentivo de montar seu atual atelier o "CADS" - Centro de Artes Diana Santos, onde concentrou sua atividade produtiva e também onde ministra aulas de desenho, pintura e escultura além de organizar exposições, salões e gincanas de arte e outros trabalhos como ensino de técnicas para máscaras carnavalescas ou cinematográficas.

A intensa atividade do CADS propiciou a Diana Santos um grande relacionamento com artistas cariocas e tornou seu atelier um centro de referência das artes plásticas na Capital do Rio de Janeiro.[1][2][3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Pintura[editar | editar código-fonte]

Com uma forte base acadêmica, Diana Santos passou por várias fases, algumas menos e outras mais marcantes em sua carreira, como por exemplo, o surrealismo de uma fase já antiga que teve o mérito de lhe propiciar a conscientização de sua técnica pictórica através da segurança de poder pintar tudo o que sua imaginação cria, para com o tempo alcançar o estágio atual de sua obra que pode ser definida como um realismo.Este realismo por si, com enfoque ecológico onde o tema principal é a preocupação com a constante destruição da natureza que vem causando um rápido aumento no número de espécies ameaçadas de extinção em nosso planeta. Diana aprecia pintar animais selvagens em seu habitat, como se ao retratá-los pudesse de alguma forma contribuir para perpetuar sua existência e conscientizar pessoas. Suas obras obtiveram grande aceitação na Europa em países como Inglaterra, Itália, Suíça, Alemanha e França.

Referências

  1. http://www.universodasartes.com/exposicoes/pint_dianasantos/pint_dianasantos_enc.html[ligação inativa]
  2. «Cópia arquivada». Consultado em 30 de março de 2013. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 30 de março de 2013. Arquivado do original em 5 de janeiro de 2009