Diarreia do viajante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Diarreia do viajante
Bactéria E. coli, a causa mais comum de diarreia do viajante
Especialidade infectologia
Sintomas Fezes líquidas em viagem, febre, cólicas abdominais[1][2]
Início habitual 12-72 horas após exposição[3]
Duração Geralmente menos de 5 dias[2]
Causas Bactérias, vírus ou parasitas[2]
Prevenção Comer apenas alimentos preparados, beber água engarrafada, lavar frequentemente as mãos[4]
Tratamento Terapia de reidratação oral, antibióticos, loperamida[2][4]
Frequência ~35% dos viajantes para países em vias de desenvolvimento[2]
Classificação e recursos externos
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Diarreia do viajante é uma infeção do estômago e dos intestinos caracterizada pela passagem de fezes líquidas ao viajar.[1][2] Pode ser acompanhada de cólicas abdominais, náuseas, febre e distensão abdominal.[2] Em alguns casos pode ocorrer diarreia com sangue.[5] A maior parte dos viajantes recupera ao fim de quatro dias, mesmo sem tratamento ou com tratamento mínimo.[2] Em cerca de 10% dos casos os sintomas prolongam-se por uma semana.[2] Os sintomas têm geralmente início 12 a 72 horas após a ingestão de água ou alimentos contaminados.[3]

Mais de metade dos casos são causados por bactérias.[2] As bactéria mais comum é a Escherichia colienterotóxica, exceto no sudeste asiático, em que a mais comum é a Campylobacter.[1][2] Cerca de 10 a 20% dos casos são causados por norovírus.[2] Alguns protozoários como a Giardia podem causar doença mais prolongada.[2] O risco é maior durante as primeiras duas semanas de viagem e entre jovens adultos.[1] Na maior parte dos casos, as pessoas afetadas são provenientes de países desenvolvidos.[1]

Entre as medidas de prevenção estão comer apenas alimentos devidamente lavados ou cozinhados, beber água engarrafada e lavar frequentemente as mãos.[4] A vacina contra a cólera, embora eficaz na prevenção de cólera, é de eficácia questionável contra a diarreia do viajante.[6] Geralmente não é recomendada a administração de antibióticos como forma de prevenção.[2] O tratamento imediato consiste na ingestão de líquidos em quantidade e na reposição de sais minerais entretanto perdidos (terapia de reidratação oral).[2][4] Em casos com sintomas persistentes ou significativos podem ser administrados antibióticos, os quais podem ser tomados com loperamida para diminuir a diarreia.[2] Menos de 3% dos casos requerem tratamento hospitalar.[1]

Estima-se que a doença afete entre 20% e 50% dos viajantes para países em vias de desenvolvimento.[2] A diarreia do viajante é particularmente comum entre viajantes para a Ásia (exceto Japão e Singapura), Médio Oriente, África, México e América Central e do Sul.[4][7] O risco é moderado na Europa meridional, Rússia e China.[8] A diarreia do viajante tem sido associada à síndrome do cólon irritável e síndrome de Guillain-Barré.[1][2]

Referências

  1. a b c d e f g Giddings, SL; Stevens, AM; Leung, DT (março de 2016). «Traveler's Diarrhea». The Medical Clinics of North America. 100 (2): 317–30. PMC 4764790Acessível livremente. PMID 26900116. doi:10.1016/j.mcna.2015.08.017 
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q r Leder, K (2015). «Advising travellers about management of travellers' diarrhoea.». Australian Family Physician. 44 (1–2): 34–37. PMID 25688957. Cópia arquivada em 12 de janeiro de 2017 
  3. a b «Diarreia do viajante». Manual Merck. Junho de 2019. Consultado em 10 de abril de 2020 
  4. a b c d e «Travelers' Diarrhea». cdc.gov. 26 de abril de 2013. Cópia arquivada em 13 de março de 2016 
  5. Feldman, Mark (2015). Sleisenger and Fordtran's Gastrointestinal and Liver Disease: Pathophysiology, Diagnosis, Management 10th ed. [S.l.]: Elsevier Health Sciences. p. 1924. ISBN 9781455749898. Cópia arquivada em 10 de março de 2016 
  6. Ahmed, T; Bhuiyan, TR; Zaman, K; Sinclair, D; Qadri, F (5 de julho de 2013). «Vaccines for preventing enterotoxigenic Escherichia coli (ETEC) diarrhoea». The Cochrane Database of Systematic Reviews. 7 (7): CD009029. PMC 6532719Acessível livremente. PMID 23828581. doi:10.1002/14651858.CD009029.pub2 
  7. «Health Information for Travelers to Singapore - Clinician view | Travelers' Health | CDC». wwwnc.cdc.gov. Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  8. Diemert, D. J. (17 de julho de 2006). «Prevention and Self-Treatment of Traveler's Diarrhea». Clinical Microbiology Reviews. 19 (3): 583–594. PMC 1539099Acessível livremente. PMID 16847088. doi:10.1128/CMR.00052-05 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]