Diego Torres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diego Torres
Informação geral
Nome completo Diego Antonio Caccia Torres
Nascimento 9 de março de 1971 (47)
Origem Buenos Aires, Argentina
País  Argentina
Gênero(s) Pop, Pop-Rock, Reggae, Flamenco, Balada
Instrumento(s) Voz, Guitarra e Piano
Período em atividade 1988 - atualmente
Outras ocupações ator, cantor, compositor e músico.
Afiliação(ões) Lolita Torres, Ivete Sangalo, Mercedes Sosa, Noel Schajris, Gian Marco, Luciano Pereyra, Soledad Pastorutti, Antonio Carmona, Juan Luis Guerra, Julieta Venegas, Vicentico, Shakira, Alejandro Sanz, Ricardo Darín.
Página oficial http://www.diegotorres.com/

Diego Antonio Caccia Torres (Buenos Aires, 9 de março de 1971) é um cantor e compositor argentino de música pop e rock. Também é ator, tendo atuado em filmes, programas de televisão e teatro. No Brasil, é mais conhecido pela canção "Que Será", incluída na trilha-sonora da telenovela Amor e Intrigas de 2007 da Rede Record. Filho de gran cantora e atriz argentina Lolita Torres (1930-2002).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Na adolescência teve uma banda musical La Marca, que acabou em 1991, na qual foi o seu começo musical. Em 1991 deu os seus primeiros passos na TV, protagonizando o programa “La Banda del Golden Rocket” que ficou no ar por 3 anos.

Música[editar | editar código-fonte]

Em 1992, lançou o seu primeiro disco, chamado “Diego Torres”, e que foi produzido por Cachorro López e que vendeu 200.000 unidades impulsionados pelos hits “Estamos Juntos”, “Alguien La Vio Partir”, “Puedo Decir Que Sí”, entre outros.

Em 1994, lançou o seu segundo disco, chamado “Tratar De Estar Mejor” e que significou a sua consagração definitiva pela aceitação maciça do público. Nesta produção se combinam o reggae, a balada, o funk (“Deja De Pedir Perdón” e “San Salvador”). Com o tema homônimo e outras músicas do disco, fez de Diego Torres o artista argentino de maiores vendas e apresentações de 1994 e 1995, onde somente na Argentina, “Tratar ...” vendeu 430.000 cópias.

Uma grande turnê Latino-americana o lançou para fora das fronteiras de seu país, e em 1995 foi convidado para a ir à Espanha participar do disco em homenagem a Joan Manuel Serrat, cantando a música Penélope em “Serrat Eres Único”. Em 1996, lança o disco “Luna Nueva” que foi feito simultaneamente com sua primeira participação como protagonista no filme “La Furia”, que foi dirigido por Juan Bautista Stagnaro, onde foi o filme mais visto do ano na Argentina, com 1.300.000 espectadores. Em agosto de 1997, apresenta o Disco em 8 shows no Teatro Opera. Uma curiosidade a respeito de “Luna Nueva”: Há a música Oceano, que é a versão em espanhol da música Oceano do cantor Djavan.

Em 1999, lança o disco “Tal Cual Es” que foi outro sucesso, embora um pouco menor que os anteriores. A música principal do disco é “Que Será”. Novamente neste disco há uma versão espanhol de música brasileira, e neste caso é a música “Como Uma Onda” de Lulu Santos, que na versão em espanhol ganhou o título “Como una Ola”.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

Em 2001, Diego lança o disco “Un Mundo Diferente”, que é considerado um disco de puro otimismo e o mesmo foi gravado em um período turbulento na Argentina, onde suas letras nos levam a crer em que pode melhorar. Exemplo máximo é a música “Color Esperanza” e também a música “Sueños”. Muito emotiva também é a música “A Través Del Tiempo”, que encerra o disco, e é dedicada a seu amigo Fernando Olmedo, falecido em um acidente de carro. Este cd teve uma versão em português chamado “Um Mundo Diferente” com algumas música em versão em português: Color Esperanza – Cor Da Esperança; Sueños – Sonhos No Vento; Que No Me Pierda – Que Eu Não Me Perca.

Em 2004, lança o disco MTV Unplugged, primeiro MTV Unplugged produzido pela MTV Latina, e que permitiu a Diego Torres expandir sua música. Entre os convidados para o acústico, está Julieta Venegas, Vicentico e La Chilinga. “Cantar Hasta Morir” é nome da principal e inédita música do disco.

Em 2006, lança o disco “Andando”, e como o anterior, está cheio de surpresas e de letras belas. Andando é a primeira música do disco homônimo e nas próprias palavras de Diego, o mesmo diz que gosta mais de observar do que ser observado e é isto que narra a música. “Hasta Cuando” nos mostra toda a dor que Diego segue tendo pelo falecimento de sua mãe. “Abriendo Caminos” é uma bela letra que nos oferece um dueto com o cantor dominicano Juan Luis Guerra. “Por La Escalera” é uma letra escrita por Joaquín Sabina e com música de Diego que se transformou em uma grande canção.

Entre 2008 e 2009, Diego está produzindo um novo disco e a produção está a cargo do reconhecido produtor peruano Gian Marco que já trabalhou com grandes artistas, como por exemplo Marc Anthony, Gloria Estefan, Obie Bermúdez, Alejandro Fernández e Paulina Rubio. Diego e Gian também estão a cargo da composição do tema principal do filme Ítalo-Peruano em 3D chamado “Delfin”. A música será interpretada por Diego.

No dia 4 de setembro de 2010, Diego Torres cantou ao lado da cantora brasileira Ivete Sangalo. O mega Show foi realizado em Nova Iorque na casa de show Madison Square Garden. Mais tarde, os cantores repetiram o dueto em "Creo En América", a canção oficial da Copa América 2011, realizada na Argentina.

Após isto, Diego dedicou-se a alguns papéis no cinema e na televisão até 2015, quando lançou "Buena Vida", seu mais recente trabalho.

Em 2016, foi indicado aos Grammy Latinos de Gravação do Ano por sua canção "Iguales" e Álbum do Ano e Melhor Álbum Vocal Pop Tradicional por seu álbum Buena Vida.[1]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Las Marcas (1991)
  • Diego Torres (1992)
  • Tratar de Estar Mejor (1994)
  • Luna Nueva (1996)
  • Tal Cual Es (1999)
  • Un Mundo Diferente (2001)
  • MTV Unplugged (2004)
  • Andando (2006)
  • Distinto (2010)
  • Buena Vida (2015)

Filmografia[editar | editar código-fonte]

  • El Profesor Punk (1988)
  • Una Sombra ya pronto serás (1994)
  • La Furia (1997)
  • La Venganza (1999)
  • El Juego de Arcibel (2003)
  • Extraños en la noche (2012)

Televisão[editar | editar código-fonte]

  • Nosotros y los otros (1989)
  • El gordo y el flaco (1991)
  • La Banda del Golden Rocket (1991-1993)
  • Los únicos (2011)
  • Los Vecinos en Guerra (2013)

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Pajáros in the Nait (1990)
  • El Zorro (1991)
  • La Banda del Golden Rocket (1992)

Referências

  1. «Lista completa de nominados a Latin GRAMMY 2016». Univision. Univision Communications. 21 de setembro de 2016. Consultado em 29 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]