Difusora FM (São Luís)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde fevereiro de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Difusora FM
{{{alt}}}
Rádio & TV Difusora do Maranhão Ltda.
País  Brasil
Frequência(s) FM 94.3 MHz
Sede Bandeira de São Luís.svg São Luís, MA
Avenida Camboa, 120 - Camboa
Slogan Sempre em primeiro lugar
Fundação 22 de agosto de 1979 (38 anos)
Fundador Magno Bacelar
Pertence a Sistema Difusora de Comunicação
Proprietário(s) Edison Lobão Filho
Antigo(s) proprietário(s) Magno Bacelar (1979-1987)
Epitácio Cafeteira (1987-1990)
Formato Comercial
Gênero Entretenimento e Música
Faixa etária Todas as idades
Idioma (português brasileiro)
Prefixo ZYC 620
Emissoras irmãs
Cobertura Grande São Luís e áreas próximas
Coord. do transmissor 2° 31' 27.3" S 44° 17' 28.1" O
Potência 10 kW
Classe A4
RDS Sim
Webcast Ouça ao vivo
Página oficial difusora94fm.com.br

Difusora FM é uma emissora de rádio brasileira sediada em São Luís, capital do estado do Maranhão. Opera no dial FM, na frequência 94.3 MHz. A emissora pertence ao Sistema Difusora de Comunicação, do qual também fazem parte a TV Difusora, a Rádio Difusora, e o portal MA10, ambos de propriedade do político e empresário Edinho Lobão. A emissora atende ao gênero musical, tocando os ritmos populares da região, do país e do mundo, atuais ou de décadas passadas, mantendo assim a audiência dos mais variados tipos de público. Fundada em 1979, foi a primeira emissora de Rádio FM do estado.

História[editar | editar código-fonte]

A Difusora FM entrou no ar em 22 de agosto de 1979, sendo a primeira emissora de rádio FM do Maranhão.[1][2] Inaugurada pelos irmãos Magno Bacelar e Raimundo Bacelar, sua programação, diferente da co-irmã Rádio Difusora, era predominantemente musical, e por muitos anos, após o surgimento de concorrentes no dial, era líder de audiência na Grande São Luís.

Em 1988, a Difusora FM, bem como os outros meios de comunicação do Sistema Difusora de Comunicação, foram vendidos por Magno Bacelar para o governador do estado Epitácio Cafeteira, em função do golpe midiático dado por José Sarney, para que Bacelar perdesse as eleições para senador e vendesse seus meios de comunicação aos seus aliados, além de estar enfrentado uma grave crise financeira. Já ano seguinte, Cafeteira vendeu novamente a emissora, desta vez para o ex-deputado e jornalista Edison Lobão, que colocou nas mãos de seu filho, Edinho Lobão, a administração do Sistema Difusora de Comunicação, e consequentemente, da Rádio Difusora.

Em 1996, a Difusora FM perde a liderança de audiência para a Cidade FM, que havia modificado boa parte da programação e intensificado a concorrência nos últimos anos. A emissora porém ainda mantinha relativa audiência com o programa matinal Sucessos da Manhã, no ar até hoje, e que já foi comandado por nomes como Léo Felipe e Laska Campos.

Na década de 2000, passou a ser dirigida por Paulinha Lobão, que também era locutora do programa Deixa Rolar Happy Hour, apresentado no fins de tarde de segunda à sexta. Várias reformulações foram promovidas na emissora, com a saída e estreia de locutores e novos programas. Porém, a Difusora FM não consegue recuperar a audiência e passa a figurar em posições mais baixas no ranking de audiência, sendo superada por concorrentes como a Mais FM e Jovem Pan FM.

Em 2016, o político Weverton Rocha arrenda o Sistema Difusora de Comunicação, e coloca a Difusora FM sob a administração de Marcelo Minard.[3] No mesmo ano, a emissora estreia o programa de debates políticos Ponto & Vírgula, apresentado pelo próprio Minard, além dos jornalistas Leandro Miranda e Frederico Luiz. Em fevereiro de 2017, a grade de programação é completamente reformulada, com a vinda dos locutores Aecio Macchi, Karol Sampaio, Márcio Rodrigo, Danilo Quixaba, Silvana Lobato e Paulo Negrão. Além das alterações, alguns dos programas passam também a ir ao ar para Imperatriz através da sua co-irmã Difusora Sul FM, como o Mania Matinal e o Tamo Junto, além do Ponto & Vírgula, que já passava em cadeia com a emissora desde a sua estreia.[4]

Programas e comunicadores[editar | editar código-fonte]

  • Cabaret do Laska (Laska Campos)
  • De Repente (Danilo Quixaba)
  • Fórmula do Amor (Márcio Rodrigo)
  • Mania Matinal (Robson Júnior)
  • Ponto & Vírgula (Leandro Miranda e Paulo Negrão)
  • Prato Cheio (Karol Sampaio e Aecio Macchi)
  • Repórter Difusora (Robson Júnior, Ricardo Baty e Bial Mendes)
  • Sucessos da Manhã (Laska Campos)
  • Tamo Junto (Silvana Lobato)

Referências

  1. «RÁDIO FM 94,3-SÃO LUÍS (Histórico)». Sistema Difusora. 2004 [ligação inativa]  Web Archive em 11-12-2004. Nota: Ano errado.
  2. «A História da Difusora FM». Sistema Difusora. 2001 [ligação inativa]  Web Archive em 11-11-2001.
  3. Filho, João (2 de abril de 2017). «Marcelo Minard durou apenas "12" meses na Difusora FM». João Filho. Consultado em 21 de fevereiro de 2018. 
  4. «Difusora FM estreia nova programação». MA10. 31 de janeiro de 2017. Consultado em 21 de fevereiro de 2018. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Rádio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.