Digimon Xros Wars

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ni hon go2.png Este artigo contém texto em japonês.
Sem suporte multilingual apropriado, você verá interrogações, quadrados ou outros símbolos em vez de kanji ou kana.
Digimon Xros Wars
デジモンクロスウォーズ
(Dejimon Kurosu Wōzu)
Gênero Fantasia, Ação, Aventura, Comédia
Mangá
Autor(es) Yuki Nakashima
Editora(s) Japão Shueisha
Revista(s) V-Jump
Público-alvo Shōnen
Data de publicação 21 de junho de 2010 – 21 de março de 2012
Volumes 4
Anime
Direção Tetsuya Endo
Estúdio Toei Animation
Emissoras de TV Japão TV Asahi
Emissoras lusófonas Portugal Panda Biggs

Brasil Cartoon Network Brasil

Exibição original 6 de julho de 2010 – 8 de março de 2011
Nº de episódios 30 (Lista de episódios)
Anime
Aku no Death Generals to Nanatsu no Ōkoku
Direção Tetsuya Endo
Estúdio Toei Animation
Emissoras de TV Japão TV Asahi
Exibição original 3 de abril de 2011 – 25 de setembro de 2011
Nº de episódios 24 (Lista de episódios)
Anime
Toki o Kakeru Shōnen Hunter Tachi
Direção Tetsuya Endo
Estúdio Toei Animation
Emissoras de TV Japão TV Asahi
Exibição original 2 de outubro de 2011 – 25 de março de 2012
Nº de episódios 25 (Lista de episódios)
Projeto Animangá  · Portal Animangá
Fusion Loader da Labareda Azul

Digimon Xros Wars (デジモンクロスウォーズ, Dejimon Kurosu Wōzu?), pronunciado como Digimon Cross Wars ou Digimon Fusion, título confirmado pela Saban Brands, em que foi readquirido para o mercado ocidental[1] . É a sexta temporada da franquia Digimon. Estreou em 6 julho de 2010 na TV Asahi,[2] tornando-se a primeira série da franquia para o ar em outra rede no Japão (todas as outras temporadas foram passadas pela Fuji Television). No Brasil, é exibido no Cartoon Network Brasil desde 1º de maio[3] (em forma de pré-estreia, juntamente com Power Rangers: Megaforce) e em Portugal é exibido desde Março pelo canal Panda Biggs[4] . A sequência direta, Digimon Xros Wars: Toki o Kakeru Shōnen Hunter Tachi, começou a ser exibida no Japão em 2 de outubro de 2011, tempos depois.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Tudo começa com uma visão... Um sonho... Onde o conhecido Império Bagra, equipe de digimons que quer dominar o Mundo Digital, está caminhando e devastando tudo que há pela frente, quando aparece no alto de uma montanha, um garoto chamado Taiki Kudou (também conhecido como Mikey Kudo, na versão ocidental), e um grupo de digimons, seu exército de digimons. Mikey usa um estranho dispositivo e une os digimons que o acompanham em um único e forte digimon guerreiro que carrega uma grande espada e ele ataca o exército, destruindo a maior parte até que surge um dinossauro cinzento e-- O sonho acaba incompleto. Mikey acorda...

Mikey Kudo é uma pessoa de sangue quente e coração mole que adora ajudar aqueles que precisam. Ele faz parte de um clubinho de atividades e todos os dias vai com sua melhor amiga, Akari Hinomoto (Angie Hinomoto aqui no ocidente), para as práticas dos esportes. Um dia, após terminar a prática de basquete, Zenjirou Tsurugi (Jeremy Tsurgi no ocidente), seu rival constante o convida para uma disputa de kendô. Contudo, Angie intervem dizendo que Mikey teve um dia atarefado e precisa descansar e que no dia seguinte terá compromissos a serem resolvidos. Nesse momento, Mikey ouve uma estranha voz vindo do nada pedindo sua ajuda e corre em seu encontro. Angie e Jeremy o seguem. Eles quase sofrem um acidente com um carro que estava atravessado num prédio devido a uma estranha distorção temporária no mundo. Mikey ouve novamente a voz e tem uma visão de quem está lhe chamando e dessa vez, Angie e Jeremy também escutam. Mikey consegue pegar a luz em sua mãos e recebe seu Fusion Loader (o Digivice). Ele coloca a luz dentro do objeto e os três são transportados para o Mundo Digital.

As crianças caem bem em cima de uma ação do Exército Bagra, onde são surpreendidos por estranhos digimons e passam a entender o que se passa no Mundo Digital a partir daí, onde, depois de muitas conversas, decidem ficar pra ajudar. MadLeomon aparece e tenta destrui-los, é quando surgem Ballistamon, Starmon e as três diferentes variações de Pickmons, que salvam os três. Acima deles também surge Nene Amano (que também possui um Fusion Loader), líder da equipe Crepúsculo, com seu parceiro digimon dourado Sparrowmon e seus espiões Monitamons observando Mikey e seus amigos e principalmente, o Fusion Loader vermelho. Mais acima, nas montanhas, está Kiriha Aonuma (aqui, Cristopher Aonuma), líder da equipe Labarede Azul, junto a Greymon e MailBirdramon, seus digimons. Ele também observa Mikey e seus amigos e Nene, e fica surpreso deles também terem Fusion Loaders assim como ele.

Agora, Mikey e seus amigos estão no Mundo Digital e querem ajudar a acabar com a guerra (o conflito que está acontecendo no local) e juntos formam a equipe Fusion Fighters liderada por Mikey e composta por Angie, Jeremy, Shoutmon, Ballistamon, Starmon, os Pickmons e os demais Digimons que eles encontrarão pelo caminho.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2010, três anos e três meses após Digimon Data Squad, a Bandai confirmou o lançamento de uma sexta temporada. O nome oficial da série foi revelado na edição de junho da revista V Jump da Shueisha. Entre os digimons anunciados incluídos na série estão Shoutmon, Dorulumon, Ballistamon, Greymon, MetalGreymon, Monitamon, Shoutmon x2, Shoutmon x4, Starmon, Sparrowmon, Tactimon, MailBirdramon, Pickmon, Dark Knightmon e Cutemon.[5] Imagens demonstram que o design dos personagens serão parecidos com as quatro primeiras temporadas e dos primeiros mangás ao invés de Data Squad. Mikey Kudo, protagonista do anime, usa um par de óculos de mergulho, assim como Tai, Davis, Takato e Takuya. Brinquedos da série foram feitos e lançados no Japão naquela época e, no ocidente, logo mais tarde com outras marcas.[6]

Em abril de 2011, estreou a segunda metade da série intitulada Digimon Xros Wars: Aku no Death Generals to Nanatsu no Ōkoku. O grande sucesso do anime no Japão levou a criação de uma sequência, fato que nunca ocorreu desde Digimon Adventure. Digimon Xros Wars: Toki o Kakeru Shōnen Hunter Tachi foi confirmado para lançar em outubro do mesmo ano[7] com a participação de personagens das séries anteriores, deixando muitos a acreditarem que seria uma segunda temporada de Xros Wars, mas na verdade era uma adição de mais 25 episódios, deixando Xros Wars com 79 no total.[8]

As revistas japonesas V-Jump e Newtype publicaram artigos em suas edições sobre o novo anime. Anunciaram também que os personagens das outras temporadas de Digimon irão retornar na nova série.[9] [10] [11] Também foi publicado que Tai Kamiya faria sua estreia no novo anime no episódio 68 da série (episódio 14 de Digimon Xros Wars: Toki o Kakeru Shōnen Hunter Tachi).[12] Meses depois, foi anunciado que apareceriam no dia 18 de março de 2012 no Japão.[13]

Digi-Cards[editar | editar código-fonte]

"Eu fui parte de um grupo que protegeu a justiça no Mundo Digimon. Mas nós não pudemos evitar que o mundo se separasse em partes, então nos tornamos Digi-Cards e nos espalhamos. Eu fui o único que caiu no mundo humano. Eu estava constantemente procurando por alguém que pudesse escutar a melodia dos digimons. Esse foi o começo das Digi-Cards..."
— Omnimon em Digimon Fusion, episódio 30.

As Digi-Cards são cartões que guardam dados dos Lendários Guerreiros Digimon da antiguidade que morreram tentando salvar o mundo. Ao serem encaixadas no Fusion Loader, este materializa o espírito do Digimon da Digi-Card que pode dar um único golpe como se estivesse vivo, e depois ficar inativo na zona em que foi usado.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Episódios[editar | editar código-fonte]

Mangá[editar | editar código-fonte]

Uma adaptação para mangá escrita e ilustrada por Yuki Nakashima começou a ser publicada na revista V-Jump em junho de 21 de junho de 2010, com diferenças na história em relação ao anime. O mangá consiste em 21 capítulos lançados em 4 tankōbon. O último capítulo foi publicado em 21 de março de 2012.

Músicas[editar | editar código-fonte]

Abertura

  • Digimon Fusion (versão ocidental)
    • Letra: ?
    • Composiçao e arranjos: ?
    • Artista: Noam Kaniel e Frederic Jaffre

Temas inseridos

  • "Shining Dreamers"
    • Letra: ?
    • Composição e Arranjos: ?
    • Artista: Takafumi Iwasaki

Jogos de vídeo-game e merchandising[editar | editar código-fonte]

  • Super Digica Battle (超デジカ大戦, Sūpā Dejika Taisen): Foi lançado junto com o anime. O jogo usa cartões de dados e um tambor controlador efetivamente de DigiXros para atacar o seu oponente.
  • Digimon X Arena
  • Digimon Story: Super Xros Wars (Red and Blue)
  • Digimon Xros Figures
    • Digimon Xros Keychains
  • Digimon Xros Loader (デジモンクロスローダー Dejimon Kurosurōdā): Ao contrário do anterior virtual pets, este apresenta 1,44 polegada de 8 bits (256 cores), tela LCD e pode também ser usado como um MP3 player, sendo o primeiro a ser assim.

Elenco de dubladores[editar | editar código-fonte]

Vozes Japonesas[editar | editar código-fonte]

Dublagem Brasileira Brasil[editar | editar código-fonte]

Dobragem Portuguesa Portugal[editar | editar código-fonte]

  • Carlos Alberto Macedo -Mikey Kudo; Greymon; Damemon
  • Rómulo Fragoso - Shoutmon; Reapmon/Beelzemon; Bagramon; Jijimon
  • Sandra de Castro - Angie Hinomoto; Sparrowmon; Laylamon; Yuu Amano
  • Tiago Caetano - Jeremy Tsurgi; Ballistamon; Blastmon
  • Helena Montez - Nene Amano; Cutemon; Monitamon; Beastmon; Deputymon
  • Paulo Oom - Christopher Aonuma; Dorulumon; Starmon; Tactimon; AxeKnightmon; Knightmon
  • Diretor: Desconhecido
  • Estúdio: 112 Studios

Comentários da Série da Primeira Temporada[editar | editar código-fonte]

  • Uma delas, suas mudanças de nomes na versão ocidental.
  • Mudança no tema de abertura, assim como na Rede Globo em Digimon Adventure, mas no restante das séries, Digimon manteve a meludia original da série.
  • Ausência das músicas temas, exceto que todas as outras séries (no Brasil) mantiveram seu padrão original.
  • Mudança também em algumas falas dos personagens, deixando a série diferenciada da japonesa.
  • Mudança nas cenas de nudismo de Akari (Angie), sendo que na versão original ela aparece sem roupa e na versão norte-americana tem seu corpo coberto. Esse episódio também tem trechos da série cortado. Também temos o exemplo de Bastemon (Beastmon) e Lilithmon (Laylamon) com mais roupas que o convencional.
  • Nos episódios 17 ao 21, Ryoko Shiraishi, dubladora de Angie na versão japonesa, faz um comentário do Mundo Digital e seus digimons antes de Mikey pronunciar o famoso bordão Digi Xros (Digi-Fusão). Nestes episódios não aparece.

Referências

  1. http://www.anmtv.xpg.com.br/digimon-fusion-saban-confirma-aquisicao-do-anime/?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter
  2. "Digimon's New Anime Titled & Dated: Digimon Xros Wars in July (Updated)", Anime News Network, 2010-04-17. Página visitada em 19 April 2010.
  3. http://www.anmtv.xpg.com.br/digimon-fusion-dublado-em-portugues/
  4. https://ptdigi.wordpress.com/2014/01/27/digimon-xros-wars-chega-a-portugal-em-marco-no-biggs/
  5. "New Digital Monsters/Digimon Anime TV Listed", Anime News Network, 2010-04-02. Página visitada em 19 April 2010.
  6. "New Digital Monsters/Digimon TV Anime's Image Posted", Anime News Network, 2010-04-05. Página visitada em 19 April 2010.
  7. Digimon Xros Wars Anime to Get 2nd Year This October (em inglês) Anime News Network. Visitado em 12 de setembro de 2011.
  8. Antigos heróis de Digimon de volta à série Anime Pró. Visitado em 12 de setembro de 2011.
  9. Newtype. Edição de outubro de 2011.
  10. V-Jump. Edição de outubro de 2011 #1.
  11. V-Jump. Edição de outubro de 2011 #2.
  12. V-Jump. Edição de fevereiro de 2011.
  13. V-Jump. Edição de abril de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]