Diocese de Beja

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Diocese de Beja
Beiensis (sive Pacensis)
Sé Catedral de Beja
Localização
País Portugal
Território A Diocese de Beja coincide com o Distrito de Beja
Arquidiocese metropolitana Arquidiocese de Évora
Estatísticas
Área 12 300 km²
Informação
Rito Romano
Criação Século VI
Restaurada em 10 de julho de 1770
Catedral Sé Catedral de Beja
Padroeiro(a) São José Operário
Governo da diocese
Bispo José João dos Santos Marcos
Bispo emérito António Vitalino Fernandes Dantas, O.Carm.
Jurisdição Diocese
Página oficial www.diocese-beja.pt
dados em catholic-hierarchy.org

A Diocese de Beja é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica em Portugal. Está integrada na Província Eclesiástica de Évora.

Desde 3 de Novembro de 2016, por sucessão, D. José João dos Santos Marcos é 19.º e atual Bispo de Beja.

História[editar | editar código-fonte]

A antiga Diocese de Pax Iulia remonta ao tempo dos Godos, tendo desaparecido após a invasão muçulmana da Península Ibérica.

Após a Reconquista Cristã, a diocese pacense não foi restaurada, tendo Beja permanecido uma mera vila, e o território do antigo bispado integrado na diocese de Évora. Por seu turno, Afonso IX de Leão, ao criar uma diocese em Badajoz, após a conquista daquela cidade (1230), pretendeu que aquela era a legítima herdeira da diocese de Pax Iulia, o que a leva a ser oficialmente conhecida, em latim, ainda hoje, pelo nome de pacense.

Embora Beja tenha sido elevada a cidade pelo Rei D. Manuel I em 10 de abril de 1521 (uma homenagem que o monarca prestava à cabeça do seu primitivo domínio ducal), tal acto não foi associado (como sucedeu, por exemplo, nos casos do Funchal, Elvas, Angra do Heroísmo, Leiria, Miranda do Douro ou Portalegre) à sua elevação a diocese, o que só viria a acontecer já no século XVIII, com a reorganização das dioceses portuguesas promovida por D. José I, tendo sido criada em 10 de julho de 1770[1] pelo Papa Clemente XIV, por meio da Bula "Agrum Universalis Ecclesiae". Depois de um tempo conturbado no seu pastoreio, foi espiritualmente e estruturalmente restaurada na segunda década do século XX pelo Bispo-Soldado, D. José do Patrocínio Dias.


Bispos de Pax Iulia[editar | editar código-fonte]

  1. Santo Apríngio (531)
  2. Palmácio (589)
  3. Lauro (597)
  4. Modário (633)
  5. Teodoreto, Teodoredo (646)
  6. Adeodato (653, 666)
  7. João (681, 683, 688 e 693)
  8. Isidoro Pacense (século VIII)

Bispos de Beja[editar | editar código-fonte]

Bispos desde 1770:[1]

  1. Frei Manuel (I) do Cenáculo Vilas-Boas, O.F.M. (1770-1802)
  2. Frei Francisco Leitão de Carvalho, O. Cist. (1802-1806)
  3. Frei Joaquim do Rosário, O.F.M. (1807-1808), não chegou a entrar na Diocese
  4. Manuel (II) de Sousa Carvalho (1814), não tomou posse
  5. Luís da Cunha de Abreu e Melo (1819-1833)
  6. Manuel (III) Pires de Azevedo Loureiro (1844-1848)
  7. José (I) Xavier de Cerveira e Sousa (1849-1859)
  8. José (II) António da Mata e Silva (1859-1860)
  9. António (I) da Trindade de Vasconcelos Pereira de Melo (1861-1863)
  10. António (II) Xavier de Sousa Monteiro (1883-1906)
  11. Sebastião Leite de Vasconcelos (1907-1919)
  12. José (III) do Patrocínio Dias (1920-1965)
  13. Manuel (IV) dos Santos Rocha (1965-1980)
  14. Manuel (V) Franco da Costa de Oliveira Falcão (1980-1999)
  15. Frei António (III) Vitalino Fernandes Dantas, O. Carm. (1999-2016)
  16. José (IV) João dos Santos Marcos (desde 2016)

Figuras Eclesiásticas Ilustres da Diocese[editar | editar código-fonte]

Santos[editar | editar código-fonte]

Bispos naturais da Diocese[editar | editar código-fonte]

Bispos auxiliares da Diocese[editar | editar código-fonte]

Governadores do Bispado[editar | editar código-fonte]

  • Cónego Francisco da Mãe dos Homens Anes de Carvalho (1834-1835)
  • Augusto Frederico de Castilho (1835)
  • Caetano Gomes Leitão (1835-1838)
  • Francisco Paula Vellez(1838-1843)
  • João Baptista da Silva (1864-1867)
  • Cónego José Dias Correia de Carvalho (1867-1871)
  • Cónego António José Boavida (1871-1883)
  • Cónego Luís Augusto da Costa (1910-1914)
  • Cónego Mons. João Eduardo Marques (1915-1922)

Clérigos Seculares e Regulares[editar | editar código-fonte]

Religiosas[editar | editar código-fonte]

Fundações Religiosas da Diocese[editar | editar código-fonte]

Escutismo[editar | editar código-fonte]

  1. Escutismo nesta diocese: Região de Beja

Referências

  1. a b Cheney, David M. (2019). «Diocese of Beja». The Hierarchy of the Catholic Church. Consultado em 10 de julho de 2019. Cópia arquivada em 29 de junho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Bandeira do Vaticano Circunscrições eclesiásticas da Igreja Católica em Portugal Bandeira de Portugal
Conferência Episcopal Portuguesa
Metrópoles Eclesiásticas
Patriarcado de Lisboa | Arquidiocese de Braga | Arquidiocese de Évora
Dioceses
Algarve | Angra | Aveiro | Beja | Bragança-Miranda | Coimbra | Funchal
Guarda | Lamego | Leiria-Fátima | Portalegre-Castelo Branco | Porto
Santarém | Setúbal | Viana do Castelo | Vila Real | Viseu
Ordinariato Castrense
Dioceses históricas entretanto extintas
Aquæ Flaviæ (Chaves) | Betecas (Boticas) | Caliábria | Castelo Branco
Dume | Elvas | Magneto (Meinedo) | Miranda | Penafiel | Pinhel | Salácia
Administração Apostólica de Valença | Isento de Tomar | Isento de Santa Cruz