Diocese de Lamego

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diocese de Lamego
Diœcesis Lamecensis
Sé de Lamego
Localização
País Portugal
Arquidiocese Metropolitana Arquidiocese de Braga
Estatísticas
População 152 410
Área 2 966,11 km²
Informação
Denominação Católica Romana
Rito Romano
Criação da Diocese Século VI
Catedral Sé de Lamego
Padroeiro(a) São Sebastião
Governo da Diocese
Bispo D. António José da Rocha Couto
Bispo Emérito D. Jacinto Tomás de Carvalho Botelho
Jurisdição Diocese
Página Oficial www.diocese-lamego.pt
dados em catholic-hierarchy.org

A Diocese de Lamego é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica em Portugal. Está integrada na Província Eclesiástica de Braga, tendo como Metropolita o Arcebispo Primaz de Braga.

Desde 2012 é Bispo de Lamego D. António José da Rocha Couto.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A hipótese da fundação da cidade na pré-história e do bispado nos tempos apostólicos funda-se em pura lenda. Documentalmente, sabe-se que o primeiro bispo Sardinário assistiu ao Concílio de Braga de 572, podendo pois concluir-se que a criação da diocese se formalizou cerca do ano 570, por influência de S. Martinho de Dume que a submeteu naturalmente à metrópole bracarense.

Há contudo razões para admitir que, algum tempo antes de lhe ser consignado território próprio, Lamego já era sede episcopal sujeita a Mérida. Durante a ocupação muçulmana a sucessão prosseguiu, sem descontinuidade, na Galiza. A sede no entanto não foi restaurada logo após a reconquista, ficando unida à de Coimbra até cerca de 1143, quando D. Afonso Henriques a proveu de bispo residencial na pessoa de D. Mendo. Na remodelação de 1882, a diocese de Lamego foi uma das condenadas a desaparecer, mas a oposição unânime do clero, povo e município levou o Governo a desistir do seu propósito.

Desde a fundação, o bispado estendeu-se pela área que hoje ocupa, acrescentada dos concelhos de Arouca e Castelo de Paiva, desanexados mais tarde aquando da criação da diocese de Aveiro. Desde 4 de Julho de 1403 até 1770, ano da erecção da diocese de Pinhel, Lamego integrou também o vasto território de Riba-Côa, desde o rio Douro ao Sabugal, num total de 60 freguesias; desde 1882 até à criação do bispado de Vila Real, estendeu-se para além-Douro, pelos concelhos de Alijó, Régua, Santa Marta de Penaguião, Mesão Frio, Sabrosa e Murça. Para efeitos de visitação, a diocese foi dividida em 4 Distritos, no século XVI: Riba-Douro, Serra, Entre-Douro-e-Távora, Riba Côa. Na actualidade integram-na 14 arciprestados com 223 paróquias. Goza da característica, única em Portugal, de a cidade da sua sede não constituir capital de Distrito, facto que lhe confere maior importância relativa, na representação da urbe.

Em relação às províncias eclesiásticas, antes da formalização da diocese, Lamego esteve sujeita a Mérida, metrópole de toda a Lusitânia; cerca de 570 foi anexada a Braga; em 666 voltou para Mérida e em 1145 de novo para Braga; em 1257 passou para Compostela, por interesses políticos; cerca de 1403 o Papa mudou-a para Lisboa, e assim se manteve até 1891, ano em que voltou a depender de Braga até aos nossos dias.

A diocese de Lamego é, presentemente, a única em Portugal à qual não corresponde uma sede de distrito.

Bispos[editar | editar código-fonte]

Segue-se uma lista dos bispos de Lamego:

  1. D. Sardinário (572)
  2. D. Filipe (589)
  3. D. Profuturo (633, 638)
  4. D. Vitarico (646)
  5. D. Filimiro (653)
  6. D. Teodísculo ou D. Teodisclo (666)
  7. D. Gundulfo (681, 683)
  8. D. Fiôncio (688, 693)

Restauração da Diocese:

  1. D. Branderico (881, 886)
  2. D. Argimiro (893)
  3. D. Ornato I (916, 920)
  4. D. Pantaleão (922, 935)
  5. D. Ornato II (944, 951, 955)
  6. D. Jacobo ou D. Tiago (969, 974, 981)
  7. D. Pedro (I) (1071)

Restauração da Diocese:

  1. D. Mendo (1147-1176)
  2. D. Godinho Afonso (1175-1189)
  3. D. João (1190-1196†)
  4. D. Pedro Mendes (1197-1211)
  5. D. Paio Fernandes Furtado (1211-1246)
  6. D. Martinho (1248)
  7. D. Egas Pais (1249-1257)
  8. D. Pedro Eanes (1257-1270)
  9. D. Domingos Pais (1271-1274)
  10. D. Gonçalo (1275-1282)
  11. D. João Fernandes (1285-1296)
  12. D. Vasco Martins de Alvelos (1296-1302), depois bispo da Guarda
  13. D. Afonso das Astúrias (1302-1306), depois bispo de Salamanca
  14. D. Diego Fernández (1306-1311), depois bispo de Zamora
  15. D. Rodrigo Pires de Oliveira (1311-1330)
  16. D. Frei Salvado Martins (1331-1349)
  17. D. Durão Lourenço (1349-1362)
  18. D. Lourenço (1363-1393)
  19. D. Gonçalo Gonçalves (1393-1419)
  20. D. Álvaro Anes de Abreu (1419-1421)
  21. D. Garcia Rodrigues de Magalhães (1421; 1423-1426), depois bispo de Viseu
  22. D. Luís Gonçalves do Amaral (1426-1430), depois bispo de Viseu
  23. D. João Vicente (1432-1444), fundador dos Lóios, depois bispo de Viseu
  24. D. Gonçalo Eanes (1446-1448)
  25. D. João da Costa (1448-1460)
  26. D. Gomes de Abreu (1460-1464)
  27. D. Rodrigo (II) de Noronha (1464-1477)
  28. D. Pedro Martins (1477-1479)
  29. D. Gomes de Miranda (1479-1492)
  30. D. Antoniotto Pallavicino (1492), eleito, cardeal
  31. D. Fernando Coutinho (1492-1502)
  32. D. João (V) Camelo de Madureira (1502-1513)
  33. D. Fernando (II) de Menezes Coutinho e Vasconcelos (1513-1540), depois arcebispo de Lisboa
  34. D. Agostinho (I) Ribeiro (1540-1549)
  35. D. Manuel (I) de Noronha (1551-1564)
  36. D. Manuel (II) de Menezes (1570-1575), depois bispo de Coimbra-Conde de Arganil
  37. D. Simão de Sá Pereira (1575-1579)
  38. D. António (I) Teles de Meneses (1579-1598)
  39. D. Martim Afonso de Melo (1599-1613)
  40. D. Martim Afonso Mexia de Tovar (1615-1619)
  41. D. João (VI) de Lencastre (1622-1626)
  42. D. João (VII) Coutinho (1627-1635), depois arcebispo de Évora
  43. D. Miguel de Portugal (1636-1643)
  44. D. Luís (II) de Sousa (1670-1677)
  45. D. Frei Luís (III) da Silva (1677-1685)
  46. D. José (I) de Meneses (1685-1692)
  47. D. António (II) de Vasconcelos e Sousa (1692-1705)
  48. D. Tomás de Almeida (1706-1709), depois 1.º Patriarca de Lisboa
  49. D. Nuno Álvares Pereira de Melo (1710-1733)
  50. D. Frei Manuel (III) Coutinho (1741-1742)
  51. D. Frei Feliciano de Nossa Senhora (1742-1771)
  52. D. Nicolau Joaquim Torel da Cunha Manuel (1771-1772)
  53. D. Manuel (IV) de Vasconcelos Pereira (1773-1786)
  54. D. João (VIII) António Binet Pincio (1786-1821)
  55. D. José (II) de Jesus Maria Pinto (1821-1826)
  56. D. Frei José (III) da Assunção (1833-1841)
  57. D. José (IV) de Moura Coutinho (1844-1861)
  58. D. António (III) da Trindade de Vasconcelos Pereira de Melo (1862-1895)
  59. D. António (IV) Tomás da Silva Leitão e Castro (1895-1901)
  60. D. Francisco José Ribeiro de Vieira e Brito (1901-1922)
  61. D. Agostinho (II) de Jesus e Sousa (1922-1942)
  62. D. Ernesto Sena de Oliveira (1944-1948), depois bispo de Coimbra
  63. D. João (IX) da Silva Campos Neves (1948-1971)
  64. D. Américo (I) Henriques (1971-1972)
  65. D. António (V) de Castro Xavier Monteiro (1972-1995)
  66. D. Américo (II) do Couto Oliveira (1995-1998)
  67. D. Jacinto Tomás de Carvalho Botelho (2000-2011)
  68. D. António (VI) José da Rocha Couto (desde 2011)

Escutismo[editar | editar código-fonte]

  1. Escutismo nesta diocese: Região de Lamego

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Bandeira do Vaticano Circunscrições eclesiásticas da Igreja Católica em Portugal Bandeira de Portugal
Conferência Episcopal Portuguesa
Metrópoles Eclesiásticas
Patriarcado de Lisboa | Arquidiocese de Braga | Arquidiocese de Évora
Dioceses
Algarve | Angra | Aveiro | Beja | Bragança-Miranda | Coimbra | Funchal
Guarda | Lamego | Leiria-Fátima | Portalegre-Castelo Branco | Porto
Santarém | Setúbal | Viana do Castelo | Vila Real | Viseu
Ordinariato Castrense
Dioceses históricas entretanto extintas
Aquæ Flaviæ (Chaves) | Betecas (Boticas) | Caliábria | Castelo Branco
Dume | Elvas | Magneto (Meinedo) | Miranda | Penafiel | Pinhel | Salácia
Administração Apostólica de Valença | Isento de Tomar | Isento de Santa Cruz
  1. http://www.catholic-hierarchy.org/bishop/bdrc.html  Em falta ou vazio |título= (ajuda)