Diogo Teixeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Diogo Teixeira
Nome completo Diogo Teixeira
Nascimento 1540
Morte 1612 (72 anos)
Nacionalidade portuguesa
Área Pintor
Movimento(s) Maneirismo
Incredulidade de S. Tomé, 1595-1597 (Museu de Arouca)

Diogo Teixeira (Lisboa, 1540-1612) foi um importante pintor português do Maneirismo.

Já era pintor em 1565, altura em que residia na freguesia de Santa Justa, em Lisboa, onde se relacionou com os sectores aristocráticos e cortesãos, sendo nomeado por D. António, Prior do Crato, cavaleiro fidalgo da sua casa. Em 1577, num precioso requerimento dirigido a D. Sebastião, solicita e obtém desvinculação dos encargos que devia, como "oficial mecânico", à Bandeira cooperativa de S. Jorge.

Em 1582-83 colaborou com Francisco Venegas em obras para a Igreja do Hospital de Todos-os-Santos, cabendo-lhe pela sua parte a quantia de 16548 reis. Em 1586-88, em parceria com o seu genro e discípulo António da Costa, executou o retábulo da Igreja da Misericórdia de Alcochete. Entretanto (1585) pintava para a Misericórdia de Sintra a respetiva bandeira, por elevado preço de 24000 reis, pintando também uma bandeira para a Misericórdia da Lourinhã (1589) e outra para a Misericórdia de Óbidos (1590-91), esta pela quantia de 21650 reis[1].

Entretanto, por volta de 1590, colabora novamente com Francisco Venegas no grandioso retábulo da Igreja da Luz de Carnide, onde os painéis da Visitação, Adoração dos Pastores, Adoração dos Magos e Apresentação no Templo são seus.

Trabalhou entre outros lugares na Igreja de Santa Maria da Graça de Santarém [2], na Igreja de Nossa Senhora dos Anjos em Lisboa [3], na Igreja de Santa Maria em Óbidos [4] e na Ermida do Espírito Santo em Caldas da Rainha, onde executou um retábulo em parceria com seu discípulo Belchior de Matos [5]. A Sé de Portalegre tem obras atribuídas à sua oficina [6] e o Museu de Arte Sacra de Arouca preserva outras em sua coleção [7].

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Araújo, Maria Augusta de Sousa, O pintor lisboeta Diogo Teixeira e o maneirismo do Norte de Portugal: 1591-1623, Coimbra, 1995
  • Basto, A. de Magalhães, O pintor quinhentista Diogo Teixeira: da sua actividade artística no Porto, Gaia, 1931
  • Gusmão, Adriano de, Diogo Teixeira e os seus colaboradores, Lisboa, 1955
  • Serrão, Vítor Manuel, As novas tábuas da escola de Diogo Teixeira, Paris, 1972

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.