Direita alternativa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um homem carregando um cartaz com os dizeres "DEPLORABLES AND ALT-RIGHT UNITE" (Deploráveis e Direita Alternativa Unidos).
Um manifestante pró-Trump na March 4 Trump (Marcha por Trump) em Saint Paul, Minnesota.

A direita alternativa (do inglês alternative right ou alt-right) é um grupo de pessoas com ideologias de direita a extrema-direita que rejeitam o conservadorismo dominante nos Estados Unidos,[1] Suécia,[2] França,[3] e em outros países. O supremacista branco Richard B. Spencer[4][5][6][7][8][9][10] apropriou-se do termo em 2010 para definir um movimento centrado no nacionalismo branco, e foi acusado de fazê-lo para encobrir o racismo, supremacismo branco e neo-nazismo.[11][12][13][14][15] Ainda que não possua posições oficiais,[16] suas crenças têm sido descritas como supremacista branca,[17][18][19][20][17] frequentemente sobrepostas com anti-semitismo e neonazismo[21][1][22] nativismo[23][24] e islamofobia,[23][25][26][27][28] antifeminismo e homofobia,[21][29][30][31] nacionalismo branco, populismo de direita,[14][32] e o movimento neo-reacionário.[19][33] O conceito foi associado ainda com os múltiplos grupos de nacionalistas americanos, neo-monarquistas, defensores dos direitos dos homens, e a campanha presidencial de 2016 de Donald Trump.[23][28][31][32][33][34][35]

O termo chamou a atenção e considerável controvérsia ​​da mídia durante e após a eleição presidencial americana de 2016.[36]

A direita alternativa tem suas raízes em sites da Internet como 4chan[37] e 8chan, onde membros anônimos criam e usam memes da Internet para se expressarem.[38] É difícil dizer quanto do que as pessoas escrevem nesses locais é sério e quanto é destinado a provocar indignação.[14][39] Os membros da direita alternativa usam sites como AltRight.com, Alternative Right, Twitter, Breitbart e InfoWars para transmitirem sua mensagem.[40][41] As publicações geralmente apoiam Donald Trump[38][42][9][43][44][45] e se opõem à imigração, ao multiculturalismo e ao politicamente correto.[1][29][46]

A direita alternativa também teve efeitos significativos no pensamento conservador. Um exemplo disto é a estratégia de Steve Sailer para vencer as eleições, que tem sido denominada a Estratégia Sailer. Foi alistada como uma razão chave para a vitória de Trump nas eleições 2016.[47][48] Na administração de Trump, estão inclusos figuras que estão associados com a direita alternativa, como o estrategista-chefe da Casa Branca Steve Bannon.[49] Em 2016, Bannon descreveu o Breitbart como "uma plataforma para a direita alternativa", com o objetivo de promover a ideologia.[50]


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Krieg, Gregory (25 de agosto de 2016). «Clinton is attacking the 'Alt-Right' - What is it?» (em inglês). CNN. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  2. «White Nationalist Richard Spencer Makes 'Alt-Right' Expansion In Sweden». The Forward (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2017 
  3. Astier, Henri (5 de abril de 2017). «French election: Young alt-right making waves». BBC News (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2017 
  4. Keller, Larry (15 de março de 2010). «Paleocon starts new extreme-right magazine» (em inglês). Southern Poverty Law Center. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  5. Gottfried, Paul (1 de dezembro de 2008). «The Decline and Rise of the Althernative Right» (em inglês). The Unz Review. Consultado em 2 de setembro de 2016 
    • Peoples, Steve (24 de julho de 2016). «Energized white supremacists cheer Trump convention message». Associated Press (em inglês). Cleveland, OH 
    • Wines, Michael; Saul, Stephanie (5 de agosto de 2015). «White Supremacists Extend Their Reach Through Websites». The New York Times (em inglês) 
    • Gelin, Martin (13 de novembro de 2014). «White Flight: America's white supremacists are ignored at home. So they are looking to start over with a little help from Europe's far right». Slate (em inglês). Budapeste, Hungria 
    • Chris Welch and Sara Ganim, White Supremacist Richard Spencer: 'We reached tens of millions of people' with video, CNN, 6 de dezembro de 2016. "Now Spencer, a 38-year-old white supremacist and founder of the so-called alt-right movement, is taking his rhetoric on the road..." (em inglês)
    • Mangan, Katherine. "A push to 'expand white privilege': Richard B. Spencer president, National Policy Institute, a white-supremacist group." The Chronicle of Higher Education, 9 de dezembro de 2016, A6+. (em inglês)
    • Zalman, Jonathan. "Neo-Nazi Website Tells Readers to 'Take Action' Against Jews on Behalf of Richard Spencer's Mother in Montana." Tablet Magazine, 19 de dezembro de 2016. "Critics of Richard Spencer the white supremacist, alt-right leader who dreams of an "ethno-state"are making their voices heard..." (em inglês)
    • "Campus clashes as US white supremacist gives speech." London Evening Standard [London, England], 7 de dezembro de 2016, p. 22. "Hundreds of demonstrators clashed with riot police at a protest against a white supremacist's speech at a leading American university. Richard Spencer, who gained notoriety for holding a so-called "alt-right" meeting celebrating Donald Trump's election triumph with Nazi rhetoric, told students attending the speech at the Texas A&M University last night: 'At the end of the day, America belongs to white men.'" (em inglês)
    • Gretel Kauffman, "White supremacists convene in celebration of Trump victory", Christian Science Monitor, 20 de novembro de 2016. The annual conference of the National Policy Institute, a white supremacist think tank, experienced a rise in attendance this year... 'It’s been an awakening,' Richard Spencer, president of the National Policy Institute, said at the conference." (em inglês)
  6. Maya Oppenheim (23 de janeiro de 2017). «Alt-right leader Richard Spencer worries getting punched will become 'meme to end all memes'». The Independent (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  7. Ehrenfreund, Max (21 de novembro de 2016). «What the alt-right really wants, according to a professor writing a book about them». Washington Post (em inglês). Consultado em 24 de novembro de 2016 
  8. a b Posner, Sarah (18 de outubro de 2016). «Meet the Alt-Right 'Spokesman' Who's Thrilled With Trump's Rise». Rolling Stone 
  9. Lombroso, Daniel; Appelbaum, Yoni (21 de novembro de 2016). «'Hail Trump!': White Nationalists Salute the President-Elect» (Inclui vídeo extraído). The Atlantic (em inglês). Consultado em 23 de janeiro de 2017 
  10. Daniszewski, John (26 de novembro de 2016). «Writing about the 'alt-right'» (em inglês) 
  11. Spencer, Richard (6 de agosto de 2008). «The Conservative Write». Taki's Magazine (em inglês) 
  12. «Alternative Right». Southern Poverty Law Center (em inglês). Consultado em 22 de novembro de 2016 
  13. a b c Wallace-Wells, Benjamin (5 de maio de 2016). «Is the Alt-Right for Real?». The New Yorker 
  14. Goldstein, Joseph (20 de novembro de 2016). «Alt-Right Exults in Donald Trump's Election With a Salute: 'Heil Victory'». The New York Times (em inglês) 
  15. Benac, Nancy (24 de agosto de 2016). «Clinton sees Trump ties to "alt-right" dystopian ideology» (em inglês). Associated Press. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  16. a b Sarlin, Benjy (25 de agosto de 2016). «5 Things to Know About the 'Alt-Right'» (em inglês). NBC News. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  17. Blades, Lincoln (26 de agosto de 2016). «Call the 'Alt-Right' Movement What It Is: Racist as Hell» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  18. a b Matthews, Dylan (18 de abril de 2016). «The alt-right is more than warmed-over white supremacy. It's that, but way way weirder.» (em inglês). VOX. Consultado em 7 de junho de 2016 
  19. Ohlheiser, Abby (3 de junho de 2016). «Anti-Semitic Trump supporters made a giant list of people to target with a racist meme». The Washington Post (em inglês) 
  20. a b McAfee, Tierney (25 de agosto de 2016). «What Is the Alt-Right Anyway? A User's Guide». People (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2016 
  21. Hess, Amanda (10 de junho de 2016). «For the Alt-Right, the Message Is in the Punctuation». The New York Times (em inglês) 
  22. a b c Becker, Amanda (25 de agosto de 2016). «Clinton to accuse Trump of embracing nativist political movement» (em inglês). Yahoo. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  23. «'Alt-Right' Hashtag Spurs Racism, Rebukes During Speech» (em inglês). ABC. 25 de agosto de 2016. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  24. Walsh, Joan (20 de julho de 2016). «Islamophobes, White Supremacists, and Gays for Trump–the Alt-Right Arrives at the RNC». The Nation (em ingles). Consultado em 1 de outubro de 2016. At the self-described “most fab party at the RNC” Tuesday night, Islamophobe provocateur Pamela Geller, not renowned as a stand-up comedian, opened with a joke... Before Geller and Yiannopolous spoke, the crowd welcomed the notorious Dutch politician Geert Wilders, who runs the anti-immigrant Dutch Party for Freedom. Wilders, a Trump admirer, was banned from entering Britain in 2009 for his Islamophobia (the decision was reversed in 2010) but was welcome here in Cleveland. An exhilarated Richard Spencer, a leading white nationalist who coined the term “alt-right,” introduced himself to me just as Milo began to speak. 'This is the alt-right convention!...' At this first “alt-right convention,” most of the influentials weren’t known to the public. They’re hoping that will change, under President Donald J. Trump. 
  25. «The rise of the alt-right». The Week (em inglês). 1 de outubro de 2016 
  26. Hassan, Adeel (23 de setembro de 2016). «Candy, Hashtags and Hate». The New York Times (em inglês) 
  27. a b Lynch, Conor (14 de junho de 2016). «With their Orlando response, Trump and the alt-right are playing directly into the hands of ISIS». Salon (em inglês) 
  28. a b «What You Need To Know About The Alt-Right Movement». NPR.org (em inglês). 26 de agosto de 2016. Consultado em 27 de agosto de 2016 
  29. Main, Thomas J. (25 de agosto de 2016). «What's the Alt-Right?». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2016 
  30. a b Signorile, Michelangelo (21 de setembro de 2016). «Donald Trump's Hate-Fueled, Alt-Right Army Hates 'Faggots' Too». The Huffington Post (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2016 
  31. a b Wilson, Jason (23 de agosto de 2016). «'A sense that white identity is under attack': making sense of the alt-right». The Guardian (em inglês). Consultado em 7 de setembro de 2016 
  32. a b Brodeur, Michael. «What's 'alt-' about the alt-right?». The Boston Globe 
  33. «Continetti Addresses 'Alt-Right' Movement on PBS NewsHour». The Washington Free Beacon (em inglês). 26 de agosto de 2016. Consultado em 28 de janeiro de 2017 
  34. «Men's-Rights Activists Are Finding a New Home With the Alt-Right». New York Magazine. 14 de dezembro de 2016. Consultado em 28 de abril de 2017 
  35. O'Grady, Jeremy (1 de outubro de 2016). «The rise of the alt-right». The Week (em ingles). Consultado em 19 de abril de 2017. Cópia arquivada em 23 de janeiro de 2017 
  36. Kivanç, Jake (15 de junho de 2016). «Nero, Nazis, and the New Far Right: The Phenomena of the Professional Troll» (em inglês). Vice. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  37. a b Wending, Mike (26 de agosto de 2016). «Trump's shock troops: Who are the 'alt-right'?» (em inglês). BBC. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  38. Gourarie, Chava (30 de agosto de 2016). «How the 'alt-right' checkmated the media». Columbia Journalism Review (em inglês) 
  39. Hunt, Elle (20 de julho de 2016). «Milo Yiannopoulos, rightwing writer, permanently banned from Twitter». The Guardian (em inglês). Londres. Consultado em 20 de outubro de 2016 
  40. Hafner, Josh (26 de agosto de 2016). «For the Record: For Trump, everything's going to be alt-right». USA Today (em inglês). Consultado em 20 de outubro de 2016 
  41. Roy, Jessica (21 de novembro de 2016). «Neo-Nazi 'alt-right' crowd cheers the president-elect with 'Hail Trump'». The Los Angles Times (em inglês). Consultado em 19 de abril de 2017 
  42. Sullivan, Kevin (10 de novembro de 2016). «The alt-right supported Trump. Now its members want him to satisfy their demands.». The Washington Post (em inglês). Consultado em 19 de abril de 2017 
  43. McLemee, Scott (17 de fevereiro de 2017). «Trump and the alt-right». SocialistWorker.org (em inglês). Consultado em 19 de abril de 2017 
  44. Rosen, Armin (1 de abril de 2016). «Who Are Trump's Alt-Right Supporters?». Tablet Magazine (em inglês). Consultado em 19 de abril de 2017 
  45. Sevastopulo, Demetri. «'Alt-right' movement makes mark on US presidential election» (em inglês). Financial Times 
  46. Willick, Park MacDougald, Jason. «The Man Who Invented Identity Politics for the New Right». Daily Intelligencer (em inglês). Consultado em 4 de maio de 2017 
  47. Sabisky, Andrew (10 de novembro de 2016). «I predicted Trump could win back in January 2015». International Business Times UK (em inglês). Consultado em 4 de maio de 2017 
  48. «The alt-right Leninist». www.newstatesman.com (em inglês). Consultado em 14 de maio de 2017 
  49. Posner, Sarah (22 de agosto de 2016). «How Donald Trump's New Campaign Chief Created an Online Haven for White Nationalists». Mother Jones (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.