Discípulo (Cristianismo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
John:14-17]]) aos seus discípulos, depois da Última Ceia, da Maesta por Duccio, 1308-1311.

No Cristianismo, o termo discípulo se refere principalmente ao dedicados seguidores de Jesus. Este termo é encontrado no Novo Testamento, somente nos Evangelhos e Atos.

No mundo antigo[editar | editar código-fonte]

No mundo antigo, um discípulo é um seguidor ou membro de um professor. Ele não é o mesmo que ser um estudante no sentido moderno. Um discípulo no antigo mundo bíblico ativamente imitado tanto a vida e o ensinamento do mestre.[1] foi um deliberado de aprendizagem, que fez a totalmente formado discípulo uma cópia viva do mestre.

O Novo Testamento registra muitos seguidores de Jesus durante o seu ministério. Alguns discípulos, que receberam uma missão, como a Pequena Comissão, a comissão dos anos 70 no evangelho de Lucas, a Grande Comissão , após a ressurreição de Jesus, ou a conversão de Paulo, tornando-os Apóstolos, encarregado de proclamar o evangelho, para o mundo. Jesus enfatizou que, sendo seus discípulos seria caro.

Grande multidão e os Setenta Discípulos[editar | editar código-fonte]

Além dos Doze Apóstolos, há um grupo muito maior de pessoas identificadas como discípulos na abertura da passagem do Sermão da Planície. Predefinição:Bibleref2c além disso, setenta (ou setenta e dois, dependendo da fonte utilizada) as pessoas são enviados em pares para preparar o caminho para Jesus (Lucas 10). Eles são muitas vezes referidos como os "Setenta" ou "Setenta Discípulos". Eles são para comer qualquer alimento oferecido, curar os enfermos e espalhar a palavra de que o Reino de Deus está chegando.

Indesejáveis[editar | editar código-fonte]

Jesus praticou abrir comunhão da mesa, escandalizar seus críticos com um jantar com os pecadores, cobradores de impostos, e para as mulheres.

Cleopas e seu companheiro na estrada para Emaús[editar | editar código-fonte]

Em Lucas, Cleopas é um dos dois discípulos a quem o Senhor ressuscitado aparece em Emaús (Lucas 24:18). Cleopas, com um discípulo sem nome que Jesus está andando de Jerusalém para Emaús no dia da ressurreição de Jesus. Cleopas e seu amigo estavam discutindo os acontecimentos dos últimos dias, quando um estranho perguntou-lhes o que eles falaram. O estranho é convidado a participar Cleopas e seu amigo para a refeição da noite. Há o estranho é revelado, em bênção e partir o pão, como a ressurreição de Jesus antes que ele desapareça. Cleopas e seu amigo apressou-se a Jerusalém para levar a notícia para os outros discípulos, para descobrir que Jesus tinha aparecido lá também, e o faria novamente. O incidente é sem paralelo em Mateus, Marcos ou João.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «"Jesus as Rabbi in the Fourth Gospel,"» (PDF). Bulletin for Biblical Research. 8 

Leitura complementar[editar | editar código-fonte]

  • Barton, S.C. Discipleship and Family Ties in Mark and Matthew. Col: Monograph series / Society for New Testament Studies. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-521-01882-1 
  • Mattes, M. (2012). "O discipulado na perspectiva Luterana" (PDF). Luterana Trimestrais. 26: 142-163.
  • Wikisource-logo.svg Souvay, Charles Leão (1909). "Discípulo". Em Herbermann, Charles. Enciclopédia Católica. 5. Nova York: Robert Appleton Companhia.
  • Stassen, Glen H. e David P. Gushee. Reino Ética: Seguir a Jesus, no Contexto Contemporâneo, InterVarsity Press, 2003. ISBN 0-8308-2668-8.
  • Stassen, Glen H. Viver o Sermão do Monte: Uma Prática Esperança da Graça e Libertação, Jossey-Bass, 2006. ISBN 0-7879-7736-5.
  • De Weddell, Sherry. Formando Intencional Discípulos: O Caminho para Conhecer e Seguir a Jesus. ISBN 978-1-61278-590-5.
  • Wilkins, M. J. (2004). Exclusivo do discipulado para um único mestre: Discipulado no Evangelho segundo Marcos. Batista do sul Revista de Teologia, 8(3), 50-65.
  • Vaage, Leif E. (2009). "Uma Outra Casa: Discipulado em Marcar como Doméstica Ascetismo". Catholic Biblical Quarterly. 71 (4): 741-761. MEE 43726614.