Discussão:América

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Untitled[editar código-fonte]

A suposta "confusão" do termo estadunidense é, ao meu ver, francamente ridícula. Não há por hábito em nenhum país da América Latina chamar o México de "Estados Unidos do México", e os próprios Mexicanos se referem aos EUA como EEUU (Estados Unidos).

De acordo, ridículo é pouco neste caso. Quem fez o comentário provavelmente está quase se sufocando nos supostos ares do "politicamente correto". Em uma palavra: subserviência ao que vem do exterior.70.253.66.233 (discussão) 14h26min de 14 de julho de 2009 (UTC)

Além disso, folgo em saber que o autor foi correto em sua explicação que América como um país é uma invenção dos países de língua inglesa, e que em nenhum lugar da América ou Europa Latina o termo América se refere aos EUA. Somos vítimas de um imperialismo cultural feroz, que começa nas coisas mais básicas como o nome do continente em que vivemos.

Este imperialismo cultural começou na verdade com a Inglaterra, que continua sendo o país que mais usa "America" para se referir aos Estados Unidos. Aqui nos EUA, onde moro, noto que as pessoas quando mais educadas usam também o termo "United States". Mas basta ir baixando o nível cultural que eles só sabem dizer "America".70.253.66.233 (discussão) 14h26min de 14 de julho de 2009 (UTC)

A título de curiosidade, verifiquem na página "America" da wikipedia em inglês e fiquem abismados com a quantidade de erros crassos existentes lá. O que mais me marcou foi algo do tipo "...ninguém usa o termo América para definir o continente, e portanto o termo apenas define nossa nação. O continente é referido em todo o mundo por As Américas"; e também" As Américas se dividem em dois continentes, Norte e Sul"....

Concordo em gênero, número e grau. Noto ainda mais que o nível intelectual destes supostos editores da página em inglês não é lá muito alto, e cometem erros básicos em lógica. Se quiserem ver que o termo "America" no passado era usado da mesma maneira que em espanhol e português, leia por exemplo "Robinson Crusoe" de Daniel Defoe [1] (interessante é que uma das vezes em que ele usa o termo "America", estava se referindo à costa do Brasil). Ou seja, até pelo menos 1719, quando este livro foi publicado, "America" significava, em inglês, todo o continente. Historicamente passou a significar, em inglês, os Estados Unidos como uma espécie de abreviação do nome, assim como o Brasil já se chamou no passado "Estados Unidos do Brasil", abreviado para "Brasil". Entretanto isto são problemas de evolução da palavra em inglês. Adotá-la como usada em inglês é anglicismo.70.253.66.233 (discussão) 14h26min de 14 de julho de 2009 (UTC)
Em português só muito recentemente esta tendência de chamar os Estados Unidos de simplesmente "América". Isto não ocorria na década de 80, e quando alguém o fazia, era ridicularizado (em especial nos estados brasileiros que tem equipes de futebol com o nome "América"). Mas quando a Globo resolveu fazer a maldita novela na década de 90... aí toda uma geração foi na onda e passei a ouvir muito mais esta distorção do português, vinda em geral de pessoas que pelo contágio mental se submeteram ao imperialismo mental Global.70.253.66.233 (discussão) 14h26min de 14 de julho de 2009 (UTC)
No tocante a dividir em América do Norte e do Sul, notei a ausência da América Central no artigo no artigo em português.70.253.66.233 (discussão) 14h26min de 14 de julho de 2009 (UTC)

Retirado trecho copiado de http://coladaweb.com/geografia/america.htm. --Mschlindwein msg 21:48, 14 Setembro 2005 (UTC)

- Caetano dizia que é um país sem nome. Michael Moore fez o mesmo alguns anos depois. Mas, se observarmos a cultura dos colonos que proclamaram a independência no séc. XVIII, a idéia era que todas as colônias que eles conheciam se tornassem independentes da metrópole inglesa, e reunirem-se em uma federação. Poderiam ter se chamado república federativa, que de fato são (mais que o Brasil), mas preferiram estados unidos. Nesta época, não havia mentalidade imperialista nenhuma, apenas pegaram o nome atribuído às colônias existentes e nomearam o país. Na cabeça deles, América era o continente, e eles queriam a independência de todas as colônias. O poderio político-econômico veio depois, quando muitos outros países já eram independêntes.

"América" era o termo usado pelas metrópoles (seja Portugal, Espanha, Inglaterra ou França) para se referir à suas terras no continente americano. Este uso continua inalterado em espanhol até hoje. Em português está sucumbindo ao anglicismo e à submissão cultural dos povos de língua portuguesa (não penso que haja imposição alguma dos povos de língua inglesa, nós é que temos mostrado não ter espinha nenhuma neste assunto, que para ser resolvido basta simplesmente recordar os conceitos de anglicismo e galicismo).70.253.66.233 (discussão) 14h26min de 14 de julho de 2009 (UTC)

Por este motivo, o nome popular do país, assim como o nome do continente, é América. Isso não parece muito absurdo, visto que temos São Paulo como cidade e como Estado, assim como Rio de Janeiro. No entanto, pela preocupação existente há muito, já existe no português o fluminense e o carioca, o paulista e o paulistano (e até o são-paulino). No entanto, ainda não existe um termo que diferencie o habitante do país América e do continente América.

Existe sim: norte-americano. Se você argumenta que isto é isto é impreciso, do mesmo modo é o uso em inglês de "America" para significar um país. Portanto fica elas por elas. E quando um norte-americano argumenta comigo que o termo "norte-americano" também inclue os canadenses (pois para eles o México não faz parte da América do Norte), replico que o termo América inclui todos os países do continente, e mais uma vez fica elas por elas. Por temos que mudar o português para a conveniência dos norte-americanos/anglo-saxões? Que mentalidade de cachorro-com-rabo-entre-as-pernas é esta? Aqui me vem à recordação a música "Indignação" do Skank: "Indigna, inação".
O Brasil, e o resto da América só vai conseguir evoluir quando superar este complexo de inferioridade cultural que aceita o lixo cultural norte-americano como sendo o apogeu do saber. Detalhe: moro nos Estados Unidos. Aqui há muitas coisas boas, mas todo mundo sabe aqui que McDonald's é o lugar de último recurso para se comer, equivalente ao churrasco de gato na esquina. Pizza Hut é a pior pizza que há. A maior parte do produzido em rock, funk, hip hop, etc tem aqui o mesmo valor para as elites que no Brasil se dá às chamadas músicas "bregas" (você sabe quais são :-)). Disneylandia aqui é passeio para o povão. E daí por diante... no Brasil nem temos idéia do que a elites aqui valorizam em termos de cultura. Simplesmente não chega aí, pois só vai para o Brasil o que aqui vendeu milhões, e por definição está adaptado à massa consumidora sem critério. Portanto se quem está lendo é burguesinho puxa-saco dos Estados Unidos, caia na real: você consome daí o brega daqui.70.253.66.233 (discussão) 14h26min de 14 de julho de 2009 (UTC)

Friso que não é uma questão de imperialismo. Muito pelo contrário: ninguém trata o Brasil pelo nome completo, ou a grande maioria dos países (exceção de Emirado Árabes Unidos, caso que realmente um país não tem nome, por exemplo). Chamar a América de Estados Unidos da Amárica é um sinal maior que de respeito, mas de submissão, assim como chamar uma autoridade pelo seu título. Nunca imaginei chamar um alemão de repúblico-federativo ou um uruguaio de repúblico-oriental. Assim como estado-unidense ou estadunidense se refere apenas a uma divisão política adotada, e não a um país. Vou ainda mais longe. Como disse acima, chamar pelo nome completo é sinal de submissão. Chamar popularmente de EUA ou Estados Unidos é como deixar de chamar o vizinho pelo nome e passar a tratá-lo por meritíssimo ou doutor. Isso, sim, é sinal de colonialismo. Portanto, deixo minha opinião: o país é América (mesmo nome do continente), e o gentílico americano. Este adjetivo é usado com muito mais freqüencia em referência ao país que ao ao continente, que por sua vez é subdividido em três. Teríamos então: sul-americanos, centro-americanos, norte-americanos (gentílico referente apenas ao continente, não ao país), e, no caso de uso para todos os três continentes, pan-americano.

Sua lógica não procede. O problema aqui é simples. "América" significando o país nada mais é do que um anglicismo inexistente no português, e é na verdade um sinal de submissão mental às estruturas e modos de pensar dos povos de língua inglesa. Sua solução proposta não só não tem lógica, mas iria além e diria que vai exatamente ao gosto do que a mentalidade anglo-saxônica imagina ou acredita ser correto, mas que jamais o foi nem na própria língua inglesa. Eu por mim só uso o termo "Estados Unidos" (EEUU), por que o nome completo é uma falácia, uma vez que não faz sentido em português.70.253.66.233 (discussão) 14h26min de 14 de julho de 2009 (UTC)
Seguindo a mesma lógica sugerida acima, vamos analisar dois casos:
1) Confederate States of America. Imagine que eles tivessem ganho a guerra. Teríamos então dois países: United States of America e Confederate States of America, ou seja, alguns estados da América (continente) estariam unidos, e outros, confederados. Agora perguntem-se o seguinte: a qual América os autores do nome "Confederate States of America" estavam se referindo ao propor o nome? Ao continente, ou ao país? Se responder "país", pare para pensar: faz sentido? E se ambos os países continuassem a existir: qual deles seria chamado de "America"? Será que os ingleses continuariam a se referir por "America" à essa região como um todo, ou será que voltariam ao sentido original de continente?
2) European Union. Pode-se traduzir de duas maneiras perfeitamente equivalentes em português: a) "União Européia", b) "União da Europa". Digamos que a segunda forma "pegasse", e daqui duzentos anos países como Suíça ou Noruega ainda não façam parte, e se sintam incomodados quando os habitantes da "União da Europa" chamem o seu país de "Europa", e argumentem que somente eles tem o direito de se chamarem de "europeus".
Conclusão: historicamente, a parte mais importante do nome "United States of America" é "United States", que na época da declaração da independência ressaltava o contraste com outros estados, também do continente americano, mas não unidos com eles(nem me refiro à América Latina, mas aos estados que decidiram não se juntar aos "United States", e se tornaram, mais tarde, o Canadá).70.253.66.233 (discussão) 14h26min de 14 de julho de 2009 (UTC)


America son muchos paises[editar código-fonte]

Es mentira de que todo el mundo cuando habla de America se refieren a E.U.A(U.S.A). Yo cuando hablo de America me refiero a el gran continente. Brazil es un pais Americano igual que E.U.A. Por la simple razon de que los dos estan situados en America. OI

onde estão as figuras?[editar código-fonte]

Razões pelas quais deletei último trecho[editar código-fonte]

Retirei último trecho, pois apesar de ser uma discussão válida em nada tem a ver com o continente americano. É uma discussão linguística sobre como chamar os cidadãos dos EUA, então quando muito deveria estar no verbete EUA este trecho. Desculpe o incômodo. Thiago.

"O uso mais comum do termo na língua inglesa refere-se ao país dos Estados Unidos da América, que tomou o adjetivo "americano" para designar pessoas ou coisas relativas a este país. Assim como o adjetivo, também é comum referir-se ao país como "América", uso que é mais comum na língua inglesa. Porém o adjetivo "americano" é muito usado também em outros idiomas (como a língua espanhola e a língua portuguesa) para designar coisas relativas aos EUA. Alternativas a este uso existem: os termos norte-americano e estadunidense (ou estado-unidense), embora o último seja pouco comum, também pode causar conflito com o México pois o nome oficial deste país é Estados Unidos do México. Cabe acrescentar que os Estados Unidos da América são conhecidos simplesmente por "Estados Unidos" e que os Estados Unidos do México são por "México" apenas, assim anulando o conflito se são usados os respectivos termos estado-unidense e mexicano, o último de uso consagrado no português."

Eu é que peço desculpas. Se ninguém discordar, não vejo problema em retirá-lo. Será que ele seria de alguma valia no wikitionary (ou algum lugar parecido)? --Giro720 03:19, 13 Julho 2006 (UTC)

Obrigado pela compreensão, retirarei, então, o último trecho, se alguém quiser recolocá-lo, sinta-se a vontade, apesar de eu considerar que este texto deveria estar em outro verbete da wikipedia, como EUA, ou na wikicionário. Modifiquei também o trecho que dizia que Hemisfério Ocidental é sinônimo de América. Isto é incorreto, o mais exato é afirmar que o continente americano localiza-se no Hemisfério Ocidental.

Alterações[editar código-fonte]

Retirei as ocorrências do termo "Américas", onde foi possível/necessário.

Em primeiro lugar, por considerar América como um único continente. Ninguém diz que "Colombo descobriu as Américas", ou "Colombo descobriu a América do Sul". Em segundo, porque o próprio título do artigo é "América", no singular.

A cidade de São Paulo é maior que a Cidade do México em relação à população. Já isto muda em questão às regiões metropolitanas, ocorrendo o inverso. A Região Metropolitana da Cidade do México é que é maior do que a Região Metropolitana de São Paulo. Nesta página, está a lista de regiões metropolitanas por população. Já aqui há a lista das cidades mais populosas do mundo. E em último é a cidade de São Paulo sim que é a maior cidade da América. Marcos discussão 17h40min de 1 de junho de 2010 (UTC).


Américas[editar código-fonte]

Como vista acima, volta a discussão de AMÉRICAS. Se é anglicana, se é anglicismo etc, para modificar todos as palavras em que se encontra o termo Américas, deve-se justificar com fontes conforme WP:V. Izahias (discussão) 03h41min de 13 de dezembro de 2013 (UTC)

Sempre acabam editando as páginas colocando em uso o termo "Américas", indo contra o consenso das discussões aqui que que levam ao uso preferido e consagrado de América para definir o continente americano. Arrumei mais uma vez o artigo. MPA Neto 03h13min de 24 de abril de 2015 (UTC)

Tópico da Esplanada[editar código-fonte]

O texto seguinte foi movido de: Wikipédia:Esplanada/geral/Usuária Bya97: América/Américas (25abr2016)

Mantendo a consistência do uso em aqui na Wikipédia Lusófona e como habitual em línguas neolatinas, alterei alguns artigos para usar a palavra América em vez de Américas. A página de discussão:América já deixa claro que a forma América deve ser a preferida e que a forma Américas é um anglicismo.

Após as alterações, a usuária Bya97 está simplesmente revertendo tudo alegando mudança de nacionalidade (não alterei termos envolvendo nacionalidade dos EUA) e ela ainda afirma nas reversões: "não repita a mudança de grafia" contribuições.

Como ela é novata, coloquei na página de discussão dela um recado para não simplesmente reverter sem conversar. Lá ela fala, inclusive, que na "América espanhola" a forma preferida é Américas, o que não é verdadeiro, visto que em espanhol inclusive a forma preferida para designar o cidadão dos EUA é estadunidense.

Acho que mais pessoas podem contribuir de forma mais inteligente para a discussão, porque não quero simplesmente sair revertendo como ela fez com minhas edições. MPA Neto 19h23min de 25 de abril de 2016 (UTC)

Para manipular a conversa, não colocou minha argumentação toda: Se fosse forma preferencial não estaria na maioria dos artigos da wikipédia que você está modificando para se adequar a seu ponto de vista. Os historiadores em larga escala utilizam Américas, por isto a maioria dos artigos da wiki estão assim, pode pesquisar eu sei bem porque estou me formando em História. Brasileiros utilizam mais América mas isto não se aplica aos europeus - lê-se portugueses europeus - e nem a América espanhola. Completando, América não e um termo errado, ambos estão corretos, mas vc não pode sair modificando artigos em massa só porque prefere América. A política da wiki é não mudar a grafia dos artigos por preferenciais locais. Bia Alencar Hello! 19h23min de 25 de abril de 2016 (UTC)
  1.  : Como o link da própria página de discussão de América mostra, não houve nenhuma convocação, tentativa de consenso entre os editores da wiki sobre o assunto, é apenas uma conversa entre dois editores.
  2. "Eles preferem estadunidenses" = fontes?? Estadunidense é uma palavra recente para tira o uso ufanista do nome americano.
  3. Como eu disse acima, ele modificou a grafia de VÁRIOS ARTIGOS apenas por WP:POV que vai contra as políticas da wiki.
  4. Adendo: Acho ótimo que chame mais editores pra participar, quero saber até quando se pode modificar a grafia de dezenas de artigos.

Abraços Bia Alencar Hello! 19h37min de 25 de abril de 2016 (UTC)

Pelo que vi, ela (Bya Alencar) costuma se envolver em problemas com guerra de edições e reversões. E fez tudo de maneira tão apressada e atabalhoada que criou o artigo Colonização portuguesa da Américas... Por coisas assim mantenho mantenho minhas edições no mínimo (até marcaram minha página como usuário inativo... rs). MPA Neto 19h42min de 25 de abril de 2016 (UTC)
Partindo para argumentos pessoais porque não foi capaz de negar o fato que fez mudanças de grafia em massa, seu histórico prova isso. Sempre que eu faço alguma coisa errada faço questão de concertar, diferente de você que está tentando apontar meus erros ao invés de se explicar. Bia Alencar Hello! 19h46min de 25 de abril de 2016 (UTC)

Fusão América (terminologia); América

As Ilhas Geórgia do Sul e Ilhas Sandwich do Sul ficam na América do Sul e não na Antártica (sim, Antártica com C, Antártida com D não existe!)![editar código-fonte]

Todas as enciclopédias, dicionários e gramáticas físicos (e não virtuais!) confirmam que ela é sul-americana, os próprios países e territórios americanos em geral, incluindo as próprias Ilhas em questão reconhecem oficialmente que se trata de uma área sul-americana!

Fora que não existem territórios habitados na Antártica: nem existe população fixa por lá de tão gelada que é, somente reside por lá uma população temporária de cientistas!

E a confusão do nome Antártida se dá porque alguém no passado associou a ideia de que se atlânticos vêm da Atlântida, antárticos vêm da Antártida, sendo que Antártica é o nome certo exatamente e justamente por vir de Antártico, que significa Anti + Ártico, ou seja, contrário ao Ártico!

Saviochristi (discussão)


Troquem a bandeira da França pela bandeira da Guiana Francesa ao lado do ícone da Guiana Francesa![editar código-fonte]

A Guiana Francesa já possui a própria bandeira desde 2011!

Saviochristi (discussão)

Por que este artigo menciona que são 18 territórios dependentes, se, na listagem, constam 19 nomes?[editar código-fonte]

Corrijam isso o quanto antes, por gentileza e muito grato!

Saviochristi (discussão)