Discussão:Blekinge (província)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Aportuguesamento desmotivado - Blecíngia versus Blekinge[editar código-fonte]

Olá Renato! Tendo em consideração os seus pontos de vista, expressos na página de discussão do artigo Blecíngia (condado), completados pelos meus pontos de vista, estendo agora o exame verbal ao artigo Blecíngia. Penso que o aportuguesamento latinizante é uma má alternativa, tendo melhor cabimento um aportuguesamento direto do termo sueco, ou até a manutenção da grafia original. Blecíngia não era, nem é, o nome da região chamada Blekinge. Os termos Blecingia, Blecongia, Blekingia, Blechingia e Blecinga são apenas as traduções do termo dinamarquês ou sueco (realmente usados para referir a citada região) em documentos redigidos em latim medieval, latim renascentista ou neolatim. As traduções latinas – Blecingia, Blecongia, Blekingia, Blechingia, Blecinga - não são o nome da região de Blekinge... são apenas traduções latinas. Seguindo a “Convenção de nomenclatura/Nomes próprios” sobre os “casos de conflito” vou continuar discutindo o assunto na página de discussão do artigo, esperando encontrar um consenso sobre “Blekinge versus Blecíngia”.--HCa (discussão) 10h27min de 18 de abril de 2018 (UTC)

Aportuguesamento inadequado – Blecíngia versus Blekinge[editar código-fonte]

A forma latina Blecíngia para a província sueca de Blekinge - introduzida pelo editor Rena - não tem uso considerável em nenhuma das versões da língua portuguesa.

Por essa razão, proponho o regresso à forma original Blekinge - usada pelos outros coeditores - de acordo com a recomendação da Convenção de nomenclatura/Nomes próprios da Wikipédia, tal como como está expresso no Ponto 1b e no Ponto 3 que advogam o uso da “forma na língua original”, quando não exista uma outra forma com “uso considerável em nenhuma das versões da língua portuguesa”.--HCa (discussão) 14h47min de 14 de junho de 2018 (UTC)

HCa, em Transliterações ítem I. 1. Exs., fica clara a recomendação de usar a forma mais adequada à língua portuguesa, no caso, a latinizada. O ítem 1 começa rezando " No respeito pelo Acordo Ortográfico de 1990 (e seus antecessores), devem ser usadas formas históricas portuguesas, traduções, aportuguesamentos e/ou adaptações (doravante designados como exónimos)". Além, é claro, de que deve-se levar em conta, ainda, que, somente com a última reforma ortográfica, as letras "k", "w" e "y" foram introduzidas ao nosso alfabeto. Pelo exposto, eu opino que o nome seja mantido como se encontra! LordOliver (discussão) 04h19min de 15 de junho de 2018 (UTC)

Só quero chamar a atenção, pela enésima vez, que do mesmo modo que o nome Blecíngia, válido, não tem amplo uso, o nome sueco é tão pouco referido quanto. Vamos ficar ad eternum nisso e a roda não muda, o nome sueco não é mais comum do que o nome latino, e só porque estamos a falar de uma localidade sueca não implica que tenhamos que escrever como um sueco escreve. Não somos suecos. A partir do momento que em ponto algum foi dito nas convenções que temos que dar preferência aos nomes exônimos, ao contrário disso (LordOliver D​ C​ E​ F indicou bem isso), não se sustenta a leitura anômala da convenção onde só se preconiza uma parte que, aqui e noutros casos, não se sustenta.--Rena (discussão) 07h00min de 16 de junho de 2018 (UTC)
Olá colegas wikipedistas, sem ser especialista de latim, tenho a impressão de que a palavra latina "Blecingia" era pronunciada em latim "ble-quin-guia", e não "ble-cin-gia". Como não podemos ouvir um latino da antiguidade, seria interessante ouvir um perito dos nossos dias. Segundo a informação recolhida: ►"c – Sempre gutural como em “casa”: cantat, scelus, centum, Cicerō", ►"g – Como o “c”, é sempre gutural como em “gato”. Exemplos: digitus, magnus, gemma". REF: https://archive.org/stream/QuestoesDeGramaticaLatinaTomoPrimeiroPronunciaDoLatimEElementosDe/QuestesDeGramticaLatina_djvu.txt, https://www.institutoangelicum.com.br/wp-content/uploads/2017/12/A-PRONU%CC%81NCIA-DO-LATIM.pdf, https://vamosaprenderlatim.blogs.sapo.pt/4a-licao-documentum-quartum-1880, http://blogs.odiario.com/auladelatim/2015/06/17/a-pronuncia-classica-do-latim/.--HCa (discussão) 12h36min de 1 de julho de 2018 (UTC)

Votação[editar código-fonte]

Symbol support vote.svg Concordo em mudar o nome para Blekinge. A Convenção de Nomenclatura da Wikipédia prescreve o uso do termo original quando não haja outro termo corrente usado pela comunidade de falantes da língua portuguesa. O bom senso apela à ponderação e recomenda respeito por outras opiniões antes de impor um aportuguesamento forçado.--HCa (discussão) 11h59min de 30 de junho de 2018 (UTC)--HCa (discussão)

Symbol declined.svg Discordo Pelo que já expus, em Transliterações ítem I. 1. Exs..

Não há votação para casos como esse, mas consenso. Symbol support vote.svg Concordo com o renomeio, pois n ão há fontes confiáveis que demonstrem que o termo Blecíngia tem uso significativo em variadas versões do Português.-- Leon saudanha 14h09min de 1 de julho de 2018 (UTC)

Blekinge em textos em português[editar código-fonte]

  1. "O laboratório remoto VISIR 3 nasceu de uma proposta de laboratórios remotos no Instituto de Tecnologia de Blekinge na Suécia com intuito de contribuir para ampliação da disponibilidade de experimentos reais aos alunos de forma econômica, e hoje já está presente na Áustria, Argentina, Brasil, Portugal, Espanha e Suécia com o projeto VISIR+." (Instituto Superior de Engenharia do Porto e Instituto Federal de Santa Catarina)
  2. "Durante a Idade Média, a Dinamarca incorporou a região da Escânia (Skane, Halland e Blekinge) regiões localizadas ao sul da Suécia; reis dinamarqueses governavam então partes da Estônia e os ducados do Schleswig e de Holstein. " (Revista Historiador)
  3. "Iniciando nossa observação pelo território dinamarquês podemos dizer que esse durante o período viking contava com maiores proporções do que o atual, os territórios Daneses vikings incluíam áreas como Skåne, Halland e Blekinge atualmente Suecas e suas fronteiras ao sul detinham a área de Jutland que hoje em dia se encontra na Alemanha. " (Revista Brasileira de História)
  4. "Essa aplicação foi desenvolvida por pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Blekinge na Suécia (OLOFSSON et al., 2006)." (Universidade Federal do Pampa)
  5. "Em várias províncias suecas, como Blekinge, por exemplo, a Igreja empresta ocasionalmente à rapariga (Rainha) uma coroa." (Universidade do Minho)
  6. "A nossa principal fonte iconográfica para as runestones é o site Runic inscriptions que apresenta fotografias para 584 conjuntos de inscrições rúnicas de todo o mundo: 172 suecas, 81 norueguesas, 207 dinamarquesas, 80 para a região de Skane/Halland/Blekinge, 19 gotlandesas, 7 groelandesas e 18 da Europa continental. " (O mito do dragão na Escandinávia, Brathair-Revista de Estudos Celtas e Germânicos)
  7. "Em Istaby, em Blekinge, encontra-se uma imponente pedra com runas gravadas antes do Período Viking..." (Ragnarok - O Crepúsculo dos Deuses)
  8. "O granito era consideravelmente mais difícil de trabalhar em Blekinge do que nas regiões contíguas à fronteira com a Noruega." (Teia de Cinzas)
  9. "O Arquipélago de Blekinge se estende por quase toda costa do Estado de Blekinge, no sudeste da Suécia."
  10. "Ao comentar no praefatio da Gesta sobre a região de Blekinge, atualmente parte da Suécia mas em época integrada ao reino da Dinamarca, Saxo afirmou que “Viajantes podem ver uma rocha em Blekinge colorida com estranhos símbolos”." (Dimensões cotidianas, religiosas e políticas para o uso das runas na Idade Média)
  11. "É ainda autor de três livros sobre programação e bacharel em economia, música e tecnologia em Blekinge Institute of Technology (Suécia)." (Palestra com os autores do livro Start-Ups: como empresas embrionárias rumam a caminhos milionários)
  12. "e o arquipélago de Blekinge, com ilhas cercadas pelo mar Báltico e considerado um dos destinos de ecoturismo mais belos do país.... (Viagem)
  13. "Agora, o Länsstyrelsen decidiu oferecer a todas as escolas secundárias e superiores de Blekinge dois sinais de proibição de fumar para assinalar a política antitabagismo da região." (geveko-markings.pt)
  14. "Blekinge" (Folha de São Paulo)
  15. "... Karlskrona... situa-se no Condado de Blekinge, no Sul do país." (Europa: História e Encantos)
  16. "... estela rúnica de Stentoften, Blekinge, Suécia, 600-650 d.C... (Dicionário de História e Cultura da Era Viking)
  17. "O símbolo da SS, a cruz de ferro e a águia alemã estavam erguidos na direção das nuvens carregadas de Blekinge" (A estrela de Strindberg)
  18. "Como resultado, as províncias de Skåne, Blekinge e Halland hoje integram a região sul da Suécia" (Os Escandinavos)

Blecíngia em textos em português[editar código-fonte]

-

Nome da província[editar código-fonte]

Nome inicial
por outros coeditores
Critério das fontes Critério do uso Nome adicional
sem fontes nem uso
Critério das fontes Critério do uso
Blekinge Fontes académicas Uso maioritário Blecíngia Fontes desconhecidas Uso desconhecido

Lägger man till hertigdömet de detta fordom underställda grevskapen Hallandia, vertikalt uppstigande i nordväst, och Blecingia - fonte sueca.--Rena (discussão) 18h31min de 7 de dezembro de 2018 (UTC)

Blecíngia entra no artigo, sem fontes nem uso[editar código-fonte]

O termo Blecíngia não parece ter fontes académicas nem uso comprovado. Por esse motivo vou aplicar o instrumento [carece de fontes?], esperando que o coeditor que introduziu o termo avance com fontes e uso. Isso melhoraria a qualidade do artigo. A Wikipédia prescreve o respeito pela convenção de nomenclatura de nomes próprios e pela proibição de pesquisa inédita.--HCa (discussão) 17h51min de 8 de dezembro de 2018 (UTC)