Discussão:Comunismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cscr-former.svg Comunismo foi anteriormente candidato a artigo destacado. Para ver por que a nomeação falhou, veja as ligações abaixo, nos marcos alcançados. Para nomeações mais antigas, pode não haver arquivo.
23 de fevereiro de 2011 Candidato a artigo destacado Não promovido

uma parada estranha no 1º paragrafo[editar código-fonte]

o que significa o polaskdjnasjdakjsdr do 1º paragrafo ?

Vandalismo. Já foi corrigido. Obrigado pelo aviso. :) Dornicke (discussão) 07h32min de 23 de março de 2012 (UTC)

Seção Sobre o Genocídio Comunista[editar código-fonte]

Acho interessante esta seção, principalmente se levarmos em conta que a ideologia foi responsável por cerca de 100 milhões de mortes, seria interessante fazer esta abordagem.

Cade? isso é bem relevante , o artigo esta parecendo uma propaganda mal feita do que o comunismo fez e prega. (Thepalerider2012 (discussão) 13h09min de 11 de abril de 2013 (UTC))

  • Não precisa estar tudo no mesmo artigo, confira p.ex. Holodomor.Jo Loribd 14h32min de 11 de abril de 2013 (UTC)
Primeiro, o comunismo não matou "100 milhões" isso é boato. Segundo, não existiu "genocídio comunista", comunismo foi diferente em cada país. As mortes dos perseguidos políticos da União Soviética estão no artigo do regime, onde deve estar. Bia Alencar Hello! 02h36min de 9 de fevereiro de 2016 (UTC)

Historiadores de tendência marxista ou não, concordam com o número de 100 milhões de mortos de maneira direta ou indireta (por exemplo, desde fuzilamentos sumários até mortes por frio ou fome advindas dos conflitos). Teriam sido, 60 milhões na era de Mao, e mais 40 milhões nas eras de Lenin e Stalin. Mourão. --186.203.8.224 (discussão) 04h53min de 22 de outubro de 2016 (UTC)

Olha, o comunismo nunca foi realmente implementado. Cada um tinha sua própria filosofia de governo e que se distanciavam muito do comunismo. Então, é mais apropriado dizer que o "Maoismo" (Relativo a Mao) matou 60 milhões e o "Stalinismo e o Leninismo" mataram 40 milhões. Nem a China e nem a própria União Soviética eram socialistas ou comunistas. Editado, por quê eu esqueci minha assinatura. Olha ela aí:--MadMendes (👌) 20h39min de 14 de maio de 2018 (UTC)

"Ocidente" x comunismo[editar código-fonte]

Durante grande parte do século XX, no mundo ocidental (sobretudo nos Estados Unidos) o comunismo, pelo seu orientamento totalitário,18 19 foi visto como uma ameaça iminente e um rival das democracias capitalistas.

Primeiramente, a palavra "orientamento" não existe em português. O correto seria orientação. Em segundo lugar, o comunismo foi visto como uma ameaça pelas "democracias" (sic) capitalistas porque ele prega a apropriação dos meios de produção, não por seu caráter totalitário. As "democracias" (sic) capitalistas do ocidente estão pouco se lixando para regimes totalitários, tanto é que instituíram ou ajudaram a instituir através de golpes de estado inúmeros regimes totalitários/fascistas na África, Ásia e América Latina justamente para "combater o comunismo" (segundo o discurso oficial). É muito fácil pinçar fontes da direita para tentar enquadrar uma opinião que é, francamente, ridiculamente infantil, a respeito do motivo pelo qual o Ocidente combateu o comunismo. Só que fontes da esquerda dirão o oposto. E, em qualquer contexto, dizer, with a straight face, que os EUA se incomodam com totalitarismo e direitos humanos soa como uma piada de mau gosto para qualquer pessoa com dois neurônios funcionais. Portanto, marquei o trecho como parcial. Dornicke (discussão) 20h29min de 3 de agosto de 2013 (UTC)

Obrigado Dornick, já foi corrigido erro gramatical (você podia ter feito isso, afinal você é editor também) e acrescentada a frase apropriação dos meios de produção sugerida por você no texto. DARIO SEVERI (discussão) 00h15min de 4 de agosto de 2013 (UTC)

Reescrevi a seção. Creio que agora não há o que reclamar, mais imparcial do que isso vai acabar deixando parcial pro lado da esquerda. 2(L.L.K.)2 (discussão) 15h09min de 11 de agosto de 2013 (UTC)

Obrigado pela melhoria no artigo, fiz duas pequenas alteraçoes. DARIO SEVERI (discussão) 17h29min de 11 de agosto de 2013 (UTC)

Propriedade Comercial x Pessoal[editar código-fonte]

Corrigir texto da introdução sobre a inexistência da economia de mercado no comunismo porque dava a entender que não existia propriedade individual(carros, roupas, pcs etc)

Ficou melhor explicado. DARIO SEVERI (discussão) 09h35min de 26 de janeiro de 2014 (UTC)

Edição com fontes sobre o pensamento de Lenin revertida[editar código-fonte]

Aqui[1] reverteram sem justificativa a passagem que Lenin diz sobre a "social-traição" dos defensores da "Revolução Mundial" e o anti-marxismo da esquerda no livro=> Esquerdismo, doença infantil do comunismo.[2][3] E outra fonte do Lenin discutindo as teorias de Leon Trótski, mas defendendo a possibilidade do socialismo em um só país=> "the victory of socialism is possible first in several or even in one capitalist country alone.".[4] Trótski discordava de Lenin. Qual é o problema nisso? :)[5] - Opiniao dada, mas nao assinada (em 17:37, September 29) pelo IP 2014‎ 187.34.165.38) Dr. LooFale comigo

Caro Luizpuodzius,
"Esquerdismo" foi escrito para abrir uma discussão com os social-democratas alemães que defendiam a não-participação dos social-democratas nas eleições. É disso que se trata. O debate pode ser acompanhado em uma coletânea de textos organizada por Maurício Tragtemberg intitulada Marxismo Heterodoxo.
O internacionalismo proletário é um dos princípios do marxismo. Ele defende isso já nos primórdios, em A Ideologia Alemã, e confirma no Manifesto Comunista.
Sua frase "pescada" do Esquerdismo (que citou na minha página de discussão) não se trata da crítica ao internacionalismo. Leia o resto do livro. Ela se trata da crítica dos revisionistas que se arvoram da defesa do internacionalismo proletário para negar o marxismo. Atente ao detalhe de que a palavra defesa está entre aspas.
Se não bastasse a absoluta incompreensão do texto de Lenin, ainda é uma fonte inaceitável por ser fonte primária.
Porantim msg 15h03min de 1 de outubro de 2014 (UTC)

"Versão estável"[editar código-fonte]

O artigo foi protegido hoje com o sumário "Recolocado texto estavel do dia 27 de setembro. Por favor discutam na PD do artigo". No entanto, essa não é a versão estável, já que o trecho em disputa foi inserido dia 23 de setembro. Antero de Quintal (discussão) 14h58min de 30 de setembro de 2014 (UTC)

Obrigado Antero, coloquei para versão do dia 23 de setembro, realmente era a mais correta. DARIO SEVERI (discussão) 15h56min de 30 de setembro de 2014 (UTC)
Olá, Dario. Obrigado por intervir. Assim que chegarmos a um acordo, te aviso. Porantim msg 14h53min de 1 de outubro de 2014 (UTC)

"Estado" e "estado"[editar código-fonte]

Quando nos referimos ao “Estado” instituição, este é grafado sempre com letra maiúscula. Tal como em: "É dever do Estado cuidar das questões referentes aos órgãos que dele fazem parte. "

No caso de nos referirmos a alguma região brasileira, esta deverá ser grafada com letra minúscula, como por exemplo: "Moramos no estado do Rio de Janeiro."

"É bem provável que o estado de saúde de Márcia se agrave ainda mais" Dotado das mesmas características que o termo anterior, também é grafado com letra minúscula.

Fontes:

Porantim msg 00h37min de 10 de março de 2016 (UTC)

Agradeço pela correção, Porantim. Russel Hammond (discussão) 22h04min de 10 de março de 2016 (UTC)

Revisionismo[editar código-fonte]

Em revisionismo está linkando à Leonard Bernstein, o correto é Eduard Bernstein. 2804:14D:1686:9520:1D6D:8BAE:488E:A3E0 (discussão) 03h43min de 7 de novembro de 2018 (UTC)