Discussão:Crise político-econômica no Brasil desde 2014

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Artigo bom Crise político-econômica no Brasil desde 2014 foi eleito um artigo bom; o que significa que ele (ou uma versão anterior) foi avaliado e identificado como um artigo de boa qualidade produzido pela comunidade da Wikipédia lusófona, seguindo os critérios estipulados. Se acha que consegue elevar o estatuto, faça-o por favor.
Etapas passadas por este artigo
Data Processo Resultado
9 de dezembro de 2017 Candidato a artigo bom Não promovido
8 de março de 2018 Candidato a artigo bom Não promovido
4 de janeiro de 2020 Candidato a artigo bom Promovido
Estatuto atual: Artigo bom

Efeitos[editar código-fonte]

@PauloMSimoes: Olá. O que o sr. acha de mudar a seção Características para Efeitos? E afinal, tudo aquilo que está ali são características ou consequências? Enfim, o artigo sofrerá uma expansão amanhã, e portanto receberá mais views. --Bageense(fala) 22h37min de 21 de maio de 2019 (UTC)

Ficaria então uma seção "Causas" e outra "Efeitos", numa relação de causalidade. Rsrs. Mas entendo que isso não é super importante. Mas aquele trecho do primeiro parágrafo da introdução que o sr. alterou ainda me gera dúvidas. A recessão (bem como o desemprego, etc) foi uma consequência da crise ou foi a crise? Não seria tudo uma coisa só? --Bageense(fala) 12h35min de 22 de maio de 2019 (UTC)

Mas se eu propus trocar para "efeitos", isso não seria o mesmo que dizer consequências? Enfim, tá complicado, e como disse, isso não parece ser tão importante. --Bageense(fala) 12h35min de 22 de maio de 2019 (UTC)

Queda de 0,2% no PIB ocorre depois de dois anos seguidos de fraca expansão[editar código-fonte]

https://oglobo.globo.com/economia/queda-de-02-no-pib-ocorre-depois-de-dois-anos-seguidos-de-fraca-expansao-23703025?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=O%20Globo

Não esquecer de escrever... --Bageense(fala) 13h31min de 30 de maio de 2019 (UTC)

Atualizar seção sobre desigualdade[editar código-fonte]

https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/08/16/desigualdade-de-renda-cresce-ha-17-trimestres-consecutivos-no-pais-aponta-fgv.ghtml

Mais um lembrete para mim mesmo, que provavelmente nunca irei voltar a ver.... --Bageense(fala) 16h00min de 26 de agosto de 2019 (UTC)

Não há discussão sobre o efeito do Pico do petróleo como contribuinte na crise[editar código-fonte]

Há vários estudos que mostram uma correlação entre o Peak Oil e a crise econômica brasileira, porém este assunto está omisso no artigo [1][2][3][4]

Eduemoni (discussão) 04h12min de 20 de novembro de 2019 (UTC)

@Eduemoni: Obrigado por vir aqui ajudar a melhorar o artigo! Pois, eu que edito este artigo há um tempo, nunca tinha lido nada sobre essa causa. Poderia explicar um pouco melhor como isso foi a causa da crise? Ah, e eu me interessei pelos gráficos da última ligação, especialmente o primeiro, que mostra as receitas da Petrobras no negativo em 2014 (início da crise) e 2015. Isso pode ser colocado na seção "consequências", pois isso parece ter sido uma consequência, e não uma causa. Seria bom para ilustrar o artigo. Saudações! --Bageense(fala) 14h45min de 20 de novembro de 2019 (UTC)

Referências

Pequenos ajustes finais[editar código-fonte]

Mesmo após as festas de fim de ano, ainda continuo sem tempo e cabeça para editar, então já vou deixando aqui mais alguns aspectos menores do artigo a serem melhorados.

  1. Separar crise política da econômicaYes check.svg Feito. As consequências de uma e de outra devem estar na seção adequada. Já fiz essa mudança.
  2. Excesso de sub-subseções em "crise política"Yes check.svg Feito, transformei-as apenas em texto em negrito usando ponto e vírgula (;). Isso deixa o índice mais enxuto
  3. Imagem do topo – A capa com o rosto de Dilma pode ser considerado parcialidade. Portanto, a imagem deve voltar a ser a capa da revista EXAME, que é neutra. A capa com o rosto de Dilma deve ficar onde a capa da EXAME está agora, pois a seção "Erros na política macroeconômica", essa sim está diretamente ligada ao governo Dilma e ao governo Dilma apenas. Sim Farei isso após publicar esta mensagem.
  4. Tamanho da seção "instabilidade política" – Há dois problemas que vejo apenas ao passar o olho:
    1. Proporção – A seção é comprida demais, sendo que a principal causa da crise econômica não foi essaNão
    2. Contradição – Sendo o artigo tanto sobre a crise política e a econômica, não faz sentido a seção "Causas" ser sobre a causa da crise econômica apenas. Em outras palavras, o conteúdo da seção pode até ser a causa da crise econômica, mas não o é da crise política; afinal, ela é a própria crise política.Não
  5. Tamanho dos gráficos – Têm de ser aumentados para melhor visibilidade. Sim Farei isso após publicar esta mensagem.
  6. Excesso de refs na seção "crise política": removê-los, pois sobrecarregam desnecessariamente a página.Não
  7. Correções textuais menores – Melhorar a redação um pouquinho mais, já que este artigo é resultado da fusão de dois artigos.Não

Por enquanto acho que é isso. --Bageense(fala) 17h59min de 4 de janeiro de 2020 (UTC)

@Chronus: Não te preocupe, eu edito este artigo há 3 anos, portanto, eu sei o que estou fazendo. Acha mesmo que eu faria algo para piorá-lo?
Mas explico mesmo assim: quando uma fusão desse tamanho é feita, é preciso diversos ajustes no texto para fazer com que o texto todo se encaixe e tenha unidade. Meu trabalho está quase no fim, só faltam agora mais alguns menores ajustes na redação do artigo e o artigo fica coerente, como deve ser um artigo bom. --Bageense(fala) 16h38min de 14 de janeiro de 2020 (UTC)
E não reverta sem falar nada. Se discordar de algo em particular, vem aqui que a gente conversa. Tem tempo... em janeiro os artigos recebem poucas views --Bageense(fala) 16h59min de 14 de janeiro de 2020 (UTC)
@Bageense: Citação: Bageense escreveu: «Acha mesmo que eu faria algo para piorá-lo?» Não só acho, como você já fez ao eliminar 12 mil bytes de conteúdo válido e referenciado apenas porque você não gostou da "proporção da seção". É preciso apresentar um argumento muito, mas muito mais concreto do que esse para justificar a supressão desta quantidade de informações. O verbete simplesmente acabou de passar por uma eleição ao destaque, cuja versão eleita está a ser completamente modificada por você com base em posicionamentos completamente subjetivos. Além de tornar o verbete instável, seu comportamento soa desrespeitoso com os votantes que participaram da candidatura. Por fim, não volte a apagar conteúdo "sem falar nada". Chronus (discussão) 09h09min de 16 de janeiro de 2020 (UTC)
@Chronus: Mas querido, nenhum conteúdo foi de fato apagado. Você fez a fusão, certo? Só que havia conteúdo comum a ambos artigos. Portanto, este artigo acabou por mencionar mais de uma vez um mesmo fato.
Mas como eu disse, temos tempo para discutir, estamos em janeiro apenas. Quer seguir a sugestão do Raimundo? A gente vai para minha página de testes (Usuário:Bageense/Testes/CenBd2014) e discute passo a passo as mudanças. Eu sei que os diffs podem ter parecido confusos e difíceis de serem analisados.
Além disso, houve alguns erros ao fundir. As manifestações de 2013 com certeza foram um antecedente desta crise, mas ela não foi uma causa desta, conforme o artigo sugere ao ter o conteúdo na seção sobre as causas. Mas calma, vamos discutindo... --Bageense(fala) 16h29min de 16 de janeiro de 2020 (UTC)
Sugiro que as alterações sejam feitas em uma subpágina do proponente para debate antes de alteração do artigo.--Raimundo57br (discussão) 13h24min de 16 de janeiro de 2020 (UTC)

@Allice Hunter, DARIO SEVERI, MSN12102001, EVinente, Cósmico e Maikê: Como vocês votaram na candidatura deste artigo, poderiam opinar se as mudanças que o Bageense está a promover são pertinentes? Chronus (discussão) 05h45min de 18 de janeiro de 2020 (UTC)

Concordo com o Raimundo. O artigo acabou de ser eleito AB e, por isso, antes de se realizar qualquer alteração, deve ser discutido se essa é válida. Não vejo a necessidade de se realizar essas alterações, pois o artigo já está em excelente estado. Não entendi o porquê dessas questões terem sido levantadas somente agora e não quando a votação estava a decorrer. Mas se for para alterar alguma coisa deve ser previamente discutido e testado. MSN12102001 (discussão) 12h04min de 18 de janeiro de 2020 (UTC)
@Chronus: e outros: Não houve remoção efetiva de conteúdo, apenas trechos que ficaram repetidos devido à fusão do Chronus. Por exemplo, no segundo parágrafo da seção "Governo Michel Temer": Citação: As reformas acima citadas foram: o Novo Regime Fiscal, emenda constitucional que estabelece um limite (teto) para o crescimento dos gastos do Governo Federal por 20 anos;[211] a Lei da Terceirização, lei que permite a terceirização do trabalho também para atividades-fim;[212] a Reforma trabalhista, que foi uma significativa alteração na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT);[213] e a Reforma da previdência, que o governo não conseguiu levar adiante.. Isso é o mesmo que já está na seção "Medidas anti-crise".
Ou ainda: logo no início da seção sobre a crise política, menciona-se o impeachment de Dilma, a posse de Temer e as reformas de Temer (sim, de novo, pela terceira vez). Acontece que esses parágrafos serviam como introdução do artigo da crise política. Agora, não é necessário mais uma introdução, pois esses acontecimentos estão todos mencionados um pouco mais abaixo.
@MSN12102001: No começo do ano eu estava de viagem ainda e não estava editando. --Bageense(fala) 15h58min de 18 de janeiro de 2020 (UTC)
Além disso, o Chronus fundiu um trecho em local inadequado. As manifestações de 2013 (as Jornadas de Junho) antes eram os "Antecedentes" no artigo da crise política, mas agora o Chronus colocou eles como causa da crise econômica. Esse trecho foi movido para uma nova seção "Antecedentes" da seção sobre a crise política... foram apenas esse tipo de mudanças que foram feitas. --Bageense(fala) 16h08min de 18 de janeiro de 2020 (UTC)
@Bageense: Citação: Bageense escreveu: «As manifestações de 2013 (as Jornadas de Junho) antes eram os "Antecedentes" no artigo da crise política, mas agora o Chronus colocou eles como causa da crise econômica.» Do que você está falando? A seção "Causas" abrange os motivos de ambas as crises (política e econômica). Você não entendeu a organização do verbete e agora vem eliminar 12 mil bytes de conteúdo por conta disso. Se não fosse pelas minhas intervenções, esse artigo não teria sido eleito AB tão cedo. Chronus (discussão) 23h35min de 18 de janeiro de 2020 (UTC)
@Chronus: Eu não questionei suas intervenções de modo geral; apenas esse caso particular. Citação: Do que você está falando? A seção "Causas" abrange os motivos de ambas as crises (política e econômica). Mesmo assim, as manifestações de 2013 também não são uma causa da crise política. Elas foram um antecedente, elas servem para contextualizar o assunto do artigo. Sugiro que, antes de responder, você leia a discussão de novo com mais calma e reflita melhor. Eu já te falei três vezes que eu não removi conteúdo efetivo. --Bageense(fala) 18h32min de 19 de janeiro de 2020 (UTC)

───────────────────────── @Chronus: Estou no cel e não posso editar muito, mas o mês esta terminando e até la a questão tem de estar encerrada. Eu não tenho culpa se você não quiser analisar o caso... sdç--Bageense(fala) 17h15min de 23 de janeiro de 2020 (UTC)

Como eu disse antes, se quiser eu edito minha página de testes e explico tudo passo a passo. Mas essa edição minha terá de ser feita. (O que não significa que eu não aceite opiniões. Trata-se de um projeto colaborativo, então seria meu dever fazê-lo.) --Bageense(fala) 20h35min de 23 de janeiro de 2020 (UTC)

@Bageense: Se você acha que o conteúdo sobre as manifestações de 2013 ficam melhor em uma seção chamada "antecedentes" do que "causas", então crie a tal seção ao invés de simplesmente apagar todo o material. A relação entre a crise política de 2014 e as jornadas de junho é bastante óbvia e as fontes presentes no verbete comprovam isso. No mais, como assim a sua edição "terá de ser feita"? Você pretende nos obrigar a aceitá-la exatamente de que forma? Chronus (discussão) 06h32min de 25 de janeiro de 2020 (UTC)
@Chronus: Olá! Mas sim, era isso que eu tinha feito. Eu tinha movido o conteúdo para uma seção "antecedentes", ele não foi nunca apagado.
O que eu quis dizer é que, se alguém contesta, é preciso discussão. Se algum editor não obtiver resposta, ele pode fazer sua alteração.
Tem tempo ainda... vamos com calma --Bageense(fala) 18h54min de 25 de janeiro de 2020 (UTC)
@Chronus: Bom, como esse ponto parece ser ponto pacífico, farei a edição. Criarei (recriarei, na verdade), a seção sobre os antecedentes. --Bageense(fala) 18h39min de 26 de janeiro de 2020 (UTC)
@Chronus: Bom, faltam ainda coisas a serem feitas. Falta remover o excesso de citações, principalmente na seção sobre a crise política, que foram responsáveis pela maior parte daqueles 12k bytes removidos anteriormente. Falta também alguns conteúdos duplicados a serem fundidos ou simplificados, a fim de evitar que o artigo fique enfadonho. Mas da forma atual, o artigo está aceitável. O senhor tem agora a missão de zelar por ele e manter sua qualidade. Visto que você é agora um de seus editores, tendo realizado a fusão e a promoção, tens agora essa responsabilidade caso eu falte nos próximos meses. E falando nisso, lamento você querer me ver afastado por seis meses. Eu achava que nós estávamos começando a nos entender finalmente...Mas cumpri minha promessa a mim mesmo, e antes de terminar o mês de janeiro, os ajustes chegaram ao fim. --Bageense(fala) 18h48min de 28 de janeiro de 2020 (UTC)

───────────────────────── PS: Chronus, você se esqueceu de corrigir uma inconsistência apontada pelo Saturnalia. O Saturnalia observou, na candidatura, que o artigo parecia contraditório por mencionar exagero de gastos e também contenção de gastos. Ele se referia à fala do Luiz Fernando Furlan, que falou em excesso de gastos por parte do governo. Enfim, isso é falso. Houve, na verdade, justamente o oposto, e a Laura Carvalho deixa isso muito claro. Portanto, a opinião dele é marginal, secundária, e deve ser removida do artigo. Assim a contradição desaparece. Sdç. --Bageense(fala) 05h14min de 29 de janeiro de 2020 (UTC)

Olavo[editar código-fonte]

@Ixocactus: Eu havia removido o trecho que fala do Olavo na minha página de testes, mas me esqueci disso e não coloquei no sumário. Mas explico aqui: não vejo relevância nenhuma em citá-lo no artigo. Peço que você não dissemine a desconfiança. Se eu tirei essa frase do artigo foi justamente porque acho que ele não merece ser citado aqui. --Bageense(fala) 08h34min de 22 de maio de 2020 (UTC)

@Bageense: Na versão que ganhou uma estrelinha prata, constava o trecho que você removeu agora porque "não vê relevância nenhuma", "acha que ele não merece ser citado aqui" e, cereja do bolo, "se esqueceu de colocar no sumário", apesar das 3 referências confirmarem o que está dito sobre o autoproclamado filósofo, antes chamado por você de "ensaísta". Desde então você vem distorcendo o verbete a seu bel prazer e ainda não foi contestado. O que você faz nas suas páginas de testes é irrelevante. Não vejo boa fé em remoção de conteúdos desse tipo. Ixocactus (discussão) 09h48min de 22 de maio de 2020 (UTC)

Mudança de nome do artigo[editar código-fonte]

Este artigo foi escrito durante a crise, e o nome ficou incerto. Porém, agora com a presidência de Bolsonaro e a crise da COVID-19, não há dúvida de que não estamos mais vivendo nem a crise política (que termina com o governo Temer) nem a crise econômica (já que a crise econômica gerada pela pandemia tomou seu lugar). Portanto, já passou da hora de atualizarmos o título do artigo.

Algumas sugestões:

Infelizmente, ao que parece, a crise econômica não tem um nome bem definido ainda. Mas há fontes que usam

A desvantagem desse nome é que ele não faz menção alguma à crise política.

@PauloMSimoes, Instambul e Amom Lins: Chamando alguns para opinar, mas qualquer um é bem-vindo. --Bageense(fala) 03h40min de 15 de julho de 2020 (UTC)

@Bageense: acredito que não seja bom truncar o artigo por causa do efeito "covid". Esta veio agravar a crise (tanto econômica como política), e isso deve ser citado no artigo, com os principais tópicos e criando um verbete principal, Impacto político-econômico da pandemia de COVID-19 no Brasil, a exemplo de Impactos da pandemia de COVID-19. O tamanho do verbete ainda permite expansão.--PauloMSimoes (discussão) 17h09min de 15 de julho de 2020 (UTC)
Citação: Bageense escreveu: «Porém, agora com a presidência de Bolsonaro e a crise da COVID-19, não há dúvida de que não estamos mais vivendo nem a crise política (que termina com o governo Temer)» Quem disse que a crise política acabou junto com o mandato do Temer?--Mister Sanderson (discussão) 18h05min de 15 de julho de 2020 (UTC)
@PauloMSimoes: @MisterSanderson:: Suas objeções foram semelhantes, portanto respondo a ambos. Vocês dois creem que a crise política não terminou. Eu, é claro, reconheço que os tempos não estão sendo fáceis, mas considero o momento atual distinto do anterior. Este artigo trata da crise que girava em torno do impeachment, basicamente. Incluir também o governo Bolsonaro seria esticar demais seu escopo. Para mim, a eleição do Bozo foi uma consequência da crise de 2014-2018 (ver seção "consequências" sobre a guinada à direita), que por sua vez gerou sua própria crise.

Quanto à crise econômica, concordo com o Paulo que a COVID pode ter uma seção própria que leva a um artigo principal a ser criado. Mas acho que a crise gerada pela pandemia não deve ser considerada uma continuação da anterior. A crise abordada no artigo teve suas causas bem estabelecidas: a nova matriz, as commodities, etc., enquanto a crise econômica gerada pela COVID teve uma causa distinta.

Por fim, vocês discordam da renomeação do artigo, é isso? --Bageense(fala) 01h40min de 16 de julho de 2020 (UTC)

@Bageense: estou com tendência a concordar com vc. A crise político-econômica devido à covid-19 poderia encerrar o ciclo da crise que a antecedeu e o título poderia ser renomeado para o da sua terceira sugestão (Crise político-econômica no Brasil (2014–2018)), até porque a economia vinha se recuperando ao longo de 2019, mesmo lentamente. A crise que veio com a pandemia não foi só econômica, mas também política, por isso a minha sugestão Impacto político-econômico da pandemia de COVID-19 no Brasil. A ser criado este verbete, seria importante mencionar o contexto político ao longo de 2019 e nos primeiros meses de 2020, que antecederam a pandemia.--PauloMSimoes (discussão) 02h04min de 16 de julho de 2020 (UTC)

É verdade, a economia vinha se recuperando, quando começou a nova crise econômica por causa da pandemia. Eu tinha pensado que uma era continuação da outra pois a crise política nunca passou, apenas mudou de figura. Mas do ponto de vista econômico houve mesmo uma diferença.--Mister Sanderson (discussão) 11h44min de 16 de julho de 2020 (UTC)
Por mim o nome do artigo continua assim mesmo. Segmentar por causa da COVID-19 é interpretá-la como fator principal de uma "nova crise" uma vez que você mencionaram que a economia vinha se recuperando mesmo que lentamente. Enfim, para qualquer mudança, principalmente em relação ao contexto político, é bom checar a literatura acadêmica sobre. Young Brujah (discussão) 15h44min de 16 de julho de 2020 (UTC)
Young Brujah, eu não vou checar a literatura acadêmica pois não tenho tanto interesse nesse tema. Logo, estou Symbol neutral vote.svg Neutro, não tenho conhecimento para opinar.--Mister Sanderson (discussão) 22h15min de 19 de julho de 2020 (UTC)
@Bageense: concordo com vc, aliás, vou dizer mais, e sem ofensas, é um pouco burro o título. Por lógica algo que deve ser enciclopédico não pode ser "gerundionesco" como uma "história sem fim". O Artigo já peca por tentar criar uma analise de um evento recente que teve vários desdobramento que está perdendo o sentido de certas afirmações mesmo que essas tenham fontes jornalísticas. Me parece mais uma tentativa de fixar a historia antes do tempo. O que aconteceu em 2014 é diferente até mesmo de 2016. Em 2017 o mercado financeiro estava de paz com Michel Temer até por o histórico do mesmo. E causaram outra crise com atores de outros setores da direita. Esse nome não faz sentido algum. E o artigo deveria passar por profundas modificações. (Anhaabaete (discussão) 08h58min de 19 de julho de 2020 (UTC))
O nome era provisório por falta de um nome definitivo, que está sendo discutido agora. Se não quiser ajudar a escolher um nome, favor, não atrapalhar a conversa. --Bageense(fala) 17h01min de 19 de julho de 2020 (UTC)

@PauloMSimoes, Young Brujah e MisterSanderson: Bom, pelo que pude sentir dessa discussões, não há um grande "entusiasmo", digamos, para que a moção seja feita. Acho bom então deixar esta conversa aberta e com o tempo as coisas talvez fiquem mais claras. É um assunto complicado mesmo. Resumindo, vamos deixar o nome como está, por hora.

E quanto ao "atual" na primeira linha do primeiro parágrafo do artigo: será que ele ainda faz sentido? --Bageense(fala) 05h36min de 27 de julho de 2020 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Se está a menosprezar uma crise econômica sem precedentes em mais de um século no Brasil, uma queda no PIB em torno de 5%, desemprego de quase 20%, e todos sabemos a causa. Continuo a argumentar que a pandemia é um "divisor de águas", e tudo que aconteceu antes e acontecerá depois dela devem ser relatados em separado. Se algo tão relevante, que alguns acham que deve ser mantido no contexto do verbete, dando continuidade (e desta forma, só Deus sabe quando se encerrará o período), porque há ainda só um mísero parágrafo sobre esse tema? Ou é menosprezo ou é incoerência...--PauloMSimoes (discussão) 06h26min de 27 de julho de 2020 (UTC)

Concordo que a crise econômica decorrente da pandemia é um fato de extrema relevância. Mas trata-se de um fenômeno em desenvolvimento e me parece sensato esperar o que os estudiosos publicarão sobre o assunto. Sobre certos assuntos é melhor escrever com certo distanciamento temporal. Ainda estamos no terreno das especulações.--Raimundo57br (discussão) 12h12min de 28 de julho de 2020 (UTC)
Entendo que a crise econômica iniciada em 2014 ainda não foi superada, pois apesar do pequeno crescimento econômico registrado em alguns períodos, uma das causas fundamentais da crise ainda permanece: déficit público -> crescimento da dívida pública. Nesse contexto, não se pode dizer se a crise econômica gerada pela pandemia é um fenômeno novo ou um fator agravante.--Raimundo57br (discussão) 12h17min de 28 de julho de 2020 (UTC)
Proponho Crise econômica no Brasil iniciada em 2014, pois não há consenso sobre a data de término.--Raimundo57br (discussão) 12h22min de 28 de julho de 2020 (UTC)

"Certo distanciamento temporal"? O mundo está há quase cinco meses embrenhado nessa catástrofe (e parece até já mostrar sinais de melhora). Não demorei dez segundos de pesquisa para encontrar várias evidências do que acontece na economia brasileira, entre elas, esta do IBRE/FGV, esta do Ágora/e-investidor Estadão e esta do InfoMoney. Nesta última, para quem entende melhor que eu, seria bom ler com atenção sobre os períodos de recessão da economia brasileira desde 2014, na opinião dos especialistas do Codace/FGV. Esse material referente a três meses de estudos, no mínimo, é suficiente para expandir ou mesmo criar um artigo sobre este novo ciclo na economia.--PauloMSimoes (discussão) 14h16min de 28 de julho de 2020 (UTC)

Também não demorei dez segundos pra encontrar várias evidências que contradizem os argumentos dos links citados. Em especial, esta do Círculo de Estudos da Ideia e da Ideologia esta da Unisinos, Carta Capital, enfim. Poderia me alongar mais, mas vejo que é explícito que não há consenso para nós, editores, julgarmos que há um "novo ciclo na economia". Att Young Brujah (discussão) 14h53min de 28 de julho de 2020 (UTC)
Fontes e autores de tendências esquerdistas (ou mesmo que fossem da direita liberal) são tendenciosos e "contaminados ideologicamente". Não se pode equipará-las a estudos isentos de especialistas em economia dos institutos conceituados nessa área, que listei. Não podemos fazer do artigo um palanque ideológico.--PauloMSimoes (discussão) 15h16min de 28 de julho de 2020 (UTC)
E os por você citados não? O que é a "opinião dos especialistas" veiculada pela grande mídia outra coisa que não palanque ideológico? Tudo é ideologia. E a economia marxiana é uma escola de análise tão válida quanto a de outros especialistas em economia. Veja Sabrina Fernandes, mestra em economia política em raras aparições na grande mídia como Estadão CNN Young Brujah (discussão) 15h26min de 28 de julho de 2020 (UTC)
Em uma enciclopédia, distanciamento temporal é muito importante, os efeitos da pandemia sobre a economia ainda estão no início.--Raimundo57br (discussão) 19h37min de 28 de julho de 2020 (UTC)


Eu acho que existem fontes o suficiente para grande recessão brasileira levar pelo menos um título alternativo.[1][2] Também Symbol support vote.svg Apoio a mudança de nome, Crise político-econômica de 2014 no Brasil me parece a melhor opção até que mais trabalhos acadêmicos sobre o período sejam escritos, tanto de economia quanto história, e algum nome saia consolidado. [3] [4] GHMF (discussão) 16h14min de 24 de agosto de 2020 (UTC)

@GHMF: Symbol support vote.svg Concordo que grande recessão brasileira seja colocado em negrito logo no início como um dos nomes alternativos. Você, GHMF, quer fazer isso você mesmo? Eu já tenho edições demais neste artigo, então deixo essa para você. Não se esqueça de colocar essas referências junto. Enquanto isso, vamos continuar discutindo qual o melhor título para o artigo. O meu favorito é esse aí também... "de 2014 no Brasil" --Bageense(fala) 15h01min de 25 de agosto de 2020 (UTC)
@GHMF: Fiz alguns ajustes na sua edição... procurei manter a redação antiga do parágrafo, já consagrada. Coloquei também a outra fonte que menciona esse nome (grande recessão brasileira). Também coloquei a palavra "recente" logo no início, em vez do antigo "atual". Acho que assim fica mais claro que a crise não foi esta causada pelo corona. Se você discordar de algo, pode dizer. Quanto mais conversarmos para melhorar o artigo, melhor será. --Bageense(fala) 15h11min de 28 de agosto de 2020 (UTC)

Referências

  1. Oreiro, José Luis (2017). «A grande recessão brasileira: diagnóstico e uma agenda de política econômica». Estudos Avançados. 31 (89). doi:10.1590/s0103-40142017.31890009 
  2. Paula, Flávio Alves de (8 de julho de 2019). As causas da grande recessão brasileira (2014-2016) (TCC). UFU 
  3. Barbosa Filho, Fernando de Holanda (2017). «A crise econômica de 2014/2017». Estudos Avançados. ISSN 1806-9592. Consultado em 24 de agosto de 2020 
  4. GUSTAVO SALUM ANDRADE (2018). O IMPACTO DA CRISE ECONÔMICA DE 2014-2017 NAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL (PDF) (Tese). Rio de Janeiro: UFRJ 

Síndrome do Vila-lata[editar código-fonte]

O artigo se esforça para enfatizar que a crise foi causada pelo governo. Sendo que está mais que provado que atores internacionais como EUA e CHINA, e atores interno como a família imperial brasileira e outros setores colaboraram e muito para a crise. Esse artigo apesar de bem escrito e embasado está imparcial e com tendencias políticas. E o nome dele chega a ser hilário visto os pós acontecimentos políticos e econômicos.

(Anhaabaete (discussão) 08h46min de 19 de julho de 2020 (UTC))

@Anhaabaete: O material acadêmico que eu estudei e os livros que eu li ao longo dos três anos em que venho editando este artigo embasam o conteúdo. Para querer alterar algo, você vai ter de apresentar fontes, e não ficar jogando acusações vazias, dizendo "falta isso, falta aquilo". Fazer isso é muito fácil. De resto, o título já está sendo discutido acima. --Bageense(fala) 17h07min de 19 de julho de 2020 (UTC)
Anhaabaete, você pode indicar as provas de que foram os países estrangeiros que causaram a crise no Brasil?--Mister Sanderson (discussão) 22h13min de 19 de julho de 2020 (UTC)