Discussão:Era dos Descobrimentos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Alto mar[editar código-fonte]

Penso que seria importante mencionar, como nesse artigo. Chineses e portugueses enfrentaram o desconhecido. E sobre austronésios, o artigo sobre a Ilha de Páscoa ilustra um outro importante pioneirismo.


O escorbuto na história[editar código-fonte]

I tried to correct a misconception regarding the first attempts to cure scurvy on sailing ships. It was generally believed that the English were the first to realize the benefit of the fresh fruits and vegetables on sailors afflicted with scurvy, probably because the later English expeditions are better documented, but also because the editors of the English pages are more familiar with English sources.

However, it is documented that the Portuguese traded for citruses or other fruits during the discovery voyages in this regard. The few references I could find (and added on English wiki page) are indirect and fragmentary.

It would be great if you can help me to correct this with any quotable source regarding how the Portuguese sailors dealt with scurvy during their first voyages. (Unfortunately I cannot write in Portuguese but I have a basic understanding, so you can reply this way.)

Thank you,

 --Morosanul (discussão) 15h59min de 13 de janeiro de 2015 (UTC)
Gurgel, Cristina B. F. M.; Lewinsohn, Rachel (jul/dez 2010). «A medicina nas caravelas - Século XVI». Cadernos de História da Ciência. 6 (2). ISSN 1809-7634  Verifique data em: |data= (ajuda)

A despeito de uma aparente falta de nitidez na compreensão sobre o combate ao mal de Luanda, pelo menos dois notáveis exemplos sobre terapêutica empírica leiga foram observados no período. João de Barros, autor do “Roteiro da Viagem de Vasco da Gama à Índia” (1497-1499), editado em 1552, descreveu com precisão as manifestações do escorbuto, ao mesmo tempo em que apontava a cura daqueles que haviam ingerido laranjas frescas em Mombaça. Antes dele, a “Relação do Piloto Anônimo”, narrativa publicada em 1507 sobre a viagem de Pedro Álvares Cabral às Índias, indicava que os “refrescos” oferecidos aos portugueses pelo rei de Melinde eram o remédio eficaz contra a doença (Nava, 2004). Contudo, tais narrativas não impediram que novas tragédias causadas pelo escorbuto assolassem os navegantes, seja pela falta de comunicação entre os viajantes e responsáveis pela sua saúde, ou pela impossibilidade de se disponibilizar de frutas frescas durante as travessias marítimas.

Antero de Quintal (discussão) 17h34min de 13 de janeiro de 2015 (UTC)

Thank you very much for your help.

Most of the current accounts grant the merit for fighting scurvy to the later British sailors and forget the earlier developments. I considered important to highlight the achievements and struggles of these first Portuguese navigators.

To make some justice in the matter, I updated the English page Scurvy with this information. It would be great if someone could update the Portuguese page too, as it is the one with primary interest in having this information included.

--Morosanul (discussão) 07h38min de 16 de junho de 2015 (UTC)